34 resultados encontrados para . (0.008 segundos)

144750 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Museologia

O Comitê para a Museologia do Conselho Internacional de Museus (Icofom/Icom), desde a sua criação, discute, entre outros temas, o objeto de estudo da museologia. Alguns dos autores estão alinhados pela concepção de relação entre o homem e a realidade. De acordo com a publicação O objeto de estudo da museologia, (1994) de Peter van Mensch, esses autores são as seguintes:

  • a)
    Zbynek Z. Stránský, Anna Gregorová, Wojciech Gluzinski e Waldisa Rússio [Carmargo Guarnieri].
  • b)
    Zbynek Z. Stránský, Anna Gregorová e Waldisa Rússio [Carmargo Guarnieri].
  • c)
    Zbynek Z. Stránský, Anna Gregorová, Peter van Mensch e Waldisa Rússio [Carmargo Guarnieri].
  • d)
    Zbynek Z. Stránský, Anna Gregorová, Ivo Maroevic e Waldisa Rússio [Carmargo Guarnieri].
  • e)
    Zbynek Z. Stránský, Anna Gregorová, Peter van Mensch e Ivo Maroevic.

144751 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Museologia

De acordo com Zbynek Zbyslav Stránský (1980), metamuseologia se refere a

  • a)
    exposição como objeto de estudo.
  • b)
    museu como fenômeno.
  • c)
    teoria museológica.
  • d)
    entrelaçamento entre museologia e museu.
  • e)
    museologia social e museus comunitários.

144752 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Museologia

O debate fundamentado na “desescolarização dos museus” foi iniciado por qual autor, em que circunstância e em que ano?

  • a)
    Vera Maria Abreu Alencar, na dissertação de mestrado Museu – Educação se faz caminho ao andar, em 1987.
  • b)
    Maria Margaret Lopes, na dissertação de mestrado Museu: uma perspectiva de educação em geologia, em 1988.
  • c)
    Maria Margaret Lopes, no artigo Resta algum papel para o(a) educador(a) ou para o público nos museus, publicado no Boletim do CECA-BRASIL, em 1997.
  • d)
    Luciana Sepúlveda Köptcke, na tese de doutorado Les enseignants et l`exposition scientifique: une étude l`appropiation pédagogiques des expositions et du rôle de médiateur de l`enseignant pendant la visite scolaire, em 1998.
  • e)
    Luciana Sepúlveda Köptcke, no artigo Analisando a dinâmica da relação museu-educação-formal, em 2001/2002.

144753 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Museologia

O pioneiro, em 1968, da reflexão a respeito da comunicação em museus, trazendo para o debate o aporte de modelos de outras áreas, foi

  • a)
    Duncan Cameron.
  • b)
    Roger Miles.
  • c)
    Jean Davallon.
  • d)
    Eilean Hooper-Greenhill.
  • e)
    Ángela García Blanco.

144754 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Museologia

Cada classe de profissionais segue o próprio código de ética e há legislação para que a sociedade saiba o que esperar no sistema democrático. Se ética é a busca daquilo que é bom para uma categoria de profissionais (no caso, todos aqueles que trabalham no museu), ela pode ter uma dimensão prática, por trazer respostas a problemas em forma de regras (no caso, para a atuação dos museus). A esse respeito, é correto afirmar que há alcance ético no Código de Ética do

  • a)
    Icom e na Lei Federal no 11.904/2009, que instituiu o Estatuto de Museus.
  • b)
    Icom e na Lei Federal no 7.287/1984, que instituiu a profissão de museólogo.
  • c)
    Icom e no Decreto Federal no 91.775/1985, que regulamenta a Lei Federal no 7.287/1984.
  • d)
    Icom e no Sistema Brasileiro de Museus.
  • e)
    Icom, apenas.

144755 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Museologia

O que há de contemporâneo na comunicação museológica e que alcança as ações comunicacionais em museus?

  • a)
    O domínio do processo de transmissão e transferência da informação, considerando adequações e uma dinâmica de decodificaçãorecodificação-decodificação. Esse domínio chega aos museus, corroborando com os processos expográficos e educacionais, principalmente nos museus de ciência.
  • b)
    A formação de público, entendendo que o domínio da instituição traria um novo papel para o visitante, para que ele tenha autonomia para usar o museu a partir de seu potencial e características.
  • c)
    Novas perspectivas para os museus, assim como novos modelos de museus. Os museus, desde o pós segunda Guerra Mundial, vem se modificando, particularmente no que refere à sua relação com o público e com as formas de formação e interpretação de coleções. Pela demanda social, em participar da patrimonialização e musealização, novos modelos institucionais surgiram com participação.
  • d)
    O entendimento de que a museologia fornece os pressupostos teóricos e conceituais para que a comunicação aconteça no museu, de forma a promover a interdisciplinaridade e a qualidade das exposições.
  • e)
    A visão de que comunicação é um processo que integra condições de produção, veiculação e recepção. A integração recoloca o público no processo comunicacional, assim como reinventa o profissional de museu, porque estabelece uma conexão entre enunciação e enunciatário e situa, nessa conexão, parte da eficácia comunicacional.

153952 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Português

Mostrar/Esconder texto associado

Quanto à pontuação em “Já casado com a piauiense Maria Sena, que conhecera no Rio, conseguiu um emprego de contínuo na UnB.” (linhas de 15 a 17), assinale a alternativa correta.

  • a)
    Entre “piauiense” e “Maria Sena”, poderia ter sido empregada uma vírgula.
  • b)
    O emprego da vírgula, nas duas ocorrências, é obrigatório.
  • c)
    O emprego da vírgula, nas duas ocorrências, é facultativo.
  • d)
    O emprego da vírgula, nas duas ocorrências, é proibido.
  • e)
    Antes de “na UnB” deveria ter sido empregada obrigatoriamente uma vírgula.

163535 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Português

Mostrar/Esconder texto associado

De acordo com a norma-padrão, assinale a alternativa correta acerca do emprego das palavras no texto.

  • a)
    No período “Teodoro Freire punha o pilão na rede em que dormia para disfarçar” (linhas 2 e 3), “em que” não poderia ser substituído por onde.
  • b)
    Em “deu-lhe uma bronca” (linha 6), no lugar do pronome destacado, poderia ser empregado o pronome o.
  • c)
    Na oração “Ela foi aceitando aos poucos a participação de Teodoro em festas populares.” (linhas 6 e 7), o pronome em destaque poderia ser substituído pela expressão Esta senhora.
  • d)
    A conjunção destacada no período “e organizou o bumba meu boi com a ajuda de um deputado conterrâneo.” (linhas de 10 a 12) tem valor adversativo, logo, poderia ser substituída por mas.
  • e)
    Na linha 18, a conjunção destacada em “como conta a família, por 28 anos.” poderia ser substituída por segundo.

163536 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Português

Mostrar/Esconder texto associado

De acordo com a norma-padrão e as questões gramaticais que envolvem o trecho “Frustrei-me por não ver o Escola” (linha 27), é correto afirmar que

  • a)
    “me” poderia ser deslocado para antes do verbo que acompanha.
  • b)
    “me” deveria obrigatoriamente ser deslocado para antes do verbo que acompanha.
  • c)
    a ênclise em “Frustrei-me” é facultativa.
  • d)
    a inclusão do advérbio Não, no início da oração “Frustrei-me”, tornaria a próclise obrigatória.
  • e)
    a ênclise em “Frustrei-me” é obrigatória.
icon
Questão anulada pela banca organizadora do concurso.

163537 IADES (2014) - SEAP-DF - Analista - Museologia / Museologia

Considerando os termos: museal; musealidade; musealia; e, musealização, assinale a alternativa que indica os respectivos significados.

  • a)
    Sinônimo de museológico, objeto como documento, os objetos de museus e o processo de aquisição de objetos para um museu.
  • b)
    adjetivo para qualificar aquilo relativo a museu, a base documental do objeto de museu, o potencial do objeto e o mesmo que museificação.
  • c)
    aquilo que é relativo a museu e ao campo de referência, o caráter documental do objeto, o objeto de museu e o processo de preservação do patrimônio cultural pelo museu.
  • d)
    adjetivo para qualificar aquilo relativo a museu, a relação entre a documentação e o objeto de museu, o objeto museológico e a transferência de um objeto para o museu.
  • e)
    sinônimo de museológico, a base documental do objeto, o potencial do objeto e o processo de preservação do patrimônio cultural pelo museu.