51 resultados encontrados para . (0.008 segundos)

211280 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Análise de Balanços

O “Lucro Residual”, ou seja, o lucro suficiente para compensar o risco menos o lucro operacional, representa:

  • a)
    a Alavancagem Financeira.
  • b)
    o “EVA” – Valor Econômico Agregado.
  • c)
    a Análise de Insolvência.
  • d)
    a Alavancagem Operacional.
  • e)
    a Precificação de Ativos.

211281 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Contabilidade de Custos

O Custeio Baseado em Atividades (ABC) diferencia-se, significativamente, do custeio por absorção pela (o):

  • a)
    metodologia aplicada na alocação dos custos de transformação.
  • b)
    metodologia aplicada no reconhecimento dos custos dos materiais diretos aos produtos.
  • c)
    critério de alocação dos custos indiretos de fabricação.
  • d)
    tratamento dado aos estoques de produtos semiacabados.
  • e)
    forma de reconhecimento das receitas aos produtos e ao resultado do exercício.

211282 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Contabilidade de Custos

A contabilidade deve apurar o custo dos projetos de forma a evidenciar os resultados da gestão. A falta de informação da unidade administrativa gestora sobre a execução física dos projetos e atividades a seu cargo acarreta:

  • a)
    bloqueio de saques de recursos financeiros para os mesmos projetos e atividades, responsabilizando-se a autoridade administrativa faltosa pelos prejuízos decorrentes.
  • b)
    a liberação parcial dos recursos até a fase que tiver sido concluída na última medição física, podendo ser autorizado complementos de valores, mediante autorização da Gestão da unidade administrativa, avaliadas as necessidades estratégicas do projeto.
  • c)
    abertura de processo administrativo, junto ao ministério em que o projeto estiver vinculado e no ministério público, sendo refeito o cronograma financeiro liberando o saque dos recursos mediante autorização da Secretaria do Tesouro Nacional.
  • d)
    suspensão das liberações de recursos financeiros, transferindo à Secretaria do Tesouro Nacional a responsabilidade pelo acompanhamento do cronograma e da liberação dos recursos, desde que não supere 30% do orçamento inicialmente previsto.
  • e)
    paralisação do projeto, com abertura de processo administrativo contra a Secretaria do Tesouro Nacional e contra a unidade administrativa responsável pelo projeto.

211283 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Análise de Balanços

A empresa Patrimônio S.A. efetuou a depreciação utilizando os percentuais fiscais, ainda que soubesse que a vida econômica do bem era maior do que as taxas fiscais. A decisão foi tomada em função das dificuldades em controlar as duas depreciações, o que levaria a empresa a ter custos de controle não suportáveis pelo porte e situação financeira da empresa, inviabilizando o negócio. Referida situação

  • a)
    afeta diretamente a neutralidade na apresentação de uma demonstração contábil fidedigna, não sendo possível considerar a demonstração fidedigna.
  • b)
    altera a demonstração contábil de forma material, impedindo o reconhecimento como uma demonstração contábil fidedigna.
  • c)
    permite considerar a demonstração contábil fidedigna, uma vez que o custo para geração de uma informação com melhor qualidade não justificaria o benefÍcio.
  • d)
    atende ao princípio da prudência, visto que a decisão de adotar a depreciação que atribui maior valor ao resultado permite a geração de uma demonstração conservadora mais fidedigna.
  • e)
    distorce a possibilidade do usuário em analisar a demonstração contábil, sendo necessário o ajuste para considerá-la fidedigna.

211284 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Contabilidade Geral

A empresa Exportação S.A. tem seu fl uxo de caixa garantido por contratos de hedge. A proteção alcançada pelo instrumento é de 90% de efetividade. A empresa tem como procedimento adotar a contabilidade de hedge. Fundamentado nas normas, deve a empresa:

  • a)
    reconhecer o ganho ou a perda efetiva do hedge como resultado abrangente e a não efetividade no resultado.
  • b)
    contabilizar o ganho de efetividade do hedge como resultado abrangente e a perda efetiva do hedge como despesas no resultado.
  • c)
    registrar a perda efetiva como resultado abrangente e o ganho como outras receitas operacionais.
  • d)
    lançar os ganhos e perdas no resultado do exercício, visto que a efetividade não alcançou os 100% exigidos para adoção do procedimento de contabilidade de hedge.
  • e)
    escriturar o ganho ou perda total do hedge como resultado abrangente, garantindo o confronto da despesa com a receita.

211285 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Contabilidade Geral





Com base nas informações, pode-se afirmar que:

  • a)
    o resultado apurado nessa operação deve ser divulgado em um único valor na Demonstração do Resultado do Exercício, separadamente do resultado das operações em continuidade e a análise do valor apurado divulgado em notas explicativas.
  • b)
    a contabilidade da empresa deve transferir os valores constantes do imobilizado para a conta de baixa de imobilizados, registrar as despesas e os tributos nas despesas operacionais e reconhecer como ganhos em operações descontinuadas o valor total recebido na venda.
  • c)
    o recebimento do valor da venda deve ser registrado a crédito de receitas extraordinárias e o valor de R$ 270.000,00 deve ser baixado a débito dessa mesma conta para evidenciar o resultado líquido de R$ 30.000,00 na Demonstração de Resultado como Lucros de Operações Descontinuadas.
  • d)
    os registros devem ser efetuados a crédito de Receitas com Imobilizados, as despesas como Despesa Operacional, os tributos e a baixa dos itens vendidos debitados como Custo do Imobilizado a crédito de Caixa e Imobilizado respectivamente.
  • e)
    Nessa operação a empresa apurou um ganho líquido de R$ 8.000,00 que deve ser apresentado na Demonstração do Exercício como Ganhos/Perdas de Capital com Imobilizados no grupo de outros resultados operacionais.

211286 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Contabilidade Geral

Mostrar/Esconder texto associado

O efeito no Fluxo de Caixa relativo ao recebimento dos saldos fornecidos de Clientes foi de:

  • a)
    R$ 93.000 relativos ao saldo de 2009 e R$ 189.000 referentes ao saldo de 2010.
  • b)
    R$ 92.000 relativos ao saldo de 2010 e R$ 372.000 referentes ao saldo de 2011.
  • c)
    R$ 90.000 relativos ao saldo de 2009 e R$ 200.000 relativos ao saldo de 2010.
  • d)
    R$ 194.000 relativos ao saldo de 2010 e R$ 328.000 referentes ao saldo de 2011.
  • e)
    R$347.000 referentes ao saldo de 2011 e R$ 480.000 relativos ao saldo de 2012.

211287 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Contabilidade Geral

A Cia. Iluminada participa com 4% do capital ordinário da Cia. Hércules. Nessa participação societária permanente, a investidora não possuía infl uência significativa. Na ocasião da aprovação das contas e distribuição do resultado da Cia. Hércules, também foi aprovada a distribuição de R$ 500.000 a título de dividendos aos seus acionistas. A empresa investidora, ante esse fato, deve registrar um débito:

  • a)
    em Resultado com Investimentos a crédito de Ganhos com Participações Societárias Permanentes.
  • b)
    em Participações Societárias Permanentes a crédito de Receitas não Correntes – Investimentos.
  • c)
    de Dividendos a Receber a crédito de Outras Receitas Operacionais – Dividendos e Rendimentos de Outros Investimentos.
  • d)
    de Disponibilidades a crédito de Ganhos e Perdas com Participações Permanentes em Outras Sociedades.
  • e)
    de Conta de Resultado a crédito de Resultados com Investimentos Permanentes em outras Sociedades Coligadas.

211288 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Contabilidade Geral

A Cia. Urano aproveita a proposta de seu fornecedor e antecipa a liquidação de uma duplicata de seu aceite, mediante um desconto de 10% do valor total do título. Essa operação implica no reconhecimento de:

  • a)
    um ganho não operacional.
  • b)
    uma receita financeira.
  • c)
    um crédito na conta estoques.
  • d)
    uma conta redutora de fornecedores.
  • e)
    um ganho de capital.

211289 ESAF (2013) - MF - Analista de Finanças e Controle - Contábil-Financeira / Contabilidade Pública

Em relação aos Princípios de Contabilidade aplicados ao setor público, é correto afirmar que o princípio da competência determina que

  • a)
    o Patrimônio seja reconhecido como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, a necessidade da diferenciação de um Patrimônio particular no universo dos patrimônios existentes.
  • b)
    a Entidade continuará em operação no futuro e, portanto, a mensuração e a apresentação dos componentes do patrimônio levam em conta esta circunstância.
  • c)
    o processo de mensuração e apresentação dos componentes patrimoniais deve produzir informações íntegras e tempestivas.
  • d)
    os efeitos das transações e outros eventos sejam reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do recebimento ou pagamento.
  • e)
    os componentes do patrimônio devem ser inicialmente registrados pelos valores originais das transações, expressos em moeda nacional.