24 resultados encontrados para . (0.007 segundos)

50465 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

O trato gastrointestinal de um equino PSI adulto apresenta a seguinte sequência e respectivas capacidades ou extensões:

  • a)
    esôfago (100 a 125 cm); estômago (aproximadamente 25 l); intestino delgado (aproximadamente 22 metros, composto por duodeno, jejuno e íleo); intestino grosso (aproximadamente 3 a 3,5 metros, composto por ceco, colon ventral direito, flexura esternal, colon ventral esquerdo, flexura pélvica, colon dorsal esquerdo, flexura diafragmática, colon dorsal direito, colon transverso, colon menor) e reto (aproximadamente 30 cm).
  • b)
    esôfago (200 a 250 cm); estômago (aproximadamente 20 l); intestino delgado (aproximadamente 22 metros, composto por duodeno, íleo e jejuno); intestino grosso (aproximadamente 3 a 3,5 metros, composto por ceco, colon ventral direito, flexura esternal, colon ventral esquerdo, flexura pélvica, colon dorsal esquerdo, flexura diafragmática, colon dorsal direito, colon transverso, colon menor) e reto (aproximadamente 30 cm).
  • c)
    esôfago (125 a 150 cm); estômago (aproximadamente 18 l); intestino delgado (aproximadamente 22 metros, composto por duodeno, jejuno e íleo); intestino grosso (aproximadamente 3 a 3,5 metros, composto por ceco, colon ventral direito, flexura esternal, colon ventral esquerdo, flexura pélvica, colon dorsal esquerdo, flexura diafragmática, colon dorsal direito, colon transverso, colon menor) e reto (aproximadamente 30 cm).
  • d)
    esôfago (125 a 150 cm); estômago (aproximadamente 18 l); intestino delgado (aproximadamente 22 metros, composto por duodeno, jejuno e íleo); intestino grosso (aproximadamente 3 a 3,5 metros, composto por ceco, colon ventral direito, flexura esternal, colon ventral esquerdo, flexura pélvica, flexura diafragmática, colon dorsal direito, colon menor, colon dorsal esquerdo, colon transverso) e reto (aproximadamente 30 cm).
  • e)
    NDA.

50482 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Foi encaminhado para seu atendimento um paciente felino obeso, com anorexia há cinco dias, vômito e diarreia. Ao exame físico, ele apresentou icterícia, desidratação e letargia. Após a avaliação de exames complementares, a suspeita de lipidose hepática foi confirmada. Com relação ao tratamento, assinale a alternativa verdadeira.

  • a)
    A terapia nutricional deve ser iniciada após a correção da desidratação.
  • b)
    O uso de ciproeptadina e outros estimulantes de apetite resultam em ingestão de aporte calórico adequado.
  • c)
    Para a reposição de fluidos, o mais indicado é o uso de solução glicosada, já que ela auxilia no aporte calórico ao paciente.
  • d)
    A terapia nutricional intensiva precoce é peça-chave no tratamento, e o aporte calórico basal deve ser alcançado gradativamente.
  • e)
    Os benzodiazepínicos podem ser utilizados como adjuvantes no tratamento de emergência, já que promovem estímulo ao apetite do paciente.

50485 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Um equino macho, da raça QM, de 7 anos de idade, usado para provas de vaquejada, apresenta perda de peso, cifose, disúria, estrangúria, polaquiúria e relutância ao exercício, associado à hematúria durante ou especialmente após o exercício, há aproximadamente uma semana. Quando o animal está em repouso, a hematúria diminui ou cessa, mas os outros sinais urinários permanecem. Qual o diagnóstico? Quais exames complementares auxiliam no diagnóstico?

  • a)
    Cistite e cálculo vesical; urinálise, cistoscopia, palpação da bexiga via transretal e ultrassom vesical.
  • b)
    Cálculo renal; urinálise, palpação renal via transretal e ultrassom vesical.
  • c)
    Cálculo uretral; exame radiográfico, uretrocistoscopia.
  • d)
    Insuficiência renal por cálculo vesical; urinálise, cistoscopia e bioquímica sérica.
  • e)
    Cálculo uretral; exame radiográfico, urinálise, cistoscopia e bioquímica sérica.

50486 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Assinale a alternativa incorreta em relação às anemias hemolíticas.

  • a)
    O sistema monocítico fagocítico retira e destrói hemácias na hemólise extravascular.
  • b)
    Anemias hemolíticas intravasculares são acompanhadas de hemoglobinemia e hemoglobinúria.
  • c)
    A icterícia é um achado comum em casos de intensa hemólise intravascular.
  • d)
    Anemias hemolíticas induzem resposta medular.
  • e)
    A anemia hemolítica autoimune é mais comum em cães.

50490 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Qual o tratamento emergencial indicado para um cão apresentando vólvulo gástrico?

  • a)
    Fluidoterapia 50ml/kg/h, ceftriaxona, succinato metilprednisolona.
  • b)
    Fluidoterapia 90ml/kg/24h, ceftriaxona, succinato de metilprednisolona.
  • c)
    Fluidoterapia 900ml/kg/h, ceftriaxona, acetato metilprednisolona.
  • d)
    Fluidoterapia 900ml/kg/24h, ceftriaxona, acetato metilprednisolona.
  • e)
    Fluidoterapia 90ml/kg/h, ceftriaxona, succinato metilprednisolona.

50491 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Quais procedimentos abaixo são mais indicados para diagnosticar uma ruptura de bexiga?

  • a)
    Ultrassonografia abdominal.
  • b)
    Sondagem associada à radiografia simples.
  • c)
    Sondagem associada à dosagem sérica de creatinina.
  • d)
    Cistografia de contraste positivo.
  • e)
    NDA.

54869 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Com relação à abordagem de emergência ao paciente em cetoacidose diabética, assinale a questão correta.

  • a)
    A reposição de bicarbonato só deve ser realizada se o pH venoso for inferior a 7,0, e houver à disposição hemogasometria seriada.
  • b)
    A administração de insulina gargina em bolus por via intravenosa deve ser imediata.
  • c)
    Pacientes que apresentam quadros de hiperglicemia acima de 500 mg/dL devem receber fluidos em grandes volumes, a fim de corrigir rapidamente a desidratação.
  • d)
    A reposição de potássio não deve ser iniciada até a completa estabilização do paciente.
  • e)
    O uso da insulina intermediária é mais adequado para o tratamento de emergência.

54873 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Assinale a alternativa correta em relação às efusões em animais domésticos.

  • a)
    A hipertensão portal é um contribuinte frequente para formação de transudatos peritoneais.
  • b)
    O fluido peritoneal e pleural em animais sadios tem eritrócitos e células nucleadas.
  • c)
    Cães e bovinos sadios apresentam líquido peritoneal suficiente para colheita e análise.
  • d)
    Ascite é o acúmulo de fluido em um espaço ou em uma cavidade corpórea.
  • e)
    A cirrose em cães gera um transudato rico em proteínas.

54876 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Qual exame é mais indicado para diferenciar os graus de uma atresia anal?

  • a)
    Radiografia simples.
  • b)
    Radiografia contrastada.
  • c)
    Colonoscopia.
  • d)
    Palpação retal.
  • e)
    Sondagem retal.

54889 UEM (2017) - UEM - Médico Veterinário / Medicina Veterinária

Considerando as deformidades flexoras (contraturas tendíneas) e o desvio angular em equinos, assinale a alternativa correta.

  • a)
    Os casos de deformidade flexora adquirida com comprometimento da articulação interfalangeana distal, com casco encastelado e apoio sobre a pinça do casco, indicam contratura do tendão flexor digital profundo.
  • b)
    A projeção cranial do carpo e da articulação metacarpo falangeana, com posicionamento normal do casco, indica contratura do tendão flexor digital profundo.
  • c)
    O uso intravenoso de oxitetraciclina em animais recém-nascidos com deformidade flexora leve objetiva a contração das estruturas musculares e tendíneas.
  • d)
    Desvio varus ou valgus podem ser resultantes do mau posicionamento do feto no útero, aumento da movimentação do feto no útero, hiperplasia óssea, elevada ossificação endocondral.
  • e)
    Desvio varus ou valgus são classificados como leve até 10 graus, médio de 10 a 20 graus e grave acima de 20 graus.