26 resultados encontrados para . (0.008 segundos)

214573 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

O tabagismo é o principal fator de risco associado ao desenvolvimento da DPOC, mas não é o único. Hoje se sabe que, além das exposições ambientais, fatores individuais, genéticos, tornam algumas pessoas mais suscetíveis a desenvolverem a doença e a apresentarem doença mais grave. Tendo em vista os fatores de risco e marcadores prognósticos na DPOC, leia as afirmativas abaixo.

I. A exposição aos poluentes atmosféricos associa-se ao aumento de tosse, expectoração, dispneia e redução da função ventilatória.

II. A deficiência de alfa 1 antitripsina pode causar enfisema com características especiais: início precoce, ser panlobulado e mais predominante nos lobos inferiores.

III. A progressão da doença pode ser avaliada apenas pelo VEF1

IV. Apenas quinze a vinte por cento dos tabagistas desenvolvem a doença.

Estão corretas as afirmativas:

  • a)
    I, II e III.
  • b)
    I, II e IV.
  • c)
    I, III e IV.
  • d)
    II, III e IV.

214574 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

Um paciente masculino, 84 anos, ex-tabagista 50 maçosano, procurou pneumologista, com história de representar há cerca de três anos dispneia progressiva (atualmente para andar nos planos) e tosse seca. Negava hipertensão arterial sistêmica, diabetes ou outras comorbidades; não fazia uso de medicações. Paciente aposentado, funcionário público, sem exposição ambiental. Ao exame físico em bom estado geral. Sem gânglios periféricos palpáveis.

Pele íntegra. Ausculta cardíaca normal. Ausculta pulmonar estertores finos inspiratórios nas bases. Abdome normal.

Extremidades baqueteamento digital. Marcadores de cologenose normais. Prova de função pulmonar CVF 58%; VEF1 64%; difusão pulmonar para o monóxido de carbono 44%. Tomografia de alta resolução do tórax: opacidades reticulares, bronquiectasias/bronquiolectasias de tração, faveolamento, distorção da arquitetura pulmonar com predomínio subpleural e nos lobos inferiores. Com base na história clínica, função pulmonar e exame de imagem, marque a opção que contém o diagnóstico mais provável:

  • a)
    Fibrose pulmonar idiopática.
  • b)
    Sarcoidose.
  • c)
    Pneumonite de hipersensibilidade subaguda.
  • d)
    Pneumonia intersticial descamativa.

214582 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

Na avaliação do risco pré-operatório, o porte do procedimento operatório, a anestesia e as características do paciente devem ser levadas em consideração. Leia as afirmativas abaixo sobre os cuidados na avaliação do risco pré-operatório em portadores de doenças pulmonares crônicas.

I. No paciente portador de hiperresponsividade brônquica, o preparo pré-operatório (se a anestesia for geral) inclui a prescrição de corticoide oral e broncodilatadores inalatórios apenas no dia que antecede o procedimento cirúrgico.

II. A espirometria tem diversos papéis: avaliação do risco cirúrgico, antever dificuldade de desintubação ao final da anestesia geral e avaliação da necessidade de solicitação de vaga em unidade de terapia intensiva.

III. Antitussígenos podem ser ferramentas úteis quando os broncodilatadores associados aos corticosteroides são incapazes de controlar a tosse.

IV. A abstinência tabagística no período pré-operatório é mandatória. A farmacoterapia, com exceção da terapia de reposição da nicotina, deve ser iniciada quinze dias antes do ato cirúrgico para que a interrupção do tabaco coincida com o dia do procedimento cirúrgico.

Marque a opção que contém as afirmativas corretas:

  • a)
    I, II e III.
  • b)
    I, II e IV.
  • c)
    I, III e IV.
  • d)
    II, III e IV.

214583 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

A interpretação da espirometria deve ser feita em associação com os dados clínicos dos pacientes, com isto aumenta-se a acurácia da caracterização funcional obtida através da análise das curvas e valores obtidos.

Sobre a interpretação da espirometria, leia os enunciados abaixo:

I. CVF (capacidade vital forçad (distúrbio ventilatório restritivo) na maioria dos casos.

II. Uma redução importante da CVF (≤ 50% do valor previsto) tem forte associação com redução da CPT (capacidade pulmonar total).

III. A utilização de um limite fixo para definição de distúrbio ventilatório obstrutivo, razão VEF1/CVF abaixo de 70%, geralmente resulta em perda de diagnóstico de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônic IV. Distúrbio inespecífico caracteriza-se como redução da CVF associada à razão VEF1/CVF normal e CPT normal, podendo ocorrer em doenças como asma, DPOC, obesidade, sarcoidose e pneumonia de hipersensibilidade.

Estão corretas as afirmativas:

  • a)
    I, II e III
  • b)
    I, II e IV
  • c)
    I, III e IV
  • d)
    II, III e IV

214584 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

Os testes de função pulmonar estão sujeitos a influências técnicas e biológicas. As fontes mais importantes de variação da função pulmonar entre os indivíduos são dependentes de suas características demográficas. Sendo assim, os valores obtidos em espirometria devem ser comparados com valores de referência derivados de população com características semelhantes às pessoas estudadas no laboratório.

Marque a opção correta.

  • a)
    Os valores máximos de CVF são alcançados aos vinte e cinco anos em ambos os sexos.
  • b)
    A razão VEF1/CVF é maior no sexo masculino.
  • c)
    O sexo responde por 30% da variação na função pulmonar.
  • d)
    Os fluxos expiratórios aumentam com a idade.

214585 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

Os esquemas de tratamento da tuberculose são padronizados pelo Ministério da Saúde e disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde em todo o Brasil. Com respeito ao esquema atual de tratamento preconizado pelo Ministério da Saúde para adultos, marque a opção correta.

  • a)
    2 meses de rifampicina + isoniazida + pirazinamida e etambutol; seguidos por 4 meses de rifampicina + isoniazida.
  • b)
    2 meses de rifampicina + isoniazida + pirazinamida; seguidos por 4 meses de rifampicina + isoniazida.
  • c)
    4 meses de rifampicina + isoniazida + pirazinamida e etambutol; seguidos por 2 meses de rifampicina + isoniazida.
  • d)
    4 meses de rifampicina + isoniazida + pirazinamida; seguidos por 2 meses de rifampicina + isoniazida.

218631 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Raciocínio Lógico

Marcia recebeu seu salário e gastouno mercado e um

quinto do restante com vestuário, e ainda lhe sobrou do

salário R$ 1400,00. O salário que Marcia recebeu é igual a:

  • a)
    Um valor menor que R$ 2.500,00
  • b)
    R$ 2.800,00
  • c)
    Um valor entre R$ 2.500,00 e R$ 2.7.50,00
  • d)
    Um valor maior que R$ 2.800,00

228191 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

A pneumonia adquirida no hospital (PAH) é a segunda infecção hospitalar mais comum, sendo responsável por 25% das infecções adquiridas em unidades de terapia intensiva e 50% das prescrições de antibióticos, além de ser a principal causa de mortalidade por infecção nosocomial e aumentar o tempo de internação em sete a nove dias. Sobre o diagnóstico e tratamento da PAH, marque a opção correta:

  • a)
    A radiografia de tórax tem alta sensibilidade, porém baixa especificidade para o diagnóstico da PAH; sendo assim, a tomografia do tórax é indicada rotineiramente.
  • b)
    O diagnóstico clínico de pneumonia hospitalar é definido pela presença de um infiltrado radiológico novo ou progressivo associado a, pelo menos, dois dos seguintes sinais: febre (temperatura acima de 38º(C), secreção purulenta e leucocitose (acima de 10.000/ mm3 por milímetros cúbicos) ou leucopenia (abaixo de 4.000/ mm3 por milímetros cúbicos).
  • c)
    A coleta de amostras de secreção respiratória não está indicada em todos os casos, mas apenas em pacientes mais graves.
  • d)
    Tanto na pneumonia hospitalar de início precoce (até o 4º dia) como na pneumonia hospitalar de início tardio (a partir do 5º dia) predominam microorganismos resistentes.

228197 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

Alguns dados da história clínica de uma pessoa asmática indicam um maior risco de evolução para uma crise de asma quase fatal ou fatal, exceto:

  • a)
    Asma lábil, caracterizada por variabilidade acentuada da função pulmonar.
  • b)
    Má percepção do grau de obstrução por parte do paciente.
  • c)
    Presença de doença do refluxo gastroesofágico.
  • d)
    Baixo nível socioeconômico.

228213 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Pneumologia / Medicina

A DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) é a quarta causa de morte no mundo, e a sexta no Brasil, onde também é a quinta causa de hospitalizações no SUS.

Pacientes portadores de DPOC têm, portanto, maior risco de morbimortalidade e maior prejuízo de suas qualidades de vida, o que acarreta um custo pessoal e social muito grande com gastos com medicação, hospitalizações e idas ao pronto-socorro. Sobre a avaliação prognóstica e o tratamento da doença, marque a opção correta.

  • a)
    O VEF1 pós-broncodilatador é um excelente parâmetro de resposta ao tratamento principalmente nos pacientes que apresentam limitação acentuada ao fluxo aéreo.
  • b)
    As diretrizes para o diagnóstico e tratamento da DPOC recomendam a vacinação anti-influenza e antipneumocócica apenas para pacientes com VEF1
  • c)
    Os corticoides inalatórios estão indicados nos pacientes que apresentam VEF1
  • d)
    A N-acetilcisteína é um antioxidante, e seu uso regular em indivíduos com DPOC tem o potencial de diminuir a frequência de exacerbações e melhorar parâmetros da função pulmonar.