15 resultados encontrados para . (0.010 segundos)

213937 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

Mobilidade social é o movimento de indivíduos e grupos entre os diferentes estratos da sociedade. O movimento na escala socioeconômica pode ser ascendente ou descendente. No que diz respeito ao assunto, é correto afirmar que:

  • a)
    o gênero e a raça não têm qualquer influência sobre a mobilidade social nos sistemas de estratificação em classes.
  • b)
    as sociedades modernas ou industriais são mais fechadas em termos de mobilidade social do que as sociedades do passado.
  • c)
    a mobilidade social ascendente é mais comum do que a mobilidade descendente, embora seu alcance seja limitado – mesmo nas sociedades desenvolvidas, a maioria das pessoas não ascende muito acima do nível de suas famílias.
  • d)
    o aumento das redes de informação e do acesso ao Ensino Superior não promoveu uma mobilidade ascendente entre as gerações nas atuais sociedades de classe.
  • e)
    a mobilidade social nos sistemas tradicionais de estratificação está condicionada a fatores estritamente econômicos.

213939 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

O termo “identidade” ganhou destaque no debate sociológico a partir dos anos 1990. Serve para designar culturas de grupo (“identidades nacionais” ou “identidades religiosas”) ou papéis sociais (“identidade masculina”, “identidade profissional”). No âmbito dessa discussão, é correto afirmar que:

  • a)
    as identidades quase nunca resultam da mistura de tradições culturais, já que, em geral, as culturas são fechadas e homogêneas.
  • b)
    a “crise de identidade” está relacionada a mudanças nos quadros de socialização (família, trabalho).
  • c)
    a construção das identidades não é sensível às transformações culturais e sociais.
  • d)
    a identidade não está atrelada às condições que definem a posição de uma pessoa na sociedade (sexo, idade, lugar na família, profissão).
  • e)
    as identidades pessoais e coletivas se tornaram mais nítidas e demarcadas na sociedade moderna, distintamente da etapa feudal, quando as posições sociais eram indefinidas.

213945 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

De acordo com teóricos sociais contemporâneos, a globalização é um dos principais fatores de mudança das identidades nacionais. Esses teóricos NÃO sustentam que a globalização:

  • a)
    dá origem a identidades híbridas, que resultam da fusão de culturas diferentes.
  • b)
    reforça as identidades étnicas.
  • c)
    enfraquece a identidade nacional.
  • d)
    elimina as identidades locais ou regionais.
  • e)
    leva, muitas vezes, ao choque de culturas.

227815 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

Fundamentalismo é todo movimento religioso que enfatiza a verdade literal dos textos sagrados, como a Bíblia cristã e o Corão islâmico. Nas últimas décadas, esse fenômeno tem chamado a atenção de estudiosos da Sociologia. Em relação ao tema, é correto afirmar que:

  • a)
    o fundamentalismo islâmico é um fenômeno muito antigo e, por isso, não apresenta relação com o avanço da cultura ocidental sobre o mundo árabe.
  • b)
    os conflitos no mundo pós-Guerra Fria são entre culturas ou civilizações diferentes, como o Islã e o Ocidente, segundo o cientista político Samuel Huntington.
  • c)
    o fundamentalismo religioso perdeu totalmente a força no mundo contemporâneo devido ao triunfo definitivo da secularização.
  • d)
    o declínio de organizações religiosas cristãs fundamentalistas nos Estados Unidos e na Europa é um dos fenômenos mais marcantes das últimas décadas.
  • e)
    os fundamentalistas religiosos de hoje defendem a tradição contra a modernidade através de métodos estritamente tradicionais, como pregações em lugares públicos.

227816 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

O processo de construção da cidadania e da democracia no Brasil se deu de forma distinta dos países europeus que promoveram reformas liberais em suas sociedades. É correto afirmar que, no Brasil:

  • a)
    a Constituição de 1824 assegurava a todos os homens adultos, exceto analfabetos, o direito de participação na esfera pública por meio do voto.
  • b)
    os direitos civis passaram a figurar no texto constitucional da Primeira República, como também os direitos sociais.
  • c)
    as mulheres tiveram acesso à cidadania completa somente com a Constituição de 1988, que instituiu o sufrágio feminino.
  • d)
    os direitos civis foram amplamente assegurados pela Constituição de 1988, ao passo que os direitos sociais sofreram significativa redução.
  • e)
    os direitos sociais, de um modo geral, não foram adquiridos como resultado da ação política de setores da sociedade.

227817 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

A socialização é o processo pelo qual os indivíduos são preparados para viver em sociedade, internalizando normas, valores, hábitos e costumes. É correto afirmar que:

  • a)
    os indivíduos, em geral, não possuem consciência da socialização de que participam.
  • b)
    a socialização começa já na infância e termina quando o indivíduo alcança a idade adulta.
  • c)
    as teorias da socialização como um todo consideram os indivíduos participantes passivos na construção de suas identidades sociais.
  • d)
    a escola é o espaço onde as identidades primárias começam a se formar, como as relativas à gênero e à etnicidade.
  • e)
    a socialização tem o poder de moldar o comportamento das pessoas, porém não os seus pensamentos e sentimentos.

238458 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

Entre os fundadores da Sociologia, destacam-se os nomes de Karl Marx, Émile Durkheim e Max Weber.

Esses autores conceberam de modo diferente o papel da Sociologia e o caráter das mudanças sofridas pelas sociedades europeias do seu tempo. É correto afirmar que:

  • a)
    a Sociologia, para Durkheim, deve compreender o sentido que o indivíduo dá à sua ação.
  • b)
    a sugestão de Weber é a de que os atos humanos sejam interpretados por meio de cálculos de interesses, de acordo com o behaviorismo.
  • c)
    a racionalização da economia – produção máxima a um mínimo de custo – é uma tendência das sociedades modernas, segundo Weber.
  • d)
    a ideia fundamental de Marx é a de que a divisão do trabalho a um só tempo liberta o indivíduo e o torna mais dependente da sociedade.
  • e)
    a mudança social não pode ser explicada em termos de leis gerais, de acordo com Marx.

238462 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

O conceito de globalização passou a ser utilizado amplamente nos debates políticos ao longo das últimas décadas. Na controvérsia da globalização, situam-se, grosso modo, os que se posicionam criticamente em relação ao processo e os seus entusiastas. É correto afirmar que:

  • a)
    a globalização é um fenômeno estritamente econômico, que não afeta a soberania dos Estados nacionais, para os entusiastas.
  • b)
    os governos, e não os mercados, são os principais agentes da liberalização financeira promovida na era globalizada, segundo os críticos.
  • c)
    a formação de grandes blocos regionais, como a União Europeia, é evidência de que a economia se tornou menos integrada, e não globalizada, de acordo com alguns críticos.
  • d)
    a globalização não tem relação estreita com transformações tecnológicas mais recentes, segundo os entusiastas, porquanto, no seu entendimento, é um fenômeno anterior à formação do mundo contemporâneo.
  • e)
    as forças de mercado são mais poderosas do que os Estados-Nações no “mundo sem fronteiras” da globalização, na visão dos críticos.

238465 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

Um dos conceitos-chave do pensamento sociológico contemporâneo é o de pós-modernidade. Segundo os novos teóricos, esse conceito NÃO guarda relação com:

  • a)
    a “colonização” da economia pela cultura, que se midiatizou.
  • b)
    o esgotamento dos partidos políticos de massa e do antagonismo clássico entre direita e esquerda.
  • c)
    a fragmentação das culturas e o ressurgimento do individualismo.
  • d)
    o fim da crença iluminista no progresso, que marcou fortemente a modernidade.
  • e)
    a concentração da atividade econômica na produção industrial.

277146 FUNCAB (2013) - SEDUC-RO - Professor - Sociologia / Sociologia

No século XIX, foi criada uma nova ciência da sociedade, que recebeu de Augusto Comte o nome de Sociologia – palavra derivada do latim e do grego . É INCORRETO afirmar que, àquela época, a Sociologia:

  • a)
    procurava formular leis gerais de evolução social.
  • b)
    agregava ideias conservadoras e radicais, dando origem a teorias conflitantes.
  • c)
    ocupava-se da totalidade da vida social do homem, caracterizando-se como uma ciência enciclopédica.
  • d)
    aplicava métodos próprios ou originais ao estudo do comportamento humano, sem nada dever às ciências naturais.
  • e)
    preocupava-se especialmente com o problema da pobreza urbana (“questão social”), resultante do progresso industrial. socius logos