134 resultados encontrados para . (0.008 segundos)

210571 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Não classificada

Os pneumócitos tipo II formam e secretam os surfactantes pulmonares e têm como função:

  • a)
    realizar troca gasosa no final do período gestacional.
  • b)
    auxiliar a circulação pulmonar.
  • c)
    alterar a tensão de superfície e ajudar a manter os pulmões inflados.
  • d)
    auxiliar na formação vascular pulmonar.

210572 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Não classificada

Considere verdadeiro (V ) ou falso (F ) as afirmações sobre hipocratismo digital. ( ) É uma manifestação relevante de doença cardiopulmonar. ( ) Caracteriza-se por aumento doloroso (hipertrofia) das falanges distais dos dedos das mãos e das unhas. ( ) A doença pulmonar infiltrada ou intersticial e bronquiectasias podem levar a esse tipo de sinal de deformação. ( ) A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) associadas a hipoxemia, podem levar ao hipocratismo digital. A sequência correta é:

  • a)
    V-F-V-F.
  • b)
    V-V-V-F.
  • c)
    F-V-V-F.
  • d)
    F-V-F-F.

210573 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Não classificada

A tuberculose é adquirida pela inalação de gotículas em suspensão aérea contendo o microrganismo (M.Tuberculosis), sendo assim:

  • a)
    as gotículas são depositadas na porção proximal das vias aéreas superiores estimulando a resposta imune.
  • b)
    seu diagnóstico pode ser fácil pelo fato da tosse e do infiltrado pulmonar serem frequentes.
  • c)
    a pneumonia é o sintoma mais comum, ocorrendo em 70% dos acometidos.
  • d)
    os pulmões são os maiores sítios de infecção.

210574 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Não classificada

Pacientes portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) sintomáticos e estáveis têm indicação para reabilitação pulmonar, que consiste em exercícios físicos, que comprovadamente:

  • a)
    melhoram a capacidade funcional.
  • b)
    aumentam a função pulmonar.
  • c)
    aumentam a sobrevida.
  • d)
    diminuem as exacerbações agudas da doença.

210575 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Não classificada

Nos casos de fraqueza grave da musculatura respiratória nas doenças neuromusculares dos adultos, quando o paciente desenvolve hipoventilação pulmonar e retenção de CO2 , é possível identificar pelas queixas:

  • a)
    cansaço, sonolência diurna excessiva, alteração da função digestória e intestinal.
  • b)
    ansiedade, irritabilidade, obesidade, cansaço.
  • c)
    cansaço, sonolência diurna excessiva, irritabilidade, perda de peso.
  • d)
    ansiedade, irritabilidade, sangramento gengival, manchas arroxeadas nos membros.

210586 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Fisioterapia

Quando os exercícios abdominais são realizados

repetidamente com os membros inferiores fletidos e os

pés no chão, biomecanicamente pode ser observada a

sequência da:

  • a)

    força e resistência à fadiga dos músculos abdominais superiores, sem trabalho dos flexores de quadril.

  • b)

    capacidade de flexão da coluna com as costas arqueadas, sobrecarregando a lombar e os joelhos.

  • c)

    força e resistência à fadiga dos músculos flexores do quadril e seu desempenho em manter a estabilização dos pés.

  • d)

    flexão do tronco antes de iniciar a flexão do quadril e abdução dos membros inferiores, impedindo a ação dessa musculatura, para não haver fadiga.

210587 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Não classificada

Associe corretamente as alterações cognitivas que podem estar presentes nos pacientes com lesões encefálicas.



A correlação correta se estabelece em:

  • a)
    1C, 2A, 3D, 4B.
  • b)
    1A, 2C, 3D, 4B.
  • c)
    1B, 2A, 3C, 4D.
  • d)
    1C, 2B, 3A, 4D.

210588 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Fisioterapia

Após a realização de cirurgia de alongamentos

musculares nos membros inferiores, nas crianças com

patologias neurológicas, o tratamento fisioterapêutico

a ser instituído é:

  • a)

    mobilização passiva e ativa assistida nos primeiros dias de pós-operatório (PO), posicionamento sentado após 15° dia intercalando com decúbito ventral, ortostatismo e marcha com órteses assim que for liberado pelo médico.

  • b)

    mobilização passiva e ativa assistida após 30 dias de pós-operatório (PO), ortostatismo e marcha com lonas extensoras e órteses após 60 dias da cirurgia.

  • c)

    mudanças de decúbito nos primeiros dias de pósoperatório (PO), mobilização passiva sem amplitude completa, alongamentos suaves, alinhamento postural em pé sem órteses após 30 dias de pós-operatório (PO).

  • d)

    mudanças de decúbito nos primeiros dias de pósoperatório (PO), mobilização passiva, posicionamento sentado após 45 dias de pós-operatório (PO), prancha ortostática após 60 dias de pós-operatório (PO).

210589 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Fisioterapia

Na presença de malformação congênita com hemimelia

terminal femoral ou tibial, a protetização é recomendada

quando a criança:

  • a)

    começa a ficar em pé com apoio, por volta de 18 a 24 meses de idade, pelo atraso do desenvolvimento motor que se associa a esses quadros.

  • b)

    começa a ficar em pé com apoio, por volta de 10 a 18 meses de idade.

  • c)

    começa a ficar sentada sem apoio, por volta de 9 a 12 meses de idade, pelo atraso do desenvolvimento motor que se associa a esses quadros.

  • d)

    após o fechamento do desenvolvimento motor básico aos 24 meses de idade.

210590 IBFC (2013) - EBSERH - Fisioterapeuta / Não classificada

Na pneumatocele pode ocorrer:

  • a)
    hiperensuflação difusa por obstrução dos brônquios.
  • b)
    consolidação produzindo uma opacidade segmentar.
  • c)
    dilatação anormal e irreversível da árvore brônquica.
  • d)
    ruptura das paredes alveolares e surgimento de “bolhas”.