10 resultados encontrados para . (0.013 segundos)

207001 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

Uma ação judicial e notícias nada animadoras na imprensa podem gerar uma crise em uma grande instituição. Qual a melhor forma de o assessor de imprensa administrar essa situação diante da opinião pública? 

  • a)
    Para valorização da marca e melhora da imagem, o ideal é publicar textos positivos sobre a empresa nas redes sociais, que têm hoje um grande alcance.
  • b)
    Elaborar newsletters para distribuição interna e externa justificando os motivos da ação.
  • c)
    Adiar o contato com a imprensa e a divulgação de informações para evitar a exposição da imagém da instituição.
  • d)

    Convocar uma entrevista coletiva e divulgar nos jornais de grande circulação um informe publicitário, assumindo publicamente o erro e noticiando as providências que serão tomadas para solução do caso.

  • e)
    Publicar uma entrevista do representante máximo da instituição em 'cartas ao leitor' nos principais veículos de comunicação, explicando que tudo não passa de um engano.

220578 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

As zonas de visualização são áreas do layaut que exercem uma atração natural sobre o leitor. Essas áreas estão condicionadas ao processo de percepção do receptor que direciona o olhar de acordo com um conceito pré­ estabelecido por seus hábitos culturais, como por exemplo, a escrita ocidental. As Zonas de visualização são:

  • a)
    Primária ou principal; Secundária; Áreas visuais; Centro óptico; e Centro geométrico.
  • b)
    Primária ou principal; Secundária; Campo de visão; Centro óptico; e Centro de diagramação.
  • c)
    Primária ou principal; Secundária; Áreas mortas; Centro óptico; e Centro geométrico.
  • d)
    Primária ou principal; Secundária; Apresentação; Centro óptico; e Fios tipográficos.
  • e)
    Primária ou principal; Secundária; Áreas mortas; Brancos da página; e Centro de diagramação.

236926 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

As notíciàs de jornal e as de televisão apresentam semelhanças e diferenças em sua estrutura. Em comparação com a notícia de jornal, a de televisão é muito mais coerentemente organizada e coesa. Essa diferença está associada ao fato de a televisão estar disposta e apresentada no tempo, enquanto a edição está apenas estabelecida no espaço. Com base nessa informação, pode­ se concluir que:



I. O jornal, sendo organizado no espaço, pode publicar muito mais "estórias", matérias e textos do que a maior parte dos leitores pretende ler; o leitor percorre os olhos sobre as manchetes e escolhe o que ler de acordo com os seus interesses e disponibilidades.

II. Com o noticiário televisivo, acontece precisamente o oposto. Sendo organizado no tempo, as notícias têm que ser selecionadas e organizadas de modo a serem vistas integralmente pelo espectador. Enquanto o conteúdo do jornal constitui um agregado diverso, numeroso e, por vezes, incompleto, os elementos do noticiário televisivo formam tipicamente um todo unificado.

  • a)
    A afirmativa I é correta; e a II é incorreta.
  • b)
    A afirmativa I é incorreta; e a I1 é correta.
  • c)
    Ambas são incorretas.
  • d)
    Ambas são corretas.
  • e)
    A afirmativa 11 é correta, mas sem correlação com a afirmativa I.

236960 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

Para que o release de um assessor de imprensa encaminhado a uma redação de jornal ou televisão, por exemplo, não seja descartado, que principais características deve ter?

  • a)
    Divulgar todas as benfeitorias da empresa, com um texto preciso e de rico vocabulário.
  • b)
    Deve ser escrito de forma inovadora, para causar impacto .
  • c)
    Apresentar pormenores da empresa, com um histórico detalhado.
  • d)
    Deve trazer aspas de pessoas renomadas no assunto de que trata o release, o que lhe dará mais credibilidade.
  • e)
    Deve ser conciso e direto, de preferência com um lead que responda às seis perguntas básicas, além de escrito até 30 linhas. Um título curto e atraente também é importante.

270160 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

Para o registro especial de provisionado, é necessana a apresentação de prova de nacionalidade brasileira; prova de que não está denunciado ou condenado pela prática de ilícito penal; declaração, fornecida pela empresa jornalística ou que a ela seja equiparada, da quál conste a função a ser exercida e o salário correspondente; diploma de curso de nível superior ou certificado de ensino de 2Q grau fornecido por estabelecimento de ensino reconhecido na forma da lei, para determinadas funções. Quais?

  • a)
    Redator, Noticiarista, Repórter, Repórter Cinematográfico, Rádio Repórter, Diagramador e Revisor.
  • b)
    Redator, Noticlartsta, Repórter, Repórter de Setor, Rádio Repórter, Diagramador e Revisor.
  • c)
    Redator, Noticiarista, Repórter, Repórter de Setor, Rádio Repórter, Arquivista-Pesquisador e Revisor.
  • d)
    Redator, Noticiarista, Repórter, Repórter Fotográfico, Rádio Repórter, Arquivista-Pesquisador e Revisor.
  • e)
    Redator, Noticiarista, Repórter, Repórter Fotográfico, Ilustrador, Arquivista-Pesquisador e Revisor.

270623 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

A história está cheia de exemplos sobre a força que uma entrevista tem em certas circunstâncias. A entrevista de Getúlio Vargas a Samuel Wainer na estância gaúcha do ex­ presidente, publicada por O Jornal, do Rio de Janeiro, em 1949, abriu caminho para a volta do ditador ao poder. A entrevista de Pedro Collor provocou o impeachment de Fernando Collor e o desbaratamento do Esquema Pc. As entrevistas em of! conseguidas por Carl Bernstein e Bob Woodward, no caso Watergate, levaram à renúncia do homem mais poderoso do mundo, o presidente dos EUA Richard Nixon. Costuma-se datar o início da revolução sexual feminina, no Brasil, a partir da entrevista que Leila Diniz deu ao Pasquim, em 1969, ao chegar dos EUA.

Constrangimentos entre entrevistador e entrevistado fazem parte da atividade da imprensa. Geralmente os homens públicos, que têm mais experiência no contato com a mídia, não se surpreendem. Nilson Lage dá um determinado nome ao tipo de entrevista em que o repórter assume o papel de inquisidor, despejando cusações sobre o entrevistado e contra-argumentando, eventualmente com veemência, com base em algum dossiê ou conjunto acusatório. O repórter atua, então, como promotor em um julgamento informal. A tática é comum em jornalismo panfletário, quando se pretende 'ouvir o outro lado' sem lhe dar, na verdade, condições razoáveis de expor seus pontos de vista. O autor reconhece que muitas vezes tal estratégia pode se transformar num espetáculo de constrangimento, principalmente quando transmitida ao vivo, no rádio ou na televisão. Como Nilson Lage define esse tipo de entrevista?

  • a)
    Confronto.
  • b)
    De Ação.
  • c)
    Experimental.
  • d)
    Informativa.
  • e)
    Elucidativa.

270624 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

A parte escrita é muito importante num projeto gráfico e saber utilizar de forma correta os tipos ou fontes é fundamental na composição e diagramação de um texto.

Detalhes como contraste e alinhamento também interferem na legibilidade do texto. Leia as afirmativas a seguir.

I. Fontes com serifa facilitam a leitura, mas na tela do computador as serifas podem atrapalhar, pois ficam serrilhadas nos pixels.

II. Fonte sem serifa é ideal para títulos, frases em cartazes e outdoors, e textos de leitura rápida, como na web. São exemplos dessas fontes: Garamond, Humanistic, Aldine.

III. O alinhamento à esquerda facilita a leitura.

IV. Deve-se ter cuidado com o contraste que forma a-cor com o fundo: amarelo sobre branco tem uma leitura difícil, branco sobre preto em texto longo cansa a leitura.

Quantas são verdadeiras?

  • a)
    Nenhuma.
  • b)
    Quatro.
  • c)
    Três.
  • d)
    Duas.
  • e)
    Uma.

283172 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

A Teoria Empírica de Campo ou Teoria dos Efeitos Limitados . baseia suas pesquisas na sociologia, concluindo que a mídia cumpre papel limitado no jogo de influência das relações comunitárias. Em outras palavras, a mídia é apenas mais um instrumento de persuasão na vida social, uma vez que é apenas parte desta. Com base nessa afirmação, leia as afirmativas sobre essa teoria:

I. A abordagem Empírica de Campo abandona a relação direta de causa e efeito entre a mensagem e o comportamento do indivíduo.

II. Enfatiza a influência indireta que a mídia exerce sobre o público tal como faria qualquer outra força social (igreja, família, partido político etc).

III. O alcance das mensagens midiáticas depende do contexto social em que estão inseridas, ficando sujeitos aos demais processos comunicativos que se encontram presentes na vida social. Nesse caso, os filtros individuais pelos quais as mensagens passam seriam de origem muito mais social do que psicológica.

IV. Recebeu esse nome como resposta à Teoria dos Efeitos Ilimitados de Lasswell.



É correto o que se afirma em:

  • a)
    somente I e 11.
  • b)
    somente I e 111.
  • c)
    somente 11 e 111.
  • d)
    somente 111 e IV.
  • e)
    todas.

283173 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Não classificada

É o projeto gráfico de um produto, que apresenta os elementos (gramatura do papel, tipologia, imagens etc) da forma como se deseja utilizar em sua versão final. A sua elaboração é fase fundamental para o lançamento de publicações periódicas. Tal definição encerra o conceito de:

  • a)
    Layout.
  • b)
    Fotolito.
  • c)
    Rough.
  • d)
    Boneco.
  • e)
    Prova heliográfica.

291757 Quadrix (2013) - CREF - 3ª Região (SC) - Jornalista / Jornalismo

"Um princípio comum no jornalismo é o da objetividade, que prega que o texto deve ser orientado pelas informações bjetivas, ão subjetivas". A partir dessa afirmação e nesse contexto, não é correto afirmar que:

  • a)
    O texto jornalístico pode conter descrições das características do objeto da notícia.
  • b)
    O texto jornalístico pode conter impressões ou comentários do sujeito que o observa (no caso, quem redige a matéria).
  • c)
    O texto jornalístico pode conter grandezas (altura, largura, peso, volume, temperatura etc.).
  • d)
    O texto jornalístico pode conter propriedades materiais (forma, cor, textura etc.)
  • e)
    O texto jornalístico pode conter descrição de ações, mas não adjetivos e advérbios opinativos ("bom", "ruim","melhor", "pior", "infelizmente" etc.).