30 resultados encontrados para . (0.008 segundos)

73324 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

O Decreto no 7.602, de 07, de novembro de 2011, dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho (PNSST). Essa política tem como finalidade promover a saúde e a qualidade de vida do trabalhador, bem como prevenir acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. Sobre isso, é CORRETO afirmar que

  • a)
    compete à Comissão de Segurança e Saúde no Trabalho a gestão executiva da PNSST.
  • b)
    cabe ao Ministério do Trabalho e Emprego elaborar e revisar, em modelo bipartite, as Normas Regulamentadoras de Segurança e Saúde no Trabalho.
  • c)
    a PNSST tem como princípios: universalidade, prevenção, diálogo social, integralidade e ações de promoção, proteção e prevenção.
  • d)
    o Ministério da Saúde é responsável por definir apenas com as secretarias de saúde estaduais os parâmetros para acompanhar as ações de saúde do trabalhador.
  • e)
    o Comitê Executivo deve acompanhar a implementação e revisar periodicamente a PNSST.

73325 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

Mostrar/Esconder texto associado

Quando uma empresa possui caldeira(s) em suas instalações, ela deve cumprir o que determina a NR-13. Sobre essa determinação, é INCORRETO afirmar que

  • a)
    o bloqueio inadvertido de dispositivos de segurança de caldeiras ou seu bloqueio intencional, sem a devida justificativa técnica para tal, é considerado como condição de risco grave e iminente de lesão grave à integridade física do trabalhador.
  • b)
    toda caldeira deve possuir na empresa onde está instalada: prontuário de caldeira; registro de segurança; projeto de instalação; projeto de alteração; relatórios de inspeção e certificados de calibração.
  • c)
    toda caldeira deve possuir manual de operação contendo: procedimentos de partidas e paradas; procedimentos e parâmetros operacionais; procedimentos de emergência e procedimentos de segurança.
  • d)

    a inspeção periódica das caldeiras deve ser feita em: 12 (doze) meses para caldeiras de categoria A, B e C; 15 (quinze) meses para caldeiras de recuperação de álcalis; e 24 (vinte e quatro meses) para caldeiras de categoria A, desde que aos 12 (doze) meses as pressões das válvulas de abertura tenham sido testadas.

  • e)

    toda caldeira deve possuir, em local próximo ao seu corpo: placa de identificação com nome do fabricante; número de ordem; pressão máxima de trabalho; pressão de teste hidrostático; capacidade de produção de vapor; área de superfície de aquecimento; código de projeto e ano de edição.

73326 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) será aplicado às alíquotas de 1, 2 ou 3% da tarifação coletiva por subclasse econômica, como um multiplicador, incidente sobre a folha de salários das empresas para custear aposentadorias especiais e benefícios decorrentes de acidentes de trabalho. As taxas de multiplicação variam entre

  • a)
    1 e 3
  • b)
    0 e 3
  • c)
    0,5 e 2
  • d)
    1 e 2
  • e)
    0,5 e 3

73327 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

Um laudo sobre insalubridade realizado em um trabalhador que exerce a sua função no interior de um galpão não climatizado, cuja Taxa de Metabolismo representa 500 kcal/h, apresentou um IBUTG de 25 ºC. Ao longo de 01 (uma) hora de expediente, o trabalhador

  • a)
    não poderá exercer essa atividade.
  • b)
    terá que descansar, no mínimo, 45 minutos.
  • c)
    terá que descansar, no mínimo, 15 minutos.
  • d)
    terá que descansar, no mínimo, 30 minutos.
  • e)
    poderá trabalhar ininterruptamente.

73328 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

Em relação às interações de efeitos entre os agentes químicos ocupacionais, enumere a segunda

coluna de acordo com as informações contidas na primeira coluna.

1.Aditivo ( ) A(2)+ B(3) = AB(20)

2.Sinérgico ( ) A(0)+ B(2) = AB(10)

3.Potenciação ( ) A(4)+ B(6) = AB(8)

4.Antagonismo ( ) A(2)+ B(3) = AB(5)

A sequência CORRETA é

  • a)
    2, 3, 4, 1.
  • b)
    3, 4, 2, 1.
  • c)
    2, 1, 4, 3.
  • d)
    4, 2, 3, 1.
  • e)
    1, 4, 3, 2.

73480 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

Em relação ao prazo previsto para registro da CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – das empresas junto ao órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego, de acordo com a NR 5, após ocorrer a eleição, pode-se afirmar que

  • a)
    o prazo para registro da CIPA é de 15 dias após sua instalação e posse.
  • b)
    o prazo para registro da CIPA é de 10 dias após sua instalação e posse.
  • c)
    não há mais necessidade de registro da CIPA junto ao órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego após eleição.
  • d)
    a CIPA, uma vez registrada junto ao órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego, não precisa de ratificação a cada eleição.
  • e)
    a CIPA dispensa qualquer comprovação de sua existência ao órgão fiscalizador.

81685 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

Mostrar/Esconder texto associado

A Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) é o documento que registra um acidente ou doença do trabalho junto à Previdência Social. Esse registro deve ser feito pela empresa em determinado prazo. De acordo com a Previdência Social, qual deve ser o prazo de emissão de CATs em casos de mortos e feridos, respectivamente?

  • a)
    Em caso de mortes, a CAT deve ser emitida em até trinta e seis horas; em caso de feridos, o prazo é de um dia útil após o acidente.
  • b)
    Em caso de mortes, a comunicação deve ocorrer em até vinte e quatro horas; em caso de feridos, o prazo é de até quarenta e oito horas após o acidente.
  • c)
    Em caso de mortes, a comunicação deve ser imediata; em caso de feridos, deverá ocorrer em até vinte e quatro horas após o acidente.
  • d)
    Em caso de mortes, a comunicação deve ser imediata; em caso de feridos, deverá ocorrer até o primeiro dia útil após o acidente.
  • e)
    Em caso de mortes, o prazo para emissão da CAT é de até quarenta e oito horas; em caso de feridos, o prazo é de até setenta e duas horas após o acidente.

81686 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

Mostrar/Esconder texto associado

As obras, mencionadas no TEXTO 08, foram embargadas devido ao acidente fatal, mas poderia ter um ou mais setores de serviço e/ou máquinas interditados se fossem constatadas situações de risco grave e iminente. Assinale a única alternativa CORRETA sobre embargo e interdição.

  • a)
    Condição de risco grave e iminente é aquela que pode provocar acidente de trabalho com lesão grave à integridade do empregado, mas não aquela que provoca a doença do trabalho.
  • b)
    Durante a vigência da interdição ou do embargo, não podem ser realizadas as atividades para a situação de risco grave e iminente.
  • c)
    O embargo implica apenas paralisação total da obra.
  • d)
    Os empregados devem receber os salários como se estivessem em efetivo exercício enquanto durar a paralisação devido ao embargo ou à interdição.
  • e)
    A interdição implica apenas a paralisação parcial da obra ou setor de serviço.

81687 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

A Engenharia de Segurança do Trabalho se utiliza de várias técnicas de análise de riscos tanto no âmbito da prevenção, quanto no aspecto da análise de infortúnios consumados. Quanto às diversas metodologias, “o uso de palavras-guias no desenvolvimento” e “o registro apenas de fatos na estratificação temporal das informações” se referem, respectivamente, às técnicas

  • a)
    “hazop” e “árvore das causas”.
  • b)
    “what if” e “árvore das causas”.
  • c)
    “hazop” e “what if”.
  • d)
    “fmea” e “what if”.
  • e)
    “fmea” e “hazop”.

81688 IF-PE (2016) - IF-PE - Engenheiro de Segurança do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho

A Higiene Ocupacional é uma importante ciência, bastante aplicada no mundo laboral da

atualidade, ao contrário do que acontecia na primeira metade do século passado quando as

condições de inúmeros trabalhos eram bastante insalubres e a sua aplicação ainda era tratada

como “algo novo e não muito acreditável".

Hoje, no Brasil e no mundo, o domínio da Higiene Ocupacional serve de base para a elaboração

de diversos programas de prevenção de acidentes e doenças ocupacionais elaborados por

profissionais habilitados, entre os quais destacamos o Programa de Prevenção de Riscos

Ambientais (PPRA), previsto na NR 9, da lei 6.514, do Ministério do Trabalho e Emprego. Este

programa, para ter o Documento Base elaborado, segue um protocolo que orienta como ele

deve ser tratado. Considere as alternativas a seguir e marque a única que expõe, numa ordem

sequencialmente CORRETA, as etapas que compõem tal documento.

  • a)
    Controle de riscos; Antecipação de riscos; Reconhecimento de riscos e Avaliação de Riscos.
  • b)
    Reconhecimento de riscos; Medição de riscos e Relatório global mensal.
  • c)
    Antecipação de riscos; Reconhecimento de riscos; Avaliação de Riscos e Controle de Riscos.
  • d)
    Reconhecimento de riscos; Avaliação de Riscos; Relatório Global anual e Plano de ações.
  • e)
    Avaliação de riscos; Controle de riscos; Antecipação de riscos e Reconhecimento de riscos.