28 resultados encontrados para . (0.010 segundos)

210599 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

Além do cátodo e do ânodo, principais constituintes do tubo de raios-X, são necessários outros componentes para o funcionamento do tubo, como o rotor, o sistema de condução de calor, o gerador e o transformador. A respeito desses componentes, assinale a alternativa incorreta:

  • a)
    O transformador é responsável por transformar a tensão da rede elétrica (em geral, de 100 e/ou 220 Volts) em alta tensão (dezenas ou centenas de kV, (quiloVolts), aser aplicada entre o ânodo e o cátodo.
  • b)
    O sistema de condução de calor possui um mecanismo à óleo, que é um bom condutor de calor e de eletricidade. Quando o tubo esquenta e a expansão do óleo atinge m determinado limite, o sistema é automaticamente desligado até o tubo esfriar.
  • c)
    O rotor gira o disco de tungstênio (ânodo), aumentando a carga de calor suportada pelo tubo.
  • d)
    O transformador é responsável por transformar a tensão da rede elétrica (em geral, de 100 e/ou 220 Volts) em baixa tensão (cerca de 10 Volts) para alimentação do circuito do filamento (cátodo).

210600 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

A fluoroscopia é uma técnica que permite obter imagens de raios-X em tempo real, auxiliando no posicionamento de cateteres em procedimentos angiográficos, permitindo estudos do movimento gastrointestinal ou do coração (cinecardiografia), entre outras aplicações médicas. O tubo de raios-x, os filtros e os colimadores são similares aos usados em radiografia convencional, enquanto que o intensificador de imagem é o componente principal que distingue a fluoroscopia das outras modalidades. Isso porque, em um minuto de feixe de fluoroscopia ligado são produzidas 1800 imagens, portanto, para que a dose no paciente não inviabilize a realização do exame é necessário um sistema com maior eficiência para que cada imagem (frame) seja produzida com relativamente poucos fótons de raios-X. A respeito dos componentes do intensificador de imagens usado em fluoroscopia, pode-se afirmar que: (I ) A tela de entrada consiste de uma camada de iodeto de césio (CsI ) que converte os raios-X em luz visível. Comparado aos fósforos adotados em intensificadores de radiografias convencionais, o CsI possui alta eficiência, às custas de maior sensibilidade à umidade e baixa resistência mecânica. (II ) Os fótons de luz visível produzidos pelo fósforo de entrada atingem o fotocatodo, causando a emissão de elétrons. (III ) Os elétrons emitidos pelo fotocatodo são acelerados em um tubo de vácuo, para produção de um número maior de elétrons (ganho eletrônico). (IV ) O padrão ou a forma da distribuição de elétrons que saem da tela de entrada é mantido, embora o tamanho do feixe seja aumentado através de lentes eletrônicas. (V ) O feixe de elétrons magnificado atinge o anodo e um fósforo de saída, feito de ZnCdS:Ag, cuja emissão de luz visível de cor azul casa com a sensibilidade de vários materiais usados em vídeo-câmeras.

  • a)
    Apenas as afirmações (I ), (II ), (IV ) e (V ) estão corretas.
  • b)
    Apenas as afirmações (I ), (II ), (III ) e (V ) estão corretas.
  • c)
    Apenas as afirmações (I ), (II ) e (III ) estão corretas.
  • d)
    Todas as afirmações estão corretas.

210601 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

A respeito dos limites de dose estabelecidos pela Comissão Nacional de Energia Nuclear, assinale a alternativa incorreta:

  • a)
    Não se aplicam a exposições médicas, como exames e tratamentos realizados pelo trabalhador.
  • b)
    No dia-a-dia estamos expostos à radiação ionizante proveniente de diversas fontes, naturais e artificiais. Essas doses devem ser incluídas quando se considera o limite de dose de público.
  • c)
    Para acompanhantes e voluntários que eventualmente assistem pacientes, as doses devem ser restritas de forma que seja improvável que a dose por eles recebida ultrapasse 5 mSv (milissievert).
  • d)
    A visita de crianças para pacientes que receberam administração de material radioativo só é permitido caso seja improvável que a dose recebida pela criança exceda o limite de 1mSv (milissievert)

210602 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

As processadoras dos filmes de raios-x são os instrumentos menos precisos no processo de geração de imagens diagnósticas, devido à natureza química do processo de revelação. Por este motivo, um programa de controle de qualidade na área de radiologia deve começar pela processadora de imagens radiográficas. O Controle de qualidade diário da processadora deve ser feito através do monitoramento da temperatura dos químicos e dos índices de contraste, velocidade e nível de “base+fog”. A respeito dos testes de controle de qualidade neste equipamento, é incorreto afirmar que:

  • a)
    Para realizar o controle de qualidade diário, são necessários no mínimo um sensitômetro, um densitômetro e um termômetro.
  • b)
    O filme é exposto a diferentes níveis de exposição de luz utilizando-se um sensitômetro e, após passar pela processo de revelação, utiliza-se o densitômetro paramedir a densidade ótica (OD) em vários pontos do filme já processado.
  • c)
    O nível de “base+fog” consiste em medir a OD em qualquer parte não exposta do filme.
  • d)
    O índice de velocidade é medido sempre no degrau de máxima densidade ótica.

210603 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

Além de estabelecer quais os testes devem estar incluídos no programa de garantia de qualidade, a Portaria 453 exige a frequência mínima que tais testes devem ser executados. Os testes recomendados estão agrupados, de (I ) a (VI ), de acordo com a periodicidade de sua realização. Assinale a alternativa que relaciona corretamente a frequência de execução dos testes de cada um dos subgrupos abaixo: (I ) Exatidão do indicador de tensão do tubo (kV), exatidão do tempo de exposição, linearidade da taxa de kerma no ar com o mAs, reprodutibilidade da taxa de kerma no ar. (II ) Medida do tamanho do ponto focal, rendimento do tubo e da camada semi-redutora. (III ) Exatidão do sistema de colimação e resolução de baixo e alto contraste para fluoroscopia. (IV ) Integridade das telas e chassis, contato tela-filme, alinhamento da grade e condições dos negatoscópios. (V ) Temperatura e sensitometria do sistema de processamento de imagens (VI ) Calibração, constância e uniformidade dos números de CT.

  • a)
    Anuais: (I ), (II ) e (IV ), semestrais: (III ) e (VI ), semanais: (V ).
  • b)
    Anuais: (I ) e (II ), semestrais: (III ) e (IV), semanais: (V ) e (VI).
  • c)
    Anuais: (I ) e (II ), semestrais: (III ), (IV ) e (VI ), semanais: (V ).
  • d)
    Anuais: (I ), (II ) e (VI), semestrais: (III ) e (IV ), semanais: (V ).

218765 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

Em um exame de radiografia convencional, a imagem produzida pela transmissão de raios-X através do paciente pode ser registrada em um sistema que consiste em uma “cassete” contendo um filme fotossensível e uma ou duas telas intensificadoras. A respeito do uso das telas intensificadoras, pode-se dizer: (I ) Embora sejam largamente empregados em exames de radiografia convencional, os filmes radiográficos são relativamente insensíveis aos fótons de raios-X e, em média, apenas 5% do escurecimento do filme são resultado direto da sensibilização da emulsão do filme pelos próprios raios-X. As telas intensificadoras é que são responsáveis por cerca de 95% do nível de enegrecimento do filme. (II ) As telas intensificadoras constituem-se de uma base plástica à qual é aderida uma camada de material cintilante, em geral, fósforo de terras raras. (III ) A energia dos raios-x é absorvida pela tela intensificadora e transformada em energia visível ou ultravioleta (UV ). Esses fótons de luz visível ou UV é que sensibilizam a emulsão do filme radiográfico, causando o enegrecimento do filme.

  • a)
    Todas as afirmações estão corretas.
  • b)
    Apenas as afirmações (I ) e (III ) estão corretas.
  • c)
    Apenas as afirmações (II ) e (III ) estão corretas.
  • d)
    Apenas as afirmações (I ) e (II ) estão corretas.

218766 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

As diferenças de composição e densidade dos tecidos humanos, quando atravessados por um feixe de raios-X, são responsáveis pela característica na imagem radiográfica, definida como:

  • a)
    Resolução espacial.
  • b)
    Contraste.
  • c)
    Nitidez.
  • d)
    Resolução temporal.

218767 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

Os princípios básicos de radioproteção são:

  • a)
    Limitação dos riscos de efeitos estocásticos e determinísticos, justificativa e otimização.
  • b)
    Prevenção dos efeitos estocásticos, justificativa e otimização.
  • c)
    Limitação do risco de efeitos determinísticos e otimização.
  • d)
    Otimização e justificativa.

218768 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

A tabela abaixo mostra o histórico de doses (expressas

em milissievert, mSv) recebidas por dois técnicos de

radiologia, designado por A e B. Considerando os limites

de dose estabelecidos pela CNEN NN 3.01, os valores

limites de dose que os trabalhadores A e B podem receber

em 2013 sem que sejam afastados de suas funções são,

respectivamente:



  • a)
    20 mSv, 20 mSv.
  • b)
    20 mSv, 50 mSv.
  • c)
    20 mSv, 77 mSv.
  • d)
    50 mSv, 50 mSv.

218769 IBFC (2013) - EBSERH - Físico - Física Médica - Radiodiagnóstico / Não classificada

Segundo a Portaria 453, os titulares dos serviços de radiodiagnóstico são responsáveis por implementar um programa de garantia da qualidade, integrante do programa de proteção radiológica. Assinale a alternativa que indica quais das afirmações abaixo referem-se corretamente às exigências da Portaria 453: (I ) Toda vez que for realizado qualquer ajuste ou alteração nas condições físicas originais do equipamento de raiosX, deve ser realizado um teste de desempenho correspondente ao parâmetro modificado. (II ) Após toda troca de tubo, sistema de colimadores ou manutenções no cabeçote, a adequação da blindagem do cabeçote e do sistema de colimação deve ser comprovada. (III ) Os instrumentos utilizados para medidas dos níveis de radiação em levantamentos radiométricos e em dosimetria de feixe devem ser calibrados anualmente em laboratórios credenciados, rastreados à rede nacional ou internacional de metrologia das radiações ionizantes.

  • a)
    As afirmações (I ) , (II ) e (III ) estão corretas.
  • b)
    Apenas as afirmações (II ) e (III ) estão corretas.
  • c)
    Apenas as afirmações (I ) e (III ) estão corretas.
  • d)
    Apenas as afirmações (I) e (II) estão corretas.