35 resultados encontrados para . (0.008 segundos)

206171 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Administração Financeira e Orçamentária

Uma determinada prefeitura registrou a arrecadação do IPTU após o fato gerador da receita orçamentária. Desconsiderando a classificação quanto à natureza da informação, o lançamento feito pela prefeitura referente a esse fato contábil foi:

  • a)
    D.Receita Realizada Orçamentária C.Receita Realizada
  • b)
    D.Controle da Disponibilidade de Recursos C.Execução da Disponibilidade de Recursos Disponibilidade por Destinação de Recursos
  • c)
    D.Previsão Inicial da Receita Orçamentária C.Receita Realizada
  • d)
    D.Créditos Tributários a Receber C.Créditos Tributários Recebidos
  • e)
    D.Receita Realizada C.Previsão Inicial da Receita Orçamentária

206172 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Contabilidade Pública

O Apêndice II da Resolução CFC nº 750/1993 faz menção a um princípio que diz respeito à “necessidade de as variações serem reconhecidas na sua totalidade, independentemente do cumprimento das formalidades legais para sua ocorrência, visando ao completo atendimento da essência sobre a forma”. Sob o enfoque dos princípios contábeis aplicados ao setor público, a afirmação acima caracteriza o Princípio da:

  • a)
    Entidade
  • b)
    Prudência
  • c)
    Oportunidade
  • d)
    Continuidade
  • e)
    Competência

206173 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Auditoria

A avaliação (assurance) é uma das atividades no processo de auditoria interna, que se caracteriza por

  • a)
    apresentar uma avaliação subjetiva da evidência pelo auditor interno.
  • b)
    apresentar a natureza e o escopo do trabalho sujeitos a um acordo com a entidade.
  • c)
    ter a finalidade de fornecer uma opinião ou conclusões independentes a respeito de uma entidade, operação ou processo.
  • d)
    ser realizada a partir da solicitação específica de uma entidade.
  • e)
    manter a imparcialidade do auditor interno, uma vez que ele não deve assumir responsabilidades que são da administração.

206174 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Auditoria

De acordo com o Código de Ética para o exercício profissional da auditoria interna, emitido pelo The Institute of Internal Auditors, a atividade de auditoria deve respeitar princípios e regras de conduta ética. Em relação aos princípios dispostos no Código de Ética, destaca-se que, pelo princípio da

  • a)
    integridade, os auditores internos devem realizar uma avaliação equilibrada de todas as circunstâncias relevantes.
  • b)
    objetividade, os auditores internos devem apresentar uma confiança que represente a base para a confiabilidade atribuída a seu julgamento.
  • c)
    competência, os auditores internos utilizam critérios fundamentados e experiência profissional na coleta, avaliação e comunicação de informações sobre a atividade ou processo examinado.
  • d)
    confidencialidade, os auditores internos não divulgam informações sem autorização apropriada, exceto em aso de obrigação legal ou profissional.
  • e)
    materialidade, os relatórios da auditoria interna devem reportar os achados que forem relevantes na identificaçãodos riscos da entidade.

206175 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Auditoria

De acordo com a NBC TA 300 – Planejamento da Auditoria de Demonstrações Contábeis, aprovada pela Resolução CFC no 1.211/2009, o planejamento da auditoria envolve a definição de estratégia global para o trabalho e o desenvolvimento de plano de auditoria. Que item é considerado prescindível, ao elaborar o planejamento de uma auditoria?

  • a)
    Conhecimento da missão e objetivos estratégicos da entidade.
  • b)
    Identificação de entidades associadas, filiais e partes relacionadas da entidade auditada.
  • c)
    Análise dos principais indicadores econômico-financeiros da entidade auditada.
  • d)
    Necessidade de atender a prazos estabelecidos por entidades reguladoras.
  • e)
    Conhecimento das práticas contábeis adotadas pela entidade e eventuais mudanças no exercício anterior.

206176 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Direito Administrativo

Marco é servidor público. Ele sofreu processo administrativo disciplinar perante comissão de inquérito, o qual foi arquivado por falta de provas. Após o arquivamento, a autoridade que chefiava a seção foi substituída. Seu sucessor determinou o desarquivamento do processo referido, cancelou as conclusões da comissão e impôs ao servidor pena de censura. Nesse caso, a autoridade atuou

  • a)
    realizando atos vinculados inerentes à função de chefia
  • b)
    observando o interesse público pela probidade
  • c)
    praticando atos discricionários na penalização
  • d)
    exercendo regularmente o poder disciplinar
  • e)
    abusando do seu poder funcional

224611 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Administração Financeira e Orçamentária

Nos termos do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal – SIAFI, a descentraliza- ção de recursos financeiros internos constitui-se na movimentação financeira intitulada

  • a)
    cota financeira
  • b)
    baixa financeira
  • c)
    repasse financeiro
  • d)
    provisão financeira
  • e)
    sub-repasse financeiro

224612 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Contabilidade Pública

As receitas orçamentárias, nos termos do Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, classificam-se segundo alguns critérios. Os critérios são estes:

  • a)
    espécie; fonte/destinação de recursos; indicador de resultado nominal
  • b)
    espécie; fonte/destinação de recursos; indicador de resultado primário
  • c)
    natureza; fonte/destinação de recursos; categoria econômica
  • d)
    natureza; fonte/destinação de recursos; indicador de resultado nominal
  • e)
    natureza; fonte/destinação de recursos; indicador de resultado primário

224613 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Auditoria

De acordo com o The Institute of Internal Auditors, a estrutura das Normas Internacionais para a Prática Profissional de Auditoria Interna é dividida entre Normas de Atributos e de Desempenho. As Normas de Atributos e as Normas de Desempenho se referem, respectivamente, a

  • a)
    características das organizações e dos indivíduos que executam auditoria interna e à natureza da auditoria interna e critérios de qualidade.
  • b)
    características que identificam achados de auditoria e características das organizações e a indivíduos que executam auditoria interna.
  • c)
    normas para avaliação da auditoria e a normas aplicá- veis a serviços de auditoria interna.
  • d)
    normas para avaliações subjetivas e a normas para avaliações objetivas.
  • e)
    normas para avaliação (assurance) e a atividades de consultoria.

224614 CESGRANRIO (2013) - IBGE - Analista - Auditoria / Auditoria

As Normas Internacionais para o exercício profissional da auditoria interna, emitidas pelo The Institute of Internal Auditors, dispõem sobre a natureza da auditoria interna e fornecem os critérios de qualidade em face dos quais o desempenho desses serviços possa ser avaliado. A partir das disposições dessas normas, o gerenciamento da atividade de auditoria interna é considerado eficaz quando o(s )

  • a)
    escopo de trabalho dos auditores internos não sofre limitações.
  • b)
    achados de auditoria são identificados sem dificuldade.
  • c)
    riscos externos são eliminados ou reduzidos ao mínimo.
  • d)
    mapas de riscos internos a que a entidade está sujeita podem ser elaborados com isenção quanto às suas responsabilidades.
  • e)
    resultados do trabalho da atividade de auditoria interna cumprem a responsabilidade definida no estatuto deauditoria interna.