34 resultados encontrados para . (0.010 segundos)

03821 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

É uma especificação de mecanismo neutro de transporte que é composto essencialmente por duas partes: uma estrutura para comunicar uma referência para um Web service endpoint e um conjunto Message Addressing Properties que associa informações de endereçamento a uma mensagem particular. Trata-se de
  • a)
    WS-Transfer.
  • b)
    WS-Addressing.
  • c)
    WS-Eventing.
  • d)
    WS-Topics.
  • e)
    WS-Policy.

03822 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

No modelo OSI, a camada utilizada para executar algum trabalho adicional, tal como o estabelecimento de túneis encriptados que são criados usando o protocolo SSH, fazendo com que os dados sejam transmitidos de forma encriptada pela rede é denominada Camada de
  • a)
    Rede.
  • b)
    Transporte.
  • c)
    Sessão.
  • d)
    Aplicação.
  • e)
    Apresentação.

03823 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

No contexto dos serviços providos pela camada de aplicação Internet TCP/IP, o protocolo que atua convertendo os dados não-ASCII inseridos pelo usuário para dados ASCII, de forma que possam ser transmitidos, é o protocolo
  • a)
    SMTP.
  • b)
    HTTP.
  • c)
    IMAP.
  • d)
    MIME.
  • e)
    FTP.

03824 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

É um padrão de rede que suporta apenas cabos de fibra ótica e utiliza a tecnologia long-wave laser. Isto quer dizer que, embora a velocidade de transmissão seja de 1 gigabit, a mesma dos outros padrões, esse padrão atinge distâncias maiores. Usando cabos de fibra ótica com núcleo de 9 microns o sinal é capaz de percorrer distâncias de até 5 km. Trata-se do padrão Gigabit Ethernet
  • a)
    1000BaseLX.
  • b)
    1000BaseSX.
  • c)
    1000BaseCX.
  • d)
    1000BaseT.
  • e)
    1GBaseX.

03825 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

Em relação às características fundamentais dos equipamentos de interconexão,
  • a)
    o bridge serve para interligar duas redes distintas, utilizando os protocolos comuns aos dois segmentos, que liga e somente envia dados de acordo com o endereço IP de destino.
  • b)
    um dos modos de operação de um switch é o cutthrough, no qual o switch inicia a retransmissão dos frames imediatamente após receber os headers, sem fazer nenhum tipo de verificação no frame.
  • c)
    um roteador com configuração estática de rotas para propagação dos pacotes é inteligente o suficiente para detectar qualquer alteração nas rotas da rede a fim de atualizar automaticamente suas tabelas.
  • d)
    o repetidor é um equipamento que atua na camada de rede do modelo OSI e é utilizado para interligação de redes heterogêneas para amplificar e regenerar eletricamente os sinais transmitidos no meio físico.
  • e)
    o hub é o dispositivo ativo que concentra a ligação entre diversos computadores que estão em uma rede LAN, executando, exclusivamente, encaminhamento de bits, o que permite a eliminação do domínio de colisão.

03826 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

Em relação à arquitetura TCP/IP é correto afirmar:
  • a)
    Uma mensagem de oferta DHCP contém, entre outros, o identificador da transação da mensagem de descoberta recebida, o endereço IP proposto para a máquina cliente e o intervalo de tempo de aluguel do endereço IP.
  • b)
    O protocolo OSPF utiliza o conceito broadcast, no qual um roteador envia sua tabela para todos os seus vizinhos em intervalos predefinidos de tempo.
  • c)
    Mesmo não sendo orientado à conexão, o protocolo UDP pode ser usado para garantir rapidez de entrega pelo protocolo SMTP.
  • d)
    No protocolo RIP, os nós descobrem sozinhos a melhor rota, com base em informações, tais como identificador de interface, número do enlace e distância ou métrica.
  • e)
    O endereço IP, na versão 4 (IPv4), é um número de 128 bits que, preenchido totalmente com o valor 1, é considerado um endereço por difusão para a rede do host origem do datagrama.

14148 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Engenharia de Software

No contexto dos requisitos necessários, em relação à implantação de sistemas, é INCORRETO que haja
  • a)
    reuniões entre os profissionais de análise, programação e implementação para homologar o sistema, não sendo relevante a participação de usuários.
  • b)
    envolvimento dos usuários-chave das áreas de manutenção, calibração e validação.
  • c)
    realização de testes unitários e de integração das funcionalidades.
  • d)
    envolvimento dos usuários das áreas de interface, quais sejam, a área de programação de produção e de garantia da qualidade.
  • e)
    treinamentos operacionais de todos os usuários do sistema e das equipes do setor de suporte operacional.

14149 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Engenharia de Software

Embora o processo de desenvolvimento de sistemas não esteja previsto na UML, podem-se eleger, em termos genéricos, cinco etapas em que a UML pode ser aplicada: análise de requisitos, análise sistêmica, projeto, implementação, testes/implantação. A etapa de testes/implantação deve abordar os testes de

I. unidade, onde cada programa, individualmente, é testado.
II. conjunto, pois nada garante que, apesar de terem funcionado individualmente, eles se comportarão da maneira esperada, quando executados em conjunto.
III. integração, quando o software criado tiver algum mecanismo de interface com outros sistemas.
IV. adequação aos requisitos, com o envolvimento direto do usuário, que dará a aprovação final.

Está correto o que se afirma em
  • a)
    II e III, somente.
  • b)
    III e IV, somente.
  • c)
    I, II e III, somente.
  • d)
    II, III e IV, somente.
  • e)
    I, II, III e IV.

14150 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Engenharia de Software

Em UML, são diagramas feitos para facilitar a comunicação com os futuros usuários do sistema, e com o cliente, sendo especialmente úteis para determinar os recursos necessários que o sistema deve ter, mas não são adequados para representar o desenho e não podem descrever os mecanismos internos de um sistema. São diagramas de
  • a)
    Sequência.
  • b)
    Colaboração.
  • c)
    Distribuição.
  • d)
    Caso de Uso.
  • e)
    Atividade.

14151 FCC (2010) - Sergipe Gás S.A. - Analista de Sistemas / Engenharia de Software

No Processo Unificado, o Modelo de Domínio é um
  • a)
    diagrama de classes em nível de análise.
  • b)
    diagrama de classes em nível de desenho.
  • c)
    produto da modelagem de negócios e, como tal, captura o vocabulário do sistema ou negócio sob modelagem.
  • d)
    modelo que carrega todo o detalhamento do comportamento e estrutura, que devem estar presentes em um modelo de análise.
  • e)
    modelo de domínio que carrega informações de armazenamento de informações ou normalizações, que devem estar presentes em um DER.