25 resultados encontrados para . (0.010 segundos)

78025 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

Acerca do desenvolvimento da agricultura e da consequente sedentarização dos grupos humanos, considere as afirmativas abaixo:

I. Esse processo teve início a partir das civilizações mediterrâneas, sobretudo gregos e romanos, responsáveis pela construção de grandes obras públicas, como canais de irrigação, diques e aquedutos.

II. Também identificados sob a denominação de “povos fluviais” ou “civilizações hidráulicas”, egípcios e mesopotâmicos foram pioneiros na constituição de sociedades rigidamente hierarquizadas e com governo.

III. A ocupação humana dos vales dos rios Tigre e Eufrates remonta ao período Paleolítico e, devido à abundância de recursos hídricos, essa região foi sucessivamente disputada por vários povos.

IV. Na região designada como Crescente Fértil, verificou-se o desenvolvimento das atividades agrícolas atreladas ao avanço de técnicas de irrigação e atividades comerciais, tudo isso mediado pela atuação de Estados fortes.

É correto o que se afirma em:

  • a)
    I e II.
  • b)
    II e IV.
  • c)
    III e IV.
  • d)
    I e III.
  • e)
    II e III.

78028 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

Leia o texto a seguir: A política no pódio: episódios de tensões e conflitos nos Jogos Olímpicos da Era Moderna Flavio de Campos

Em tempos de protestos e conflitos em praças esportivas brasileiras, este artigo tem como objetivo retomar alguns episódios marcantes de tensões e enfrentamentos ideológicos ocorridos durante a história dos Jogos Olímpicos de Verão da Era Moderna. Pretende-se questionar a perspectiva, contida nos discursos oficiais do Comitê Olímpico Internacional, entre os organizadores dos mais diversos países e de setores expressivos da imprensa, de que a política e os esportes devem estar apartados em nome do espírito olímpico. A referência a tais episódios demonstra como as situações históricas revelam a recorrência das práticas e confrontos políticos mais ou menos explícitos. CAMPOS, F. de. A política no pódio:

episódios de tensões e conflitos nos Jogos Olímpicos da Era Moderna. História USP, São Paulo, n. 108, jan./mar. 2016

Disponível em: http://www.revistas.usp.br>. Acesso em: 20 ago. 2016

O artigo publicado na Revista da Universidade de São Paulo (USP) traz inferências quanto a questões políticas, sociais e culturais (co)relacionadas à História das Olimpíadas.

Analise os itens a seguir, julgue-os e posteriormente assinale a alternativa correta: I. Na Antiga Grécia, a trégua sagrada ( – ekechería) era proclamada a cada quatro anos por emissários que anunciavam a realização dos Jogos Olímpicos. Assim, as hostilidades entre as póleis deveriam ser suspensas e garantidos salvo-condutos nos percursos de ida e volta da cidade de Olímpia, considerada como território neutro e inviolável durante as competições.

II. Em 393 d.C., Ambrósio, bispo de Milão, obteve do imperador romano Teodósio a proibição aos Jogos Olímpicos, a principal referência lúdica da cultura clássica. Em um contexto de afirmação do cristianismo e de luta contra os mais diversos paganismos, o combate aos jogos fúnebres e às reminiscências aos demais jogos helênicos (píticos, nemaicos e ístmicos) fez parte do programa de ação das lideranças cristãs que procuravam estabelecer a sua hegemonia diante de outros sistemas de crenças e práticas devocionais no Mediterrâneo.

III. O resgate dos Jogos Olímpicos no final do século XIX, capitaneado por Pierre de Freddy, o barão de Coubertin, foi estimulado pelas proposições do cristianismo atlético ou cristianismo muscular, que se desenvolvera, sobretudo nas escolas inglesas, articulando-o a uma visão idealizada do mundo grego, que serviria de preceptiva para as práticas esportivas dos sportsmen.

IV. Berlim foi a cidade escolhida para sediar os Jogos de 1916. Os dirigentes do Comitê Olímpico Internacional acreditavam que a indicação da Alemanha pudesse contribuir para evitar a eclosão da guerra, como se fosse possível uma ekechería no mundo contemporâneo. Pelo contrário, a guerra impediu a realização da VI Olimpíada da Era Moderna. O mesmo voltaria a acontecer em 1940 e em 1944, no contexto da Segunda Guerra Mundial. Ainda assim, esses jogos são oficialmente contados, mesmo que não realizados.

  • a)
    Os itens I, II e III estão corretos e o IV está incorreto.
  • b)
    O item IV está correto e os itens I, II e III fazem inferências aparentemente equivocadas sobre o tema abordado.
  • c)
    Os itens I e II são complementares e os itens III e VI são concorrentes, pois estes últimos fazem uma análise fenomenológica sobre o tema.
  • d)
    Os itens I e II fazem referência a contextos históricos das olimpíadas na Antiguidade, enquanto os demais itens argumentam a retomada das olimpíadas nos séculos XIX e XX.
  • e)
    Os itens II e III podem ser didaticamente tratados como contraditórios enquanto os itens I e IV mostram associações temporais antagônicas.

78031 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

Considerando as contribuições da cultura indígena no Brasil, analise os itens abaixo, julgue-os e em seguida assinale a alternativa correta:

I. A influência cultural indígena na sociedade brasileira perpassa o hibridismo quanto a assimilação da língua portuguesa e suas influências das línguas indígenas. Várias palavras de origem indígena se encontram em nosso vocabulário cotidiano, como palavras ligadas à flora e à fauna (como abacaxi, caju, mandioca, tatu) e palavras que são utilizadas como nomes próprios (como o parque do Ibirapuera, em São Paulo, que significa, “lugar que já foi mato”, em que “ibira” quer dizer árvore e “puera” tem o sentido de algo que já foi. O rio Tietê em São Paulo também é um nome indígena que significa “rio verdadeiro”) II. Além da influência indígena na culinária brasileira, herdamos também a crença nas práticas populares de cura derivadas das plantas. Por isso se recorre ao pó de guaraná, ao boldo, ao óleo de copaíba, à catuaba, à semente de sucupira, entre outros, para curar alguma enfermidade.

III. A culinária brasileira herdou vários hábitos e costumes da cultura indígena, como a utilização da mandioca e seus derivados (farinha de mandioca, beiju, polvilho), o costume de se alimentar com peixes, carne socada no pilão de madeira (conhecida como paçocA) e pratos derivados da caça (como picadinho de jacaré e pato ao tucupi), além do costume de comer frutas (principalmente o cupuaçu, bacuri, graviola, caju, açaí e o buriti).

IV. Por volta de 1500, momento da chegada dos europeus, até os dias atuais, século XXI, a população indígena diminuiu drasticamente, de três a cinco milhões de índios para, atualmente, segundo a FUNAI (Fundação Nacional do Índio), 358 mil índios.

  • a)
    Os itens I, II, III e IV estão corretos.
  • b)
    Os itens I, II e III estão corretos e o IV está incorreto.
  • c)
    O item IV está correto e os itens I, II e III fazem inferências aparentemente equivocadas sobre o tema abordado.
  • d)
    Os itens I e II são complementares e os itens III e VI são concorrentes, pois estes últimos fazem uma análise fenomenológica sobre o tema.
  • e)
    Os itens II e III podem ser didaticamente tratados como contraditórios enquanto os itens I e IV mostram associações temporais antagônicas.

78032 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

Sobre a agrimensura assinale a alternativa incorreta:

  • a)
    Sua origem remonta, desde as mais antigas civilizações, à construção de monumentos gigantescos, templos sagrados, pirâmides, teatros, anfiteatros, aquedutos ou pontes, tendo em vista que, em torno destas obras magistrais, pode-se imaginar as operações topográficas necessárias ao arquiteto, para estabelecer os planos que permitiriam a realização prática da obra.
  • b)
    Entre as várias aplicações, temos na agrimensura o estabelecimento das direções, medição das distâncias, estimativa das alturas, mas também delimitação das parcelas dos terrenos, projeção e traçado das estradas e caminhos, construção de canais para irrigação ou mesmo de obras para o transporte de água.
  • c)
    O trabalho dos agrimensores romanos era irrelevante socialmente, tanto no ambiente civil como no militar. Eles eram escolhidos pelo Estado devido a seus trabalhos de cadastramento serem dispensáveis na determinação dos impostos. Eles vieram a ser, a partir do reinado de Augusto, funcionários imperiais gozando de privilégios e de estado social elevado, porém sem o devido retorno por parte dos imperadores.
  • d)
    Os mais antigos vestígios da aplicação da agrimensura remontam ao Antigo Egito, por meio de papiros e pinturas em monumentos ou tumbas funerárias, as quais nos ensinam a aplicação desta profissão.
  • e)
    A agrimensura é uma das mais velhas artes praticadas pelo homem. Os registros históricos indicam que essa ciência se iniciou no Egito; Heródoto (1400 a.C.) descreve em seus apontamentos, os trabalhos de demarcação das terras às margens do Nilo. O agrimensor era um funcionário nomeado pelo faraó com a tarefa de avaliar os prejuízos das cheias e restabelecer as fronteiras entre as diversas propriedades.

83899 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

Surgida na França, durante a década de 1920, esta tendência historiográfica estabeleceu a relevância de aspectos da vida privada, da cultura e das mentalidades como temas dignos da pesquisa histórica. Ao admitirem a contribuição de outras ciências, terminaram por ampliar o conceito de tempo histórico e propuseram novos objetos e procedimentos metodológicos. O trecho acima refere-se à/ao:

  • a)
    Positivismo.
  • b)
    Marxismo.
  • c)
    Escola dos Annales.
  • d)
    Historicismo.
  • e)
    Escola Metódica.

83901 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

“As teorias e práticas mercantilistas estão inseridas no contexto da transição do Feudalismo para o Capitalismo, possuindo ainda características marcantes das estruturas econômicas feudais e já diversos fatores que serão mais tarde identificados com características capitalistas, não sendo nenhum dos dois sistemas, no entanto. O termo mercantilismo define os aspectos econômicos desse processo de transição. Se o mercantilismo tem sua contraparte política no Estado absoluto, no campo social tem relação com a estrutura social comumente conhecida como sociedade do Antigo Regime.” (SILVA, Kalina V. & SILVA, Maciel Henrique. “Dicionário de conceitos históricos”. São Paulo : Contexto, 2009, p. 283-284).

Das práticas apresentadas abaixo, qual não pode ser identificada como pertencente ao mercantilismo:

  • a)
    Metalismo.
  • b)
    Protecionismo alfandegário.
  • c)
    Incentivo às manufaturas.
  • d)
    Balança comercial favorável.
  • e)
    Liberalismo econômico.

83902 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

Quanto às características gerais que identificam

dois dos regimes totalitários do período entreguerras,

nomeadamente o Fascismo e o Nazismo, é

correto afirmar que ambos apresentam o/a, exceto:

  • a)

    Hipertrofia do Poder Executivo.

  • b)

    Antissemitismo.

  • c)

    Nacionalismo.

  • d)

    Anticomunismo.

  • e)

    Militarismo.

83904 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

O documento não é inócuo. É, antes de mais nada, o resultado de uma montagem, consciente ou inconsciente, da história, da época, da sociedade que o produziram, mas também das épocas sucessivas durante as quais continuou a viver, talvez esquecido, durante as quais continuou a ser manipulado, ainda que pelo silêncio. O documento é uma coisa que fica, que dura, e o testemunho, o ensinamento (para evocar a etimologia) que ele traz devem ser em primeiro lugar analisados, desmistificando-lhe o seu significado aparente. O documento é monumento. Resulta do esforço das sociedades históricas para impor ao futuro – voluntária ou involuntariamente – determinada imagem de si próprias. (2003, p.537-538).

LE GOFF, Jacques. Documento/monumento. In: FONSECA, Thaís N. L. (orgs.). História e Memória. 5 ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2003, p. 525-541

Sobre as considerações postas por Le Goff, é correto afirmar que a Documentação:

  • a)
    Remete à qualificação do termo “documento”, onde Jacques Le Goff equivocadamente sustenta a ideia de que o termo latino documentum, derivaria de docere, que significaria “ensinar”. Evidencia ainda que apenas no século XVII que de fato propagou-se, na linguagem jurídica francesa, a expressão “títulos e documentos”; já o sentido da documentação como “prova” e como “testemunho histórico” foi incorporado a partir do século XIX.
  • b)
    Possui escassas formas de serem categorizadas, cujas nuances se mostram de forma estática conforme os elementos presentes nos documentos. Dentre estas nuances temos a Arquivologia, destacando-se como suporte, que se refere ao material sobre o qual as informações são registradas (exemplos: papel, filme, disco magnético); e gênero, que consiste por sua vez na configuração que assume um documento de acordo com sua própria linguagem (exemplos: textuais, audiovisuais, fonográficos, iconográficos, eletrônicos).
  • c)
    Possui outro qualitativo consistindo na conhecida classificação das “três idades”: a documentação intermediária agrega documentos nas fases de uso e que estão vinculados às suas finalidades imediatas, sejam administrativas ou legais; a documentação corrente, a qual aguarda pela definição de seu descarte ou da sua guarda definitiva; e a documentação ativa, que aglutina os documentos preservados devido ao seu valor histórico, destacando as suas potenciais funções científica, social e cultural.
  • d)
    Tem como marco histórico primordial a Revolução Industrial, sendo este um marco significativo para a lida documental. Isso porque os Arquivos Nacionais foram criados paulatinamente e a perspectiva de atendimento ao cidadão, por meio do acesso à informação, começou a ganhar os primeiros contornos, ainda que de maneira tímida.
  • e)
    Remete à noção de conjunto de documentos, bem como se refere às ações de coleta, processamento técnico e disseminação de informações. Em linhas gerais, o termo documentação pode ser compreendido como prática com e/ou sobre algum documento ou conjunto documental. Importa destacar a característica de evidenciar vários tipos de registros, garantindo a permanência da informação ao longo dos diferentes contextos históricos. Muito além de agregar as múltiplas expressões do conhecimento humano, a documentação assume a função de representar ideias e objetos que nos informam sobre algo.

83907 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

A integração com as áreas profissionais faz com

que a Historiografia parta para as discussões

temáticas. O estudante do Curso de Engenharia ou

de um Técnico do Eixo Tecnológico de

Infraestrutura deve conhecer as expressões

construtivas ao longo dos tempos históricos. O

papel do docente é justamente oportunizar este

contato.

Sendo assim observe as imagens e assinale a

alternativa que possui a correspondência correta:

Figura 1 – Colunas gregas



Fonte:

.

Acesso em 20 ago. 2016

  • a)
    3 – Ordem Dórica; 2 – Ordem Jônica e 1 - Ordem Coríntia.
  • b)
    1 – Ordem Dórica; 2 – Ordem Jônica e 3 - Ordem Coríntia.
  • c)
    2 – Ordem Dórica; 1 – Ordem Jônica e 3 - Ordem Coríntia.
  • d)
    3 – Ordem Dórica; 1 – Ordem Jônica e 2 - Ordem Coríntia.
  • e)
    2 – Ordem Dórica; 3 – Ordem Jônica e 1 - Ordem Coríntia.

87222 IF-TO (2016) - IF-TO - Professor - História / História

Em “Apologia da História – ou, O Ofício de Historiador”, o medievalista francês Marc Bloch apresenta algumas reflexões que são contribuições teórico-metodológicas significativas para as ciências humanas, em geral, e, em particular, para a história. A respeito das principais formulações conceituais desenvolvidas pela tendência historiográfica à qual pertencia Bloch, pode-se citar:

I. História-problema.

II. Materialismo histórico.

III. História de longa duração.

IV. Consciência de classe.

É correto o que se afirma em:

  • a)
    I e II.
  • b)
    III e IV.
  • c)
    II e IV.
  • d)
    I e III.
  • e)
    II e III.