46 resultados encontrados para . (0.039 segundos)

208075 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Comunicação Social

A Teoria Hipodérmica surgiu no período entre as duas guerras mundiais. Segundo ela, a propaganda é capaz de unir grandes massas em torno de ideais comuns, sendo que os meios de comunicação seriam capazes de direcionar as pessoas para praticamente qualquer direção desejada pelo comunicador. Este fenômeno seria semelhante à aplicação de pequenas doses de morfina sob a pele de uma pessoa para mantê-la numa determinada condição de consciência (daí o nome “hipodérmica”). Um dos principais autores que contribuiu para elaborar esta teoria a superou com o desenvolvimento de um modelo que passou a considerar o contexto em que ocorreu a comunicação (Quem → Diz o quê → Em que canal → A quem → Com que efeito). Esse autor foi o

  • a)
    francês Roland Barthes.
  • b)
    estadunidense Harold Lasswell.
  • c)
    canadense Marshall McLuham.
  • d)
    alemão Jürgen Habermas.
  • e)
    russo Roman Jakobson.

208076 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Comunicação Social

Google enfrenta Apple em disputa que definirá o setor, diz Schmidt São Francisco - Eric Schmidt, presidente do conselho de administração do Google, estima que haverá mais de 1 bilhão de aparelhos móveis equipados com o software Android em todo o mundo no prazo de um ano, intensificando uma batalha contra a Apple que ele descreveu como "a disputa que definirá o setor". Schmidt afirmou que já existem quatro vezes mais aparelhos acionados pelo Android – smartphones e tablets fabricados por companhias como a Samsung Electronics – do que pelo sistema operacional Apple iOS, e que a escala da batalha entre as duas empresas não tem precedentes. (...) Com o aquecimento da concorrência entre as duas companhias, a Apple vem agindo para reduzir sua dependência quanto a produtos do Google, e removeu o aplicativo do YouTube de lista de aplicativos pré-instalados na nova versão do iPhone. Também substituiu o software de mapas do Google por um produto próprio no iPhone. (Info Exame, 11 de outubro de 2012) As tecnologias móveis de acesso demonstram ditar a tendência de como a população acessará os produtos de comunicação (jornalística, artística, publicitária etc.) nas próximas décadas. A disputa entre Apple e Google na comunicação móvel, envolvendo também fabricantes como a Samsung, indica que nas próximas décadas

  • a)
    os conteúdos, para distribuição, adequar-se-ão aos padrões tecnológicos definidos pelas grandes corporações.
  • b)
    as redes sociais como o Facebook não farão parte dos possíveis canais de comunicação móvel.
  • c)
    os profissionais de Comunicação não serão mais socialmente necessários em benefício de programadores.
  • d)
    qualquer produtor de conteúdo poderá lançar aplicativos com suas criações sem ônus.
  • e)
    os conteúdos, para distribuição, devem ser compatíveis com os padrões do YouTube.

208077 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Comunicação Social

70% dos leitores de jornais online postam conteúdo na internet Com a propagação da cultura digital, os meios de comunicação se deparam com o desafio de entender e se adaptar a um novo público, que se mostra ávido por participar ativamente da busca e troca de informações. Hoje, 37% da população lê jornal diariamente nas principais regiões metropolitanas do país segundo os dados do Target Group Index. Desse total, 11% já fazem a leitura virtual dos meios e o número de leitores exclusivamente online chega a 1,5 milhão de pessoas. “O leitor de jornais online é menos conservador e mais antenado com o mundo. Ele participa de blogs e redes sociais, além de ler jornais”, explica Roberto Lobl, diretor regional do Target Group Index para América Latina do IBOPE Media. Cerca de 79% dos leitores de jornais online acessaram blogs e outras comunidades nos últimos 30 dias, percentual que cai para 50% entre os leitores de impressos. Outra característica a ser destacada nos leitores online é o caráter participativo do segmento, pois 70% das pessoas que leem as versões digitais dos jornais postam ou produzem conteúdo na internet. “Isso demonstra que os jornais podem investir na participação do internauta. Algumas publicações já conseguiram igualar o número de leitores online com os de impressos potencializando seu crescimento”, informa Lobl. (www.ibope.com.br, 14/09/2013) Na construção de mensagens com os mesmos conceitos, para o mesmo público, porém para publicação em distintas mídias impressas, eletrônicas e digitais, o aspecto essencial a ser considerado na elaboração desta mensagem é

  • a)
    o poder de compra do público consumidor.
  • b)
    o nível de alfabetização do público de cada mídia.
  • c)
    o valor da assinatura de acesso às mídias.
  • d)
    a qualificação profissional do público escolhido.
  • e)
    o comportamento do público perante as mídias escolhidas.

208078 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Comunicação Social

Apesar de termos uma sociedade cada vez mais massificada, vemos paralelamente que a segmentação dos públicos ganha espaço no mercado editorial. Os grandes jornais têm dado como resposta a esse fenômeno a criação de suplementos, chegando até, em alguns veículos, a ter uma diretoria especial para esses empreendimentos. Esses suplementos, que fidelizam muitos de seus leitores, são viabilizados fundamentalmente pelo

  • a)
    potencial econômico que gera receita publicitária suficiente para sustentá-los.
  • b)
    acirramento da concorrência entre os grandes veículos de comunicação.
  • c)
    prazer que os veículos têm em agradar seu público leitor a qualquer custo.
  • d)
    interesse dos veículos em ganhar o público leitor dos seus concorrentes.
  • e)
    potencial do jornalismo atual cada vez mais plural em ofertas editoriais.

208079 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Comunicação Social

O jornalista Thomaz Souto Corrêa, que tem larga experiência editando revistas, diz que as “pesquisas, por si só, não fazem uma revista” (SCALZO, Marília. Jornalismo em Revista. São Paulo: Contexto). Previamente deve-se ter claro que tipo de revista e a qual público ela está destinada. Assim sendo, do ponto de vista da construção de um veículo, as pesquisas primordialmente servem para

  • a)
    corrigir caminhos e verificar se o seu projeto editorial tem futuro com seu público leitor.
  • b)
    enriquecer a pauta, oferecendo uma ampla variedade de possibilidades aos seus leitores.
  • c)
    verificar as possibilidades comerciais junto aos leitores e assim elaborar uma nova estratégia de marketing.
  • d)
    despertar um clima de interesse sobre a nova revista junto ao público que ainda não a conhece.
  • e)
    organizar a estrutura redacional, ampliando ou não o número de repórteres que trabalham na redação.

208080 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Comunicação Social

Muitas empresas ou instituições contratam uma assessoria de imprensa pensando que com isso terão exposição garantida na mídia. No entanto, o papel primordial de uma assessoria de imprensa é

  • a)
    negociar o espaço publicitário nos veículos de comunicação.
  • b)
    fazer o elo entre o assessorado e os veículos de comunicação.
  • c)
    agendar reuniões entre os jornalistas e os assessorados.
  • d)
    realizar media training visando o preparo do assessorado.
  • e)
    convocar entrevistas coletivas com o assessorado e a imprensa.

208281 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Português

Mostrar/Esconder texto associado

Deve-se entender o título do texto − Vista cansada − como uma alusão do autor ao fato de que

  • a)
    os pessimistas, como Hemingway, acreditam que nosso olhar para as coisas implica sempre uma visão de despedida da vida.
  • b)
    os poetas, ao contrário de Hemingway, pensam ver tudo como se estivessem sempre se revelando um mundo inteiramente original.
  • c)
    nós tendemos a deixar de ver as coisas porque mecanizamos nosso olhar, não distinguindo o que lhes é característico.
  • d)
    nós tendemos a reparar tão somente nos detalhes das coisas, perdendo o sentido da visão do conjunto a que se integram.
  • e)
    nós tendemos, com o tempo, a enfraquecer nossa visão das coisas pelo excesso de atenção que nos esforçamos para lhes dedicar.

208282 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Português

Mostrar/Esconder texto associado

Estão plenamente respeitadas as normas de concordância

verbal na frase:

  • a)
    Devem-se emprestar a todas as coisas, nas palavras de Hemingway, o olhar daquele que as vê pela derradeira vez, como se delas se despedissem.
  • b)
    O desespero das tantas dores que podem afligir certos homens levam alguns desses infelizes ao suicí- dio, é o que parece explicar a triste e brutal decisão de Hemingway.
  • c)
    Guardam muita ironia as palavras de que se valeu o autor para mostrar que somente a notícia da morte do porteiro fez alguns notarem que ele havia existido.
  • d)
    Sempre haverá o marido e o pai que não tem olhos para ver, de fato, quem são sua esposa e seu filho, quem de fato são esses a quem não rende momentos de atenção.
  • e)
    A criança, tal como ocorre com os poetas, são capazes de olhar as coisas com tão dedicada atenção que acabam por estabelecer uma visão efetivamente criativa de tudo.

208283 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Português

Mostrar/Esconder texto associado

O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma do PLURAL para preencher adequadamente a lacuna da frase:

  • a)
    Nem Everest, nem recorde mundial, nenhuma obsessão dessas ...... (dever) levar-nos a uma luta ingente e, quase sempre, inglória.
  • b)
    Às pequenas coisas do cotidiano, aos versos simples é que se ...... (dedicar), em suas obras-primas, o poeta Manuel Bandeira.
  • c)
    O mérito e a importância de um prêmio como o Nobel não ...... (caber) discutir, mas não há por que desmerecer quem nunca o ganhou.
  • d)
    A um poeta como Manuel Bandeira jamais ...... (ter) atormentado aquelas visões da glória que tantos perseguem obstinadamente.
  • e)
    As competições a que se ...... (lançar), em nossos dias, todo e qualquer postulante à fama jamais sensibilizaram nosso grande lírico.

226244 FCC (2013) - DPE-RS - Analista - Comunicação Social / Comunicação Social

Ao selecionar uma fotografia para publicação, a imagem deve, necessariamente, ter alta resolução se o objetivo for

  • a)
    criação de campanhas para as redes sociais.
  • b)
    montagem de apresentações de slides.
  • c)
    produção de notas cobertas.
  • d)
    montagem de vídeos para dispositivos móveis.
  • e)
    publicação impressa.