44 resultados encontrados para . (0.007 segundos)

17307 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

Segundo a Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID–10, o transtorno de personalidade paranóide (F60.0) aponta, entre os itens que o caracterizam,
  • a)
    atitude flagrante e persistente de irresponsabilidade e desrespeito por normas, regras e obrigações sociais; baixa tolerância à frustração e baixo limiar para descarga de agressão, incluindo violência; incapacidade de experimentar culpa e de aprender com a experiência.
  • b)
    indiferença aparente a elogios e críticas; frieza emocional, afetividade distanciada ou embotada; preferência quase invariável por atividades solitárias e falta de amigos íntimos ou de relacionamentos confidentes (ou ter apenas um) e desejo de tais relacionamentos.
  • c)
    sensibilidade excessiva a contratempos e rejeições; tendência a guardar rancores persistentemente, isto é, recusa a perdoar insultos e injúrias ou desfeitas; um combativo e obstinado senso de direitos pessoais em desacordo com a situação real.
  • d)
    autodramatização, teatralidade, expressão exagerada de emoções; afetividade superficial e lábil; sedução inapropriada em aparência ou comporta- mento.
  • e)
    preocupação com detalhes, regras, listas, ordem, organização ou esquemas; insistência não razoável por parte do paciente para que os outros se submetam exatamente à sua maneira de fazer as coisas ou relutância não razoável em permitir que os outros façam as coisas; rigidez e teimosia.

17308 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

No Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais DSM-IV-TR, o Transtorno Esquizofreniforme é descrito como sendo caracterizado por um quadro sintomático equivalente à Esquizofrenia, EXCETO por sua duração (a perturbação dura de 1 a 6 meses) e ausência
  • a)
    da exigência de um declínio no funcionamento.
  • b)
    de perturbação psicótica com duração maior que 1 dia e remissão em 1 mês.
  • c)
    de conseqüência fisiológica direta de abuso de droga.
  • d)
    de perturbação influenciada por outra pessoa com um delírio similar.
  • e)
    de delírios não-bizarros sem outros sintomas da fase ativa da Esquizofrenia.

17309 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

Para Sigmund Freud, a personalidade forma-se ao redor de três estruturas: o id, o ego e o superego. O id
  • a)
    funciona às vezes pelo princípio do prazer e às vezes pelo princípio de realidade, sendo pré- consciente.
  • b)
    controla as atividades de pensamento e raciocínio, sendo parte consciente e parte inconsciente.
  • c)
    age consciente, pré-consciente e inconscientemente e é responsável pela consciência dos padrões morais.
  • d)
    funciona pelo princípio de realidade e o seu conteúdo pode ser facilmente recuperado.
  • e)
    é completamente inconsciente e consiste de desejos e impulsos que buscam expressar-se permanente- mente.

17310 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

Carl Gustav Jung considerava que arquétipos específicos têm um papel especial na formação da personalidade. A persona, um arquétipo cujo significado origina-se da palavra latina “máscara”, corresponde à forma pela qual nos apresentamos ao mundo – o caráter que assumimos. Jung chamou a persona também de
  • a)
    anima
  • b)
    sombra
  • c)
    arquétipo da conformidade
  • d)
    animus
  • e)
    self - arquétipo central

17311 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

A teoria humanista da personalidade defende que somos positivamente motivados e progredimos em direção a níveis mais altos de funcionamento, ou seja, que a existência humana não significa somente lidar com conflitos ocultos, sendo que os psicólogos humanistas enfatizam o potencial das pessoas para
  • a)
    se desenvolverem em direções indesejadas, mesmo com condições de vida razoáveis.
  • b)
    viverem objetivamente suas vidas no momento futuro.
  • c)
    pensar em como se sentiram ou agiram no passado.
  • d)
    crescer e mudar.
  • e)
    se deixarem influenciar negativamente.

17312 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

A Estratégia Saúde da Família, política pública instaurada para auxiliar na reorganização do sistema de saúde e na consolidação do SUS – Sistema Único de Saúde, trouxe a inserção de outros profissionais na Saúde Pública. Segundo Celiane Camargo-Borges e Cármen Lúcia Cardoso, nesse esforço de articular saberes e fazeres de cada campo, a psicologia social da saúde propõe uma atuação mais social,
  • a)
    diferenciada, focada e circunstancial.
  • b)
    também individualizada, personalizada e regional.
  • c)
    interativa, coletiva e local.
  • d)
    produtiva, compreensiva e residencial.
  • e)
    comunitária, elaborativa e grupal.

17313 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

É responsabilidade do psicólogo a avaliação e a escolha dos instrumentos, métodos e técnicas no exercício profissional. No entanto, diante dos inúmeros questionamentos e representações éticas decorrentes da utilização de testes psicológicos sem respaldo científico, que acarretam possíveis danos à sociedade, e para manter a imagem da psicologia como sendo uma profissão fundamentada pela ciência e de grande contribuições para o desenvolvimento social,
  • a)
    o CFP – Conselho Federal de Psicologia editou a Resolução CFP no 002/2003 que regulamenta o uso, a elaboração e a comercialização de testes psicológicos.
  • b)
    as universidades estaduais e federais se uniram para organizar grupos de validação imediata dos testes psicológicos mais utilizados na atualidade.
  • c)
    os Conselhos Regionais de Psicologia vêm reco- mendando a utilização de testes, desde que suficientemente estudados pelo psicólogo que irá aplicá-los.
  • d)
    o CRP – Conselho Regional de Psicologia editou a Resolução 002/2001 que estabeleceu as especialidades e definiu que apenas psicólogos clínicos podem usar todo e qualquer tipo de teste psicológico.
  • e)
    os psicólogos clínicos se organizaram em comissões para buscar alternativas que legitimem todos os materiais relacionados a testes em nosso país.

17314 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

Segundo a Resolução de no 007/2003, do CFP – Conselho Federal de Psicologia, que institui o Manual de Elaboração de Documentos decorrentes de Avaliações Psicológicas, todo documento emitido por psicólogos deve ser subsidiado em dados colhidos e analisados à luz de um instrumental técnico. O documento que faz uma apresentação descritiva acerca de situações e/ou condições psicológicas e suas determinações históricas, sociais, políticas e culturais, pesquisadas no processo de avaliação psicológica é denominado de
  • a)
    jurisprudência.
  • b)
    informe.
  • c)
    atestado.
  • d)
    laudo.
  • e)
    sentença.

17315 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

O profissional que utilizar testes psicológicos que não constam na relação de testes aprovados pelo Conselho Federal de Psicologia estará
  • a)
    valorizando a atuação estritamente clínica.
  • b)
    exercendo o livre arbítrio, previsto na categoria.
  • c)
    cometendo uma falta ética.
  • d)
    cometendo erro administrativo.
  • e)
    propondo novos métodos de intervenção.

17316 FCC (2007) - TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Psicologia / Psicologia

Ao corrigir e analisar um teste, o psicólogo deve
  • a)
    obrigatoriamente comunicar ao Conselho Regional de Psicologia para que autorizem a aplicação.
  • b)
    seguir rigorosamente as normatizações apresen- tadas no manual e manter-se atualizado.
  • c)
    seguir as normas acadêmicas da instituição onde estudou e reaplicar os testes após um mês para confirmação dos resultados.
  • d)
    consultar o Código de Ética, para se informar sobre quais testes estão liberados para uso
  • e)
    apresentar um relatório ao Conselho Regional de Psicologia após a entrevista devolutiva.