40 resultados encontrados para . (0.012 segundos)

153794 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

Para a equipe odontológica, a barreira biológica para prevenir a Hepatite B é

  • a)
    o uso de Equipamento de Proteção Individual.
  • b)
    a desinfecção dos equipamentos e instrumentais contaminados.
  • c)
    a esterilização dos equipamentos e instrumentais contaminados.
  • d)
    a vacinação.
  • e)
    a lavagem das mãos.

153798 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

A sialorreia está associada ao uso de

  • a)
    furosemida.
  • b)
    clozapina.
  • c)
    fenfluramina.
  • d)
    rizatriptano.
  • e)
    pseudoepinefrina.

153807 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

Os estágios da hipertensão arterial sistêmica orientam o atendimento odontológico ao paciente hipertenso e são divididos em estágio de pré-hipertensão (PA sistólica entre 120 × 139 mmHg e PA diastólica entre 80 × 89mmHg), estágio I (PA sistólica entre 140 × 159 mmHg ou diastólica entre 90 × 99 mmHg), estágio II (PA sistólica entre 160 × 179 mmHg ou a diastólica entre 100 × 109 mmHg) e estágio III (PA sistólica acima de 180 mmHg ou a diastólica acima de 110 mmHg). Nos cuidados odontológicos ao paciente hipertenso,

  • a)
    os anestésicos locais associados a vasoconstritores, como a felipressina, podem ser utilizados nos pacientes hipertensos somente nos estágios I e II.
  • b)
    pode-se utilizar vasoconstritores à base de norepinefrina na concentração de 1:1.000, nos estágios II e III.
  • c)
    a utilização, pelo paciente, de medicação antihipertensiva do tipo beta-bloqueadores não-seletivos não influencia na escolha do agente vasoconstritor.
  • d)
    o estresse não é um fator que alteraria a pressão arterial.
  • e)
    o uso da epinefrina como agente vasoconstritor pode causar redução da pressão diastólica do paciente nos estágios I e II.

153808 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

Ao empregar o Índice de Higiene Oral Simplificado − IHOS (Green e Vermillion, 1964), o cirurgião-dentista obteve os seguintes dados sobre a condição de higiene oral:

− Dente 16/ Face Vestibular: ausência de placa e presença de cálculo supragengival cobrindo mais que 1/3, mas não mais que 2/3 da superfície.

− Dente 11/Face Vestibular: ausência de placa e cálculo supragengival.

− Dente 26/ Face Vestibular: ausência de placa e presença de cálculo supragengival em não mais que 1/3 da superfície.

− Dente 36/Face Lingual: placa cobrindo não mais que 1/3 da superfície e presença de cálculo supragengival em não mais que 1/3 da superfície.

− Dente 31/Face Vestibular: ausência de placa e cálculo supragengival.

− Dente 46/ Face Lingual: placa mais que 1/3, mas não mais que 2/3 da superfície e presença de cálculo supragengival em não mais que 1/3 da superfície.

A avaliação da condição de higiene oral será

  • a)
    excelente.
  • b)
    satisfatória.
  • c)
    regular.
  • d)
    deficiente.
  • e)
    ruim.

153809 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

As lesões fundamentais representam grupos de lesões que facilitam a formulação de hipóteses diagnósticas e representam alterações teciduais. Sobre as lesões fundamentais, é correto afirmar que

  • a)
    as pápulas e os nódulos representam elevações da mucosa de consistência mole contendo líquido no seu interior.
  • b)
    a erosão é a perda total do epitélio de revestimento bucal.
  • c)
    máculas ou manchas são alterações de cor da mucosa sem elevação ou depressão, e podem ser representadas pelas manchas melânicas.
  • d)
    as pápulas são lesões circunscritas sólidas, pediculadas ou sésseis, superficiais ou submucosas, com tamanho variando de 1 a 3 cm de diâmetro.
  • e)
    os nódulos apresentam rápida permanência na mucosa bucal pois rompem-se com facilidade.

153811 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

Criança de 11 anos ao praticar esportes sofreu trauma no elemento 21. Ao ser examinado, percebe-se que o elemento não apresenta mobilidade, contudo, apresenta sensibilidade dolorosa à percussão. Não apresenta evidência ao exame radiológico. O tipo de traumatismo e tratamento indicados são:

  • a)
    luxação lateral e acompanhamento.
  • b)
    subluxação e acompanhamento.
  • c)
    concussão e alívio oclusal.
  • d)
    luxação lateral e alívio oclusal.
  • e)
    subluxação e alívio oclusal.

153812 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

A doença sistêmica cuja etiologia mais aceita é a autoimunidade com sinais e sintomas incluindo a formação de bolha, principalmente na mucosa jugal, dorso e borda da língua com rompimento rápido e, na evolução, podem envolver a faringe, laringe, esôfago, uretra e ânus, é

  • a)
    Eritema Multiforme.
  • b)
    Pênfigo Vulgar.
  • c)
    Líquen Plano.
  • d)
    Penfigoide benigno de mucosa.
  • e)
    Gengivoestomatite herpética primária aguda.

153813 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

As margens que compreende o desgaste em um preparo total de uma faceta direta de resina composta do elemento 21, que está sem vitalidade e que não respondeu favorável ao tratamento de clareamento, são:

  • a)
    incisal, palatina e vestibular.
  • b)
    cervical, palatina e proximal.
  • c)
    cervical, incisal e proximal.
  • d)
    cervical, palatina e vestibular.
  • e)
    cervical, incisal e palatina.

165585 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

Segundo a Sociedade Americana de Cardiologia (American Heart Association, 2007), NÃO se indica profilaxia antibiótica para endocardite infecciosa, antes da realização do tratamento odontológico invasivo, em

  • a)
    prolapso da válvula mitral sem regurgitação.
  • b)
    válvula cardíaca protética.
  • c)
    endocardite infecciosa prévia.
  • d)
    pacientes transplantados de coração com valvulopatia.
  • e)
    presença de shunts cardíacos.

165586 FCC (2014) - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Odontologia / Odontologia

São limitações do pino intrarradicular direto metálico:

  • a)
    estética, corrosão e baixo módulo de elasticidade.
  • b)
    estética, alto estresse na interface de cimentação e alto módulo de elasticidade.
  • c)
    corrosão, baixo estresse na interface de cimentação e alto módulo de elasticidade.
  • d)
    corrosão, alto estresse na interface de cimentação e baixo módulo de elasticidade.
  • e)
    remoção clínica, baixo estresse na interface de cimentação e baixo módulo de elasticidade.