26 resultados encontrados para . (0.010 segundos)

210938 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

A insuficiência mitral pode ser decorrente de processos degenerativos próprios ou secundariamente adulterada por cardiomegalia severa, por exemplo, com distensão do anel valvar e tração dos papilares. No cenário dessa insuficiência mitral secundária, o estudo EVEREST II mostrou que:

  • a)
    Obteve resultados menos questionáveis por ter homogeneizado adequadamente grupos com valvopatia primária ou secundária.
  • b)
    A morbimortalidade precoce é estatisticamente igual, tanto com correção valvar cirúrgica como com o implante percutâneo de clipes valvares.
  • c)
    A correção valvar cirúrgica é claramente superior, a longo prazo, ao implante percutâneo de clipes valvares.
  • d)
    O implante percutâneo de clipes valvares é tecnicamente muito simples, demanda pouco treinamento específico e é custo-efetivo.

210939 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

Constitui indicação classe IIa para implante de marcapasso definitivo, com a finalidade de induzir movimento sistólico paradoxal do septo interventricular e alívio da obstrução ao ventrículo esquerdo nos pacientes portadores de cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva:

  • a)
    Pacientes com obstrução severa mesmo em repouso.
  • b)
    Pacientes sintomáticos e que recusem intervenção cirúrgica.
  • c)
    Nenhuma circunstância clínica.
  • d)
    Refratariedade ao uso de medicações em idosos > 75 anos.

210940 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

Em relação à febre reumática, observa-se que:

  • a)
    A baixa variabilidade da proteína M estreptocócica favorece o desenvolvimento da vacina contra o Streptococcus pyogenes, bem como a identificação dos epítopos que propiciam suas reações autoimunes.
  • b)
    Os determinantes genéticos de suscetibilidade são cada vez mais reconhecidos como decisivos para o desenvolvimento da doença, justificando a incidência quase imutável em algumas regiões.
  • c)
    O grande declínio de sua incidência no mundo não tem acarretado redução correspondente dos problemas valvares globais, posto que o aumento da expectativa de vida aumenta a representação das valvopatias degenerativas.
  • d)
    O uso prolongado de moduladores da resposta imune inata, como o metotrexate, em baixas doses, reduz a hipersensibilidade ao estímulo estreptocócico, dificultando recorrência dos surtos inflamatórios.

210978 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

Quanto aos infartos atriais, conhece-se que:

  • a)
    A menor distensão da parede atrial direita torna-a quase sempre mais preservada do que a atrial esquerda, apesar da maior oxigenação desta.
  • b)
    Envolvem mais o átrio direito que o esquerdo e se associam mais comumente com infartos do ventrículo esquerdo que do direito.
  • c)
    Não se associam à manifestações de localização eletrocardiográfica, sintomas específicos ou maior ocorrência de arritmias.
  • d)
    Não há descrição de casos de ruptura da parede atrial infartada, sendo mais comuns os episódios embólicos a partir de trombos murais atriais.

218503 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

No que tange aos aneurismas da aorta, tem-se por válido que:

  • a)
    Os acometidos por aneurismas da aorta torácica só raramente os apresentam na aorta ascendente ou na croça da aorta, sendo 70%, ou mais, dos casos inferiores à emergência da artéria subclávia esquerda.
  • b)
    Os aneurismas saculares são mais frequentes do que os aneurismas fusiformes e, habitualmente, associados a risco menor de ruptura e formação de pseudoaneurismas.
  • c)
    Se consideram pseudoaneurismas os abaulamentos significativos dos diâmetros aórticos consequentes a hematomas intramurais sem propriamente dissecção intimal.
  • d)
    Se uma região não tiver o diâmetro maior do que 3 cm ou aumentado em ao menos 50% em relação ao trecho aórtico imediatamente proximal, será considerada ectasia da aorta, não aneurisma.

218504 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

Os estudos mais recentes e acurados sobre as taxas de progressão da estenose valvar aórtica indicam que:

  • a)
    Embora se assumam valores médios de aumento do gradiente pressórico e da redução da área valvar a cada ano, na realidade esses valores mostram grande dispersão, tendendo a evoluir mais aceleradamente na presença de calcificação valvar, de doença arterial coronária ou com idades avançadas.
  • b)
    A avaliação hemodinâmica dos gradientes pressóricos e da área valvar tem custo-efetividade e acurácia comparáveis com as dos dados ecocardiográficos e não varia significativamente com agravamentos de insuficiência mitral, falência miocárdica, anemia, febre ou gravidez.
  • c)
    Na maioria dos pacientes, essas taxas de progressão são, diferentemente do que se pensava anteriormente, não só de evolução não linear como, em geral, mostram dissociações importantes, com a área valvar reduzindose e o pico de fluxo caindo proporcionalmente por falência ventricular.
  • d)
    Os valores médios de aumento do gradiente de pressão transvalvar aórtico estão estimados em 2 mmHg / ano, com redução da área valvar aórtica (calculada a partir do pico de fluxo sistólico) de 0,05 cm /ano, estabelecendo prazos médios de 25 anos até alcançar gradientes severamente altos.

218505 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

Para a anticoagulação de longo prazo nos portadores de próteses valvares metálicas, sabe-se que:

  • a)
    A composição de aspirina, clopidogrel e fondaparinux consegue efeitos não inferiores aos da varfarina, com menos complicações de todo tipo.
  • b)
    Valores laboratoriais de pico da varfarina (coleta até 2 horas após a tomad(A) são melhores indicadores de adequação do que os valores médios ou basais.
  • c)
    A bivalirudina é não inferior à varfarina nos efeitos desejados, junto a complicações hemorrágicas e trombóticas muito menores.
  • d)
    Dabigatran não se mostrou superior à varfarina nos efeitos desejados, junto a significativamente mais complicações tanto hemorrágicas quanto trombóticas.

218506 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

No caso das pericardites pós-infarto do miocárdio, as evidências são de que:

  • a)
    A incidência precoce dessas pericardites se relaciona à resposta autoimune, mais que ao tamanho do infarto.
  • b)
    A terapêutica trombolítica aumenta a incidência da forma precoce dessas pericardites.
  • c)
    A incidência precoce dessas pericardites é tão maior quanto maior o tamanho do infarto.
  • d)
    A detecção de atrito pericárdico costuma ser tardia nesses casos, sendo mais precoce a dor torácica recorrente.

218507 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Não classificada

Nos pacientes que apresentem infarto agudo do ventrículo direito, é possível:

  • a)
    Detectar o sinal de Kussmaul, elevação paradoxal inspiratória da pressão jugular.
  • b)
    Obter melhora hemodinâmica significativa com o uso de nitroglicerina sublingual.
  • c)
    Ter benefício desligando um eventual marca-passo unicameral ou bicameral à direita até cicatrização do infarto.
  • d)
    Encontrar elevações de ST ≥ 2 mm nas derivações V3 e V4.

232257 IBFC (2013) - EBSERH - Médico - Cardiologia - Hemodinâmica e Intervencionista / Raciocínio Lógico

Marcia recebeu seu salário e gastou no mercado e um

quinto do restante com vestuário, e ainda lhe sobrou do

salário R$ 1400,00. O salário que Marcia recebeu é igual a:

  • a)
    Um valor menor que R$ 2.500,00
  • b)
    R$ 2.800,00
  • c)
    Um valor entre R$ 2.500,00 e R$ 2.7.50,00
  • d)
    Um valor maior que R$ 2.800,00