66 resultados encontrados para . (0.008 segundos)

150713 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Filosofia e Ética

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda, citando uma reflexão de Bárbara Freitag, diz: “Kohlberg

procurou discutir com os colegas os problemas emergidos no contexto da educação moral.

Para explicar as resistências desse contexto com relação à educação moral, pôs em

debate o que chamou de [currículo oculto] hidden curriculum e [atmosfera moral] moral

atmosphere [...]".

ARANHA, Maria Lucia de Arruda. Filosofia da educação. 2 ed. São Paulo: moderna, 1996 p.125

De acordo com Kohlberg, é CORRETO afirmar que

  • a)

    a insistência no conhecimento em psicogênese da moral, em suas etapas e mecanismos é de pouca ajuda para o ato educativo do professor.

  • b)

    a educação moral, embora possa ser realizada de forma direta, acontece inconscientemente.

  • c)

    o conceito de currículo oculto alude ao fato de que não existe um currículo específico para a educação moral.

  • d)

    o professor educa segundo princípios morais explicitados pela cultura e exteriorizados pelas práticas educativas desse professor.

150714 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Filosofia e Ética

Uma das formas de abordarmos a identidade humana é o tema corpo e mente ou corpo e

psiquismo. Contemporaneamente, o clássico tema “corpo e alma" reaparece com todo

vigor na filosofia da mente, em profundo diálogo com a neurobiologia e a psicologia

cognitiva. Na tradição filosófica, essa temática esteve inscrita na busca pelas essências.

Considerando-se as concepções relacionadas à reflexão sobre o tema, é CORRETO

afirmar que

  • a)

    a concepção monista verifica-se no fisicalismo, que reduz aos processos mentais os processos físicos, formando uma unidade substancial.

  • b)

    a solução dual afirma a existência de uma conexão causal, empiricamente verificável, entre estados cerebrais e estados mentais.

  • c)

    o dualismo e monismo concordam que a consciência é passível de investigação por terceiros.

  • d)

    o dualismo substancialista considera a consciência distinta da matéria, instância da identidade pessoal, irredutível à dimensão física.

150715 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Filosofia e Ética

Há já algum tempo eu me apercebi de que, desde meus primeiros anos, recebera muitas

falsas opiniões como verdadeiras, e de que aquilo que depois eu fundei em princípios tão

mal assegurados não podia ser senão mui duvidoso e incerto; de modo que me era

necessário tentar seriamente, uma vez em minha vida, desfazer-me de todas as opiniões

a que até então dera crédito, e começar tudo novamente desde os fundamentos, se

quisesse estabelecer algo de firme e de constante nas ciências. (...). Tudo o que recebi,

até presentemente, como mais verdadeiro e seguro, aprendi-o dos sentidos ou pelos

sentidos. Ora, experimentei algumas vezes que esses sentidos eram enganosos, e que

de prudência nunca se fiar inteiramente em quem já nos enganou uma vez.

DESCARTES. Meditações Metafísicas. São Paulo: Abril Cultural. Os pensadores.

A partir desse fragmento de Descartes, sobre a concepção e os procedimentos do

racionalismo, é CORRETO afirmar que

  • a)

    no caminho das ciência, torna-se impossível alcançar alguma verdade que resista ao princípio da dúvida.

  • b)

    o erro está vinculado às intuições do intelecto, que, muitas vezes, estabelece sentenças sem vínculo com a realidade empírica.

  • c)

    o verdadeiro conhecimento encontra-se vinculado à tradição, pois já foi testado através dos tempos.

  • d)

    o princípio da dúvida, aplicado a tudo que se origina de nossas sensações, passa a ser o caminho privilegiado na busca por ideias claras e distintas.

150752 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Português

Mostrar/Esconder texto associado

Considerando o texto, o significado da palavra destacada foi traduzido INCORRETAMENTE em

  • a)
    “[...] os computadores e a internet trouxeram uma quebra de paradigma essencial [...].” Padrão, modelo.
  • b)
    “[...] temos um número cada vez maior de relacionamentos mediados por software.” Conjunto de programas e instruções.
  • c)
    “Mas é importante ressaltar [...].” Destacar, salientar.
  • d)
    “E com certeza, depois da universidade, escreverão suas realidades e de seus pares pelo mundo.” Colaboradores, subordinados.

150753 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Português

Mostrar/Esconder texto associado

Quanto ao gênero, o texto apresentado classifica–se como

  • a)
    artigo de opinião.
  • b)
    editorial.
  • c)
    notícia.
  • d)
    resenha.

150754 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Pedagogia

“O movimento educacional conhecido como escola nova surge no final do século XIX,

justamente para propor novos caminhos com o mundo no qual se acha inserido."

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da educação. 3. ed. Revista e Ampliada, São Paulo: Moderna,

2006 p.167

Considerando-se esse movimento, é CORRETO que

  • a)

    a escolha dos conteúdos, realizada pelo professor, gira em torno dos temas que promovem maior rigor e excelência acadêmica.

  • b)

    a atenção contra o psicologismo e o individualismo representavam um grande risco à natureza política da educação.

  • c)

    o esforço de superação da pedagogia da essência pela pedagogia da existência, na qual o olhar se volta para a problemática do indivíduo único, diferenciado.

  • d)

    o papel fundamental do educador como referência do mundo adulto consiste no fato de que se deve educar para os valores universais.

150755 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Pedagogia

Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron, sociólogos franceses, escreveram juntos as

obras Os herdeiros (1964) e A reprodução (1970). Foram influenciados pelo

estruturalismo francês, sobretudo pelo linguista Ferdinand de Saussure.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da educação. 3. ed. Revista e Ampliada, São Paulo: Moderna,

2006 p.188

Considerando-se as teorias crítico-reprodutivistas, é CORRETO afirmar que

  • a)

    a escola confirma e reforça um habitus de classe, inculcado desde a infância por um trabalho pedagógico, que legitima a ordem vigente.

  • b)

    a escola é a instituição social que tem compromisso de lutar contra toda forma de violência, física ou simbólica.

  • c)

    a escola é o melhor instrumento para promover a mobilidade social, por meio da democratização do acesso ao saber.

  • d)

    a maior dificuldade da escola consiste em integrar socialmente determinados alunos, que trazem uma natureza mais violenta.

150756 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Filosofia e Ética

“Enquanto o saber, da tradição grega clássica à era das luzes e até o fim do século XIX,

era efetivamente algo para ser compreendido, pensado, refletido, hoje, nós, indivíduos,

vemo-nos, agora, privados do direito à reflexão...

Defrontamo-nos desde o século XVI, mas sobretudo no XX, com o desafio da ruptura

cultural entre a cultura das humanidades e a cultura científica. Essas duas culturas

possuem natureza inteiramente diferente."

MORIN, Edgar. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. Trad. Edgard de Assis

Carvalho. São Paulo: Cortez, 2002 p. 51 57

A partir desses fragmentos, acompanhando a reflexão de Edgar Morin sobre a distinção e

a ruptura que se realizou entre os saberes, o que se verifica é o fato de que

  • a)

    a cultura científica é uma cultura de visão ampliada, de maior complexidade, com tendência à interdisciplinaridade.

  • b)

    o fantástico desenvolvimento da cultura científica implicou a perda da reflexividade sobre o futuro da ciência e a natureza da ciência humana.

  • c)

    a cultura científica, na era planetária, permanece fechada em suas convicções sobre os pilares da ordem, da regularidade e da separabilidade.

  • d)

    a cultura das humanidades cresce na convicção de que a autonomia dos saberes deve ser reforçada para cultivar sua identidade.

150757 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Filosofia e Ética

“O que é então a liberdade? Nascer é ao mesmo tempo nascer no mundo e nascer do

mundo. O mundo está já constituído, mas também não está nunca completamente

constituído. Sob o primeiro aspecto, somos solicitados; sob o segundo, somos abertos a

uma infinidade de possíveis."

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes. 1999

p. 608-611(Adaptado)

A partir desse fragmento sobre o tema da liberdade e do determinismo no pensamento de

Merleau-Ponty, é CORRETO afirmar que

  • a)

    a estrutura humana é essencialmente psicológica, na qual a identidade está atrelada ao pensamento, no qual reside a liberdade.

  • b)

    a liberdade nas ações humanas é uma ilusão, uma vez que toda ação tem uma história e é resultado de um contexto que a motivou.

  • c)

    a liberdade tem em sua essência um caráter situacional, que nos possibilita combater os extremos do determinismo e da liberdade absoluta.

  • d)

    a ilusão da liberdade se deve ao fato de o pensamento e a ação do sujeito estarem sempre inscritos na história, na cultura e na trajetória do afeto.

150758 FUNDEP (2014) - IF-SP - Professor - Filosofia / Filosofia e Ética

“Os que se dedicaram às ciências foram ou empíricos ou dogmáticos. Os empíricos, à

maneira das formigas, acumulam e usam as provisões; os racionalistas, à maneira das

aranhas, de si mesmos extraem o que lhes serve para a teia. A abelha representa a

posição intermediária: recolhe a matéria-prima das flores do jardim e do campo e com

seus próprios recursos a transforma e digere."

BACON, Francis. Novum organum, XCV.

A partir desse fragmento, para Francis Bacon, o que melhor caracteriza a natureza e os

procedimentos da ciência é o fato de ela

  • a)

    articular os âmbitos da experiência e da razão reflexiva, pois a verdade científica é uma resultante da reflexão sobre a base empírica.

  • b)

    concluir verdades científicas universais, mediante um procedimento dedutivo, sem contradições.

  • c)

    necessitar sempre voltar à experiência e recomeçar suas atividades de verificação de uma verdade anteriormente comprovada.

  • d)

    ser racionalista, uma vez que busca estabelecer verdades universais, que transcendem o mundo da experiência.