150 resultados encontrados para . (0.006 segundos)

201855 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

De acordo com a Portaria N. 230, de 17 de dezembro de 2002, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional IPHAN, assinale a opção incorreta sobre as fases de obtenção de licenças e estudos e procedimentos preventivos de arqueologia.

  • a)
    Na fase de obtenção de licença prévia, a contextualização arqueológica e etnohistórica da área de influência do empreendimento é elaborada por meio de levantamento exaustivo de dados secundários e levantamento arqueológico de campo.
  • b)
    No caso de projetos afetando áreas arqueologicamente desconhecidas, pouco ou mal conhecidas que não permitam inferências sobre a área de intervenção do empreendimento, não se fará necessário o levantamento arqueológico de campo na área de influência direta do empreendimento.
  • c)
    No âmbito do Estudo de Impacto Ambiental do Empreendimento (EIA), deverão ser estabelecidos, a partir do diagnóstico e da avaliação dos impactos, os Programas de Prospecção e de Resgate.
  • d)
    Na fase de obtenção de licença de instalação do empreendimento, deve ser implantado o Programa de Prospecção proposto na fase de Estudos Ambientais, com objetivo de estimar a quantidade de sítios arqueológicos existentes nas áreas afetadas direta ou indiretamente pelo empreendimento e subsidiar maior detalhamento para o Programa de Resgate Arqueológico proposto pelo Estudo de Impacto Ambiental.
  • e)
    Na fase de obtenção de licença de operação, é executado o Programa de Resgate Arqueológico, em que são realizados os trabalhos de salvamento arqueológico nos sítios selecionados na fase anterior.

201856 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

Considere a seguinte situação hipotética: o rio Jacu, não poluído e não contaminado, recebe um lançamento pontual A, que corresponde ao esgoto não-tratado de uma cidade. Trata-se de uma única fonte de poluição e de contaminação, antes de o rio Jacu desembocar no rio Jaci. Em período de seca, a vazão do rio Jacu é, pelo menos, duas vezes maior do que a vazão do lançamento A. Tendo em vista a questão hipotética apresentada, é incorreto afirmar que:

  • a)
    a concentração máxima de poluição orgânica no rio Jacu, expressa pela concentração de DBO (demanda bioquímica de oxigênio), deve ocorrer logo após a mistura completa do efluente A nas águas do rio Jacu.
  • b)
    a concentração máxima de coliformes fecais totais deve ocorrer logo após a mistura completa do efluente A nas águas do rio Jacu.
  • c)
    o déficit máximo de OD (oxigênio dissolvido) deve ocorrer logo após a mistura completa do efluente A nas águas do rio Jacu.
  • d)
    a concentração máxima de metais pesados deve ocorrer logo após a mistura completa do efluente A nas águas do rio Jacu.
  • e)
    a concentração máxima do nutriente fósforo total deve ocorrer logo após a mistura completa do efluente A nas águas do rio Jacu.

201857 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

O Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA é constituído pelos órgãos e entidades da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos Municípios, bem como as fundações instituídas pelo Poder Público, responsáveis pela proteção e pela melhoria da qualidade ambiental. Entre os órgãos a seguir relacionados não compõe a estrutura do SISNAMA:

  • a)
    Órgãos ou entidades federais, estaduais ou municipais, responsáveis por atividades correlatas ao gerenciamento ambiental, nas suas respectivas jurisdições (órgãos seccionais).
  • b)
    Órgãos ou entidades municipais, responsáveis pelo controle e fiscalização de atividades capazes de provocar a degradação ambiental (órgãos locais).
  • c)
    Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA (órgão consultivo e deliberativo).
  • d)
    Ministério do Meio Ambiente – MMA (órgão central).
  • e)
    Conselho de Governo (órgão superior).

201858 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

Analise as afirmativas que se seguem e assinale a opção que melhor representa o conjunto, considerando C para alternativa correta e E para afirmativa errada.



( ) As unidades de conservação integrantes do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC) dividem-se em dois grupos, com características específicas, as Unidades de Uso Ambiental e as Unidades de Proteção Integral.



( ) O objetivo básico das Unidades de Uso Ambiental do SNUC é compatibilizar a conservação da natureza com o uso produtivo e sustentável de parcela dos seus recursos naturais.



( ) O objetivo básico das Unidades de Proteção Integral do SNUC é preservar a natureza, sendo admitido apenas o uso indireto dos seus recursos naturais, com exceção dos casos previstos em Lei.

  • a)
    C - C - E
  • b)
    C - E - C
  • c)
    E - C - C
  • d)
    E - E - C
  • e)
    E - C - E

201859 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

No que se refere a questões associadas às Auditorias Ambientais, no mundo e no Brasil, é incorreto a?rmar que:

  • a)
    a Auditoria Ambiental, em sua origem na América do Norte, na década de 1970, foi formulada como uma ferramenta de avaliação, de natureza voluntária, adotada pela própria iniciativa privada, para a verificação da ocorrência de riscos e passivos ambientais de seus empreendimentos.
  • b)
    a partir do final da década de 1980, as auditorias ambientais se tornaram uma ferramenta comum de gestão ambiental nos países desenvolvidos. Desde então, foi cada vez maior sua aplicação nos países em desenvolvimento, tanto pelas empresas multinacionais, que obedeciam a diretrizes de seus países de origem, quanto pelas próprias empresas nacionais.
  • c)
    no Brasil, a busca pela certificação ambiental, de acordo com a norma NBR ISO 14001, o incremento do rigor da legislação ambiental em alguns Estados e em função de alguns tipos de empreendimentos, levaram as auditorias ambientais a serem incorporadas pelas áreas ambientais de um número significativo de empresas nacionais.
  • d)
    no Brasil, a auditoria ambiental é, essencialmente, um processo voluntário das empresas, com vistas à certificação ambiental, não havendo demandas de auditorias ambientais compulsórias pelos órgãos ambientais federal e estaduais. No entanto, alguns Estados, como Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro e Espírito Santo, reconhecem as auditorias ambientais voluntárias em seus processos de licenciamento ambiental de empreendimentos.
  • e)
    independentemente de qual seja a motivação para realização de uma auditoria ambiental, pode-se adequar a auditoria ambiental às necessidades da organização. Há vários tipos de auditoria utilizados pelas empresas, tais como a auditoria de gestão ambiental, a auditoria de conformidade legal, a auditoria de sistemas gerenciais, a auditoria técnica e de processos, a auditoria de risco, entre outras.

201860 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

Analise as afirmativas que se seguem e assinale a opção que melhor representa o conjunto, considerando C para alternativa correta e E para afirmativa errada.



( ) Ecomercado pode ser entendido como o mercado onde há incorporação, de forma integrada, dos aspectos sociais, econômicos e ambientais nas atividades desenvolvidas, de modo a propiciar a implantação e a efetivação do desenvolvimento sustentável.



( ) Os negócios sustentáveis fazem parte de um novo modelo empresarial, em que produtos e serviços ambientais baseiam suas estratégias na viabilidade ambiental para além da mera tecnologia, abrangendo todo ciclo de vida do produto - da matéria prima à eliminação.



( ) A Compensação Ambiental é um mecanismo de comando-e-controle que, baseado no princípio usuário- pagador de recursos naturais, busca determinar um valor financeiro a ser pago pelo impacto ambiental causado por um empreendimento.

  • a)
    C - C - E
  • b)
    E - C - C
  • c)
    C - E - C
  • d)
    E - E - C
  • e)
    E - C - E

201861 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

As atividades humanas, sociais e econômicas se produzem em um determinado espaço geográfico. O planejamento territorial teria como objetivo primordial contribuir na ordenação do território afetado por tais atividades, buscando promover condições de desenvolvimento sustentável. Além dos territórios dos entes federados, a legislação brasileira previu outros espaços geográficos para planejamento governamental e implantação de políticas públicas. Com base nesse contexto, analise as afirmativas que se seguem e assinale a opção que melhor representa o conjunto, considerando C para alternativa correta e E para afirmativa errada.



( ) No Brasil, Regiões Metropolitanas são constituídas por agrupamentos de municípios limítrofes, para integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum. Já existem, no País, mais de 35 Regiões Metropolitanas.



( ) A criação de Regiões Metropolitanas no Brasil se dá por meio de lei ordinária federal, o que leva a uma necessária articulação entre a União e a Unidade da Federação onde se encontra a Região Metropolitana a ser criada.



( ) Quando o espaço das atividades humanas e econômicas se desenvolve em mais de uma Unidade da Federação, pode-se prever a constituição das denominadas RIDES - Regiões Integradas de Desenvolvimento, que têm, como objetivo, articular e harmonizar as ações administrativas da União, dos Estados e dos Municípios, naquele território, para a promoção de ações mais eficientes em prol do desenvolvimento. São três, atualmente, as RIDES constituídas no Brasil: DF e Entorno, Petrolina- Juazeiro e Grande Teresina.

  • a)
    C - C - E
  • b)
    E - C - C
  • c)
    C - E - C
  • d)
    E - E - C
  • e)
    E - C - E

201862 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

A Resolução CONAMA Conselho Nacional do Meio Ambiente n. 357, de 17 de março de 2005, dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento. Com relação ao disposto por essa Resolução, é incorreto afirmar que:

  • a)
    as águas doces, salobras e salinas do Território Nacional são classificadas, segundo a qualidade requerida para os seus usos preponderantes, em treze classes de qualidade.
  • b)
    o enquadramento dos corpos de água dar-se-á de acordo com as normas e procedimentos definidos pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos-CNRH e Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos.
  • c)
    enquanto não aprovados os respectivos enquadramentos, as águas doces serão consideradas classe 2, as salinas e salobras classe 1, exceto se as condições de qualidade atuais forem melhores, o que determinará a aplicação da classe mais rigorosa correspondente.
  • d)
    as águas doces de “classe especial” são águas destinadas ao abastecimento para consumo humano, com desinfecção, à preservação do equilíbrio natural das comunidades aquáticas e à preservação dos ambientes aquáticos em unidades de conservação de proteção integral.
  • e)
    as águas doces de “classe 3” são águas que podem ser destinadas ao abastecimento para consumo humano, após tratamento convencional ou avançado, à irrigação de culturas arbóreas, cerealíferas e orrageiras, à pesca amadora e à recreação de contato primário, tais como natação, esqui aquático e mergulho.

201863 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

Com relação ao preconizado pela Lei n. 11.428, de 22 de dezembro de 2006, que dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Mata Atlântica, é correto afirmar que:

  • a)
    a definição de vegetação primária e de vegetação secundária nos estágios avançado, médio e inicial de regeneração do Bioma Mata Atlântica, nas hipóteses de vegetação nativa localizada, será de iniciativa dos Conselhos do Meio Ambiente das Unidades da Federação onde houver ocorrência do Bioma Mata Atlântica.
  • b)
    o corte e a supressão da vegetação primária do Bioma Mata Atlântica somente serão autorizados, em caráter excepcional, quando necessários à realização de obras, projetos ou atividades de utilidade pública, pesquisas científicas e práticas preservacionistas.
  • c)
    mesmo no caso de exploração eventual, sem propósito comercial direto ou indireto, de espécies da flora nativa, para consumo nas propriedades ou posses das populações tradicionais ou de pequenos produtores rurais, é necessária a autorização dos órgãos competentes, conforme regulamento específico.
  • d)
    novos empreendimentos, que impliquem o corte ou a supressão de vegetação do Bioma Mata Atlântica, poderão ser implantados, indistintamente, em áreas de vegetação primária ou em áreas já substancialmente alteradas ou degradadas, a juízo do órgão ambiental estadual competente.
  • e)
    é autorizada a supressão de vegetação primária do Bioma Mata Atlântica, para fins de loteamento ou edificação, nas regiões metropolitanas e áreas urbanas, consideradas como tal, a juízo do órgão ambiental municipal ou, na ausência desse, do órgão ambiental estadual.

201864 ESAF (2013) - DNIT - Analista em Infraestrutura de Transportes / Engenharia Ambiental

A Resolução CONAMA n. 371/ 2006 estabelece diretrizes aos órgãos ambientais para o cálculo, cobrança, aplicação, aprovação e controle de gastos de recursos advindos de compensação ambiental, conforme a Lei n. 9.985/2000, que instituiu o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza SNUC. Analise as afirmativas que se seguem e assinale a opção que melhor representa o conjunto, considerando C para alternativa correta e E para afirmativa errada.



( ) A resolução estabelece diretrizes para cálculo, cobrança, aplicação, aprovação e controle de gastos de recursos financeiros advindos da compensação ambiental decorrente dos impactos causados pela implantação de empreendimentos de significativo impacto ambiental, assim considerado pelo órgão ambiental competente, com fundamento em Estudos de Impacto Ambiental-EIA e Relatório de Impacto Ambiental-RIMA.



( ) O órgão ambiental licenciador estabelecerá o grau de impacto ambiental causado pela implantação de cada empreendimento, fundamentado em base técnica específica que possa avaliar os impactos negativos e não mitigáveis aos recursos ambientais.



( ) Para o cálculo da compensação ambiental serão considerados os custos totais previstos para implantação e operação do empreendimento, assim como a metodologia de gradação de impacto ambiental, definida pelo órgão ambiental competente, em acordo com o empreendedor.

  • a)
    C - C - E
  • b)
    E - C - C
  • c)
    C - E - C
  • d)
    E - E - C
  • e)
    E - C - E