26 resultados encontrados para . (0.010 segundos)

210735 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

A Vigilância do Desenvolvimento Infantil compreende todas as atividades relacionadas à promoção do desenvolvimento normal e à detecção de problemas no desenvolvimento, durante a atenção primária à saúde da criança. É um processo contínuo, flexível, podendo envolver informações dos profissionais de saúde, pais, professores e outros. Com relação ao desenvolvimento infantil de crianças menores de um mês, esperam-se as seguintes reações:

  • a)
    Colocada em superfície plana e de barriga para cima, movimenta ativamente os membros; tem capacidade de observar um rosto a 30 centímetros dos seus olhos, de emitir sons e de virar a cabeça, quando colocada de bruços.
  • b)
    Colocada em superfície plana e de barriga para cima, movimenta ativamente os membros e a cabeça; tem capacidade de acompanhar a movimentação da mãe, de reagir ao som e de elevar a cabeça, quando colocada de bruços.
  • c)
    Colocada em superfície plana e de barriga para cima, mantém pernas e braços fletidos e cabeça lateralizada; tem capacidade de acompanhar a movimentação da mãe, de emitir sons e de virar a cabeça, quando colocada de bruços.
  • d)
    Colocada em superfície plana e de barriga para cima, mantém pernas e braços fletidos e cabeça lateralizada; tem capacidade de observar um rosto a 30 centímetrosdos seus olhos, de reagir ao som e de elevar a cabeça, quando colocada de bruços.

210736 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), são inúmeras as vantagens da amamentação, especialmente nos primeiros meses de vida. Ela garante, em muitos casos, a sobrevivência das crianças e, particularmente, daquelas em condições desfavoráveis e/ou que nascem com baixo peso. Quanto mais a criança mamar no peito, mais protegida estará. Analise as afirmações a seguir e assinale a alternativa correta com relação às categorias de Aleitamento Materno definidas pela OMS. I.Aleitamento materno exclusivo é definido quando a criança recebe somente leite materno, diretamente da mama ou extraído, e nenhum outro líquido ou sólido, com exceção de gotas ou xaropes de vitaminas, minerais e/ou medicamentos. II.Aleitamento materno misto é definido quando a criança recebe, além do leite materno, água ou bebidas à base de água e sopas processadas, com ou sem carne. III.Aleitamento materno predominante é definido quando a criança recebe, além do leite materno, água ou bebidas à base de água, como sucos de frutas e chás. IV.Aleitamento materno é definido quando a criança recebe leite materno, diretamente do seio ou extraído, independente de estar recebendo qualquer alimento ou líquido, incluindo leite não-humano. Estão corretas as afirmativas:

  • a)
    I, II e III apenas.
  • b)
    II, III e IV apenas.
  • c)
    I, II e IV apenas.
  • d)
    I, III e IV apenas.

210737 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

Infelizmente, apesar de certos cuidados e observação do local de infusão, às vezes ocorrem infiltrações de medicamentos ou infusões venosas nas vias de administração periféricas. Os sinais de infiltração ou extravasamento endovenoso periférico possuem características distintas, dependendo do tipo de medicamento ou solução que extravasa. Analise as afirmações a seguir e assinale a alternativa correta. I.O extravasamento de solução endovenosa para fora da parede vascular pode causar irritação, isquemia e destruição tecidual com necrose. II.Lesões que ocorrem nas extremidades, como pés e mãos, podem atingir outras estruturas, inclusive tendões e nervos, causando alterações nos movimentos das extremidades. III.O tratamento não medicamentoso recomendado inclui a aplicação de calor úmido ou de compressas frias, a cada 15 minutos, por aproximadamente duas horas. IV.Entre os fatores que contribuem para a ocorrência de extravasamento ou infiltração estão: má perfusão periférica, visualização inadequada do local da infusão e demora para interromper a infusão, mesmo aos primeiros sinais de irritação. Estão corretas as afirmativas:

  • a)
    I, II e III apenas.
  • b)
    II, III e IV apenas.
  • c)
    I, II e IV apenas.
  • d)
    I, III e IV apenas.

210738 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

Insuficiência respiratória em recém-nascidos é uma resposta clínica de diferentes patologias, que podem colocar em perigo a vida e a integridade neurológica da criança. O diagnóstico clínico se estabelece com a presença de um ou mais dos seguintes sinais:

  • a)
    Frequência respiratória igual ou superior a 50 inspirações por minuto em condições basais; pontuação do Boletim de Silverman Andersen maior ou igual a um (1); esforço respiratório débil ou irregular e apneia recorrente com duração maior que 20 segundos, acompanhada defrequência cardíaca menor que 100bpm e/ou cianose central generalizada.
  • b)
    Frequência respiratória igual ou superior a 60 inspirações por minuto em condições basais; pontuação do Boletim de Silverman Andersen inferior a um (1 ); esforço respiratório débil ou irregular e apneia recorrente com duração superior a cinco (5 ) segundos acompanhada de frequência cardíaca menor que 100bpm e/ou cianose central generalizada.
  • c)
    Frequência respiratória igual ou superior a 60 inspirações por minuto em condições basais; esforço respiratório débil ou irregular e apneia recorrente com duração maior que 20 segundos, acompanhada de frequência cardíaca menor que 100bpm e/ou cianose central generalizada.
  • d)
    Frequência respiratória igual ou superior a 40 inspirações por minuto em condições basais; pontuação do Boletim de Silverman Andersen inferior a um (1); esforço respiratório débil ou irregular e apneia recorrente com duração maior que 20 segundos, acompanhada defrequência cardíaca menor que 100bpm e/ou cianose central generalizada.

210739 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

A associação entre hipertensão e gravidez é perigosa, relativamente frequente e responsável por taxas elevadas de morbidade e mortalidade perinatal e materna. Na mulher tal associação pode determinar crises convulsivas, acidente vascular cerebral, edema agudo de pulmão, insuficiência renal aguda e distúrbios de coagulação, entre outros problemas. Considerando o feto/recém-nascido, as síndromes hipertensivas da gestação podem provocar:

  • a)
    Macrossomia, sofrimento fetal agudo e crônico e nascimento pós termo.
  • b)
    Rotura hepática, macrossomia, prematuridade induzida e óbito intrauterino.
  • c)
    Restrição de crescimento intrauterino, sofrimento fetal agudo e nascimento pós termo.
  • d)
    Restrição de crescimento intrauterino, sofrimento fetal crônico e prematuridade induzida.

218863 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

A Portaria nº 930 do Ministério da Saúde do Brasil, de 10 de maio de 2012, define as diretrizes e objetivos para a organização da atenção integral e humanizada ao recém-nascido grave ou potencialmente grave e os critérios de classificação e habilitação de leitos de Unidade Neonatal no âmbito do Sistema Único de Saúde. De acordo com essa Portaria, a equipe de enfermagem de uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal Tipo II deve ser composta, no mínimo, por:

  • a)
    Um enfermeiro coordenador, com jornada horizontal diária de 8 horas, com habilitação em neonatologia ou no mínimo dois anos de experiência profissional comprovada em terapia intensiva pediátrica ou neonatal; um enfermeiro assistencial para cada dez leitos ou fração em cada turno e um técnico de enfermagem para cadadois leitos em cada turno.
  • b)
    Um enfermeiro coordenador, com jornada horizontal diária de 8 horas, com habilitação em neonatologia ou no mínimo dois anos de experiência profissional comprovada em terapia intensiva pediátrica ou neonatal; um enfermeiro assistencial para cada cinco leitos ou fração em cada turno e um técnico de enfermagem paracada três leitos em cada turno.
  • c)
    Um enfermeiro coordenador, com jornada horizontal diária de 6 horas, com habilitação em neonatologia ou no mínimo um ano de experiência profissional comprovada em terapia intensiva pediátrica ou neonatal; um enfermeiro assistencial para cada dez leitos ou fração em cada turno e um auxiliar de enfermagem para cadatrês leitos em cada turno.
  • d)
    Um enfermeiro coordenador, com jornada horizontal diária de 8 horas, com especialização em terapia intensiva ou cuidado a pacientes críticos; um enfermeiro assistencial para cada oito leitos ou fração em cada turno e um técnico de enfermagem para cada dois leitos em cada turno.

218864 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

Para Carpenito (2011), os enfermeiros são responsáveis pelo tratamento de dois tipos de julgamentos ou diagnósticos clínicos: os diagnósticos de enfermagem e os problemas colaborativos. Existem diferentes tipos de diagnóstico de enfermagem: real, de risco, de bemestar ou de síndrome. Um diagnóstico de enfermagem real descreve um julgamento clínico que o enfermeiro validou devido à presença de características definidoras maiores. Analise as afirmações a seguir e assinale a alternativa que contém exclusivamente diagnósticos de enfermagem do tipo real.

  • a)
    Padrão ineficaz de alimentação do bebê relacionado à etargia, secundária à prematuridade; Comportamento desorganizado do bebê relacionado à imaturidade do sistema nervoso central e à estimulação excessiva; Termorregulação ineficaz relacionada à transição do recém-nascido para o ambiente extrauterino.
  • b)
    Risco de vínculo prejudicado relacionado à interrupção do processo de ligação secundária à doença do recémnascido; Padrão ineficaz de alimentação do bebê relacionado à letargia, secundária à prematuridade; Comportamento desorganizado do bebê relacionado à imaturidade do sistema nervoso central e à estimulaçãoexcessiva.
  • c)
    Comportamento desorganizado do bebê relacionado à imaturidade do sistema nervoso central e à estimulação excessiva; Termorregulação ineficaz relacionada àtransição do recém-nascido para o ambiente extrauterino; Risco de glicemia instável relacionado ao monitoramento inadequado da glicemia.
  • d)
    Risco de vínculo prejudicado relacionado à interrupção do processo de ligação secundária à doença do recémnascido; Risco de glicemia instável relacionado aomonitoramento inadequado da glicemia; Risco de infecção, relacionado ao contato com agentes contagiosos no hospital.

218865 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

O Conselho Federal de Enfermagem, com a Resolução 258/2001, tornou lícito ao enfermeiro qualificado por treinamento complementar a inserção de Cateter Venoso Central de Inserção Periférica (PICC). Sobre esse procedimento, é correto afirmar que

  • a)
    O local preferido para a punção é a veia umbilical, pela facilidade de acesso e menor risco de complicações após a inserção do cateter.
  • b)
    Quando utilizado para infusão de nutrição parenteral, recomenda-se intercalar com a infusão de sangue ou outros hemoderivados, para evitar obstrução.
  • c)
    O cateter é dispositivo de fácil instalação, pode permanecer por período de tempo prolongado e associase a menor risco de complicações mecânicas e infecciosas.
  • d)
    Na ausência de complicações o cateter pode permanecer inserido por até 48 horas, devendo ser retirado em seguida, devido ao risco de contaminação.

218866 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

Os sinais e sintomas de dificuldade respiratória são manifestações clínicas importantes e comuns logo após o nascimento. O desconforto respiratório pode representar condição benigna, mas também pode ser o primeiro sinal de uma infecção grave e potencialmente letal. Assim, após o reconhecimento da insuficiência respiratória, deve-se avaliar a gravidade do quadro, identificando sinais de alerta que representem condição de ameaça à vida e necessidade de instituição imediata de suporte ventilatório. São sinais de quadro grave:

  • a)
    Acrocianose, respiração do tipo Gasping e apneia acompanhada de bradicardia.
  • b)
    Queda na saturação de oxigênio, cianose central e taquipneia sem desconforto respiratório
  • c)
    Acrocianose, respiração periódica e cianose central.
  • d)
    Respiração do tipo Gasping e apneia acompanhada de bradicardia e cianose central.

218867 IBFC (2013) - EBSERH - Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal / Não classificada

De modo geral, as alterações metabólicas que ocorrem na gestante diabética são semelhantes às que ocorrem em gestantes normais: no início da gravidez observa-se tendência a glicemias de jejum mais baixas e discreta redução na necessidade de insulina exógena entre aquelas que usam insulina regularmente. Com o evoluir da gestação se estabelece quadro de resistência à insulina, sendo necessárias quantidades progressivamente maiores de insulina exógena para o adequado controle do diabetes. Analise as afirmações a seguir, relativas a associação entre gravidez e diabetes e assinale a alternativa correta. I.Gestantes diabéticas são mais propensas a processos infecciosos, especialmente do trato urinário e a doença hipertensiva específica da gravidez. II.A incidência de abortamento em gestantes diabéticas aumenta à medida que complicações vasculares, renais e retinianas surgem. III.Oligo-hidrâmnio, associado ou não à restrição de crescimento intrauterino, está entre as principais complicações das gestantes diabéticas. IV.As duas principais complicações específicas do filho de mãe diabética são os problemas respiratórios, principalmente a doença de membrana hialina e a hipoglicemia. Estão corretas as afirmativas:

  • a)
    I, II e III apenas.
  • b)
    II, III e IV apenas.
  • c)
    I, II e IV apenas.
  • d)
    I, III e IV apenas.