40 resultados encontrados para . (0.007 segundos)

16606 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

No Brasil, a Constituição Federal de 1988, em seu artigo 7^o, inciso XXXI, determina a "proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência". Assim, uma organização deve fazer adaptações que sejam precisas para dar condições de uma pessoa com necessidades especiais realizar um trabalho. Tal contexto remete ao conceito de
  • a)
    ação afirmativa.
  • b)
    impacto adverso.
  • c)
    acomodação razoável.
  • d)
    discriminação positiva.
  • e)
    seleção igualitária.

16607 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

Atualmente, considera-se benéfico utilizar os diferentes talentos, pontos de vista e formações que os funcionários de uma organização possuem, combatendo a crença de que todos os que não fazem parte de um grupo dominante devem a ele se adaptar. Tal situação é caracterizada pelo conceito de
  • a)
    assimilação de grupos.
  • b)
    reserva de cotas para minorias.
  • c)
    reserva de cotas a portadores de necessidades especiais.
  • d)
    diversidade da força de trabalho.
  • e)
    homogeneização dos funcionários.

16608 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

Em uma reunião realizada com o objetivo de discutir a interação e o processo de tomada de decisão dos integrantes dos diferentes setores de uma organização, o psicólogo alerta para o pensamento de grupo, que tem aspectos positivos e negativos para o setor e para a organização como um todo. O pensamento de grupo é caracterizado por ser um(a)
  • a)
    padrão de tomada de decisão que pode ser prejudicial para a empresa e que se desenvolve a partir de um elevado grau de unidade e desejo de consenso entre os membros.
  • b)
    estrutura semelhante à matricial, pelo fato de o grupo ser reunido para desenvolver um determinado plano, desde os estágios iniciais até a conclusão do projeto.
  • c)
    passagem de um grupo para uma posição mais extrema do que a posição individual dos componentes, já que o anonimato é favorecido, diminuindo as chances de retaliação diante de um comportamento socialmente proibido.
  • d)
    discussão conjunta sobre as pessoas reais e menos participativas da organização, com o propósito de trocar informações, conquistar influências e exercer controle social.
  • e)
    forma de tornar os empregados mais conscientes das mudanças transformacionais que são possíveis e de levar a maior satisfação com a maneira pela qual a organização está funcionando.

16609 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

O Desenvolvimento Organizacional é uma abordagem de mudança organizacional na qual os próprios funcionários formulam e implementam as devidas ações para melhorar a capacidade da empresa e aumentar as habilidades nas resoluções de problemas. Esta abordagem tem como principal característica ser baseada na
  • a)
    pesquisa e na ação.
  • b)
    administração de conflitos.
  • c)
    remuneração por competência.
  • d)
    disseminação de conhecimento.
  • e)
    capacidade motivacional.

16610 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

O psicólogo de uma empresa tem a tarefa de liderar um processo de mudança de cultura organizacional. Para tanto, uma estratégia compatível com a necessidade será
  • a)
    atuar em recrutamento, seleção, treinamento e avaliação de desempenho dos funcionários.
  • b)
    imbuir-se dos modelos construídos ao longo da trajetória da empresa a fim de transmiti-los aos trabalhadores.
  • c)
    aprimorar sua atuação em nível técnico, de modo que possa prestar atendimento individualizado.
  • d)
    conduzir atividades que questionem o conjunto de valores compartilhados na organização, convidando os funcionários a reconstruí-los.
  • e)
    realizar remanejamento de pessoal e entrevistas de desligamento de funcionários que não se adaptem à mudança.

16611 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

Considere as afirmativas a seguir.
. As pessoas reagem ao ambiente social em que estão.
. A motivação depende mais das necessidades sociais do que das necessidades econômicas.
. Quem está satisfeito trabalha melhor do que os insatisfeitos.
Essas são premissas básicas da(dos)
  • a)
    Teoria X.
  • b)
    teoria clássica da Administração.
  • c)
    teoria da motivação de McClleland.
  • d)
    Escola das Relações Humanas.
  • e)
    estudos de Hawthorne.

16612 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

Um debate sobre conflito nas organizações deu ensejo às afirmações apresentadas a seguir, sendo correta apenas a que considera que
  • a)
    competição e conflito são conceitos semelhantes, sendo o segundo naturalmente derivado do primeiro.
  • b)
    conflitos nas organizações devem ser evitados a qualquer custo, já que são a fonte estrita de processos negativos.
  • c)
    conflitos dão origem, em geral, a cinco tipos de reações, envolvendo competição, colaboração, concessão, fuga e acomodação.
  • d)
    estratégias de estímulo ao conflito entre indivíduos e grupos são injustificáveis em qualquer organização.
  • e)
    a inexistência de conflitos entre indivíduos e grupos indica que a organização é bastante amadurecida e encontra-se em estágio ideal.

16613 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

A questão do método em Psicologia do Trabalho é discutida por Lima (2002), quando argumenta que o psicólogo deve abordar da forma mais direta possível as situações de trabalho, buscando desvendá-las e compreendê-las para, só então, agir sobre elas. Nesse sentido, descreve duas metodologias: Análise psicossocial do trabalho e Análise ergonômica do trabalho. Enquanto a Análise psicossocial do trabalho apoia-se fundamentalmente no discurso dos trabalhadores, tentando apreender as dimensões subjetivas e intersubjetivas, a Análise ergonômica do trabalho se caracteriza por
  • a)
    buscar coletar dados referentes às condições concretas de realização das atividades no ambiente de trabalho, por meio da observação direta.
  • b)
    buscar resgatar as experiências vividas pelos indivíduos ao realizarem seu trabalho.
  • c)
    privilegiar o estudo da adaptação do homem ao ambiente, enfocando o papel ativo do trabalhador no processo de construção do conhecimento.
  • d)
    privilegiar a forma pela qual o indivíduo percebe o trabalho e sua satisfação com o salário.
  • e)
    ter como base fundamental o interesse pelo estudo do histórico ocupacional dos funcionários, sobretudo os de nível operacional.

16614 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

De acordo com Robbins (2005), para que uma organização sobreviva, tem que responder às mudanças em seu ambiente. Entretanto, não só os indivíduos, mas também as organizações podem resistir à mudança. Segundo o autor, dentre as fontes de resistência organizacional à mudança, destaca(m)-se
  • a)
    a segurança.
  • b)
    a ameaça às alocações de recurso estabelecidas.
  • c)
    o medo do desconhecido.
  • d)
    o processamento seletivo das informações.
  • e)
    os hábitos.

16739 CESGRANRIO (2009) - BNDES - Profissional Básico - Psicologia / Psicologia

Ao constituir equipes para discutir os problemas da organização e buscar solução para eles, um psicólogo opta por trabalhar com a técnica de grupo nominal, cuja utilização apresenta, como vantagem(ns):
  • a)
    adequação à fase de geração de ideias e foco na resolução de problemas novos, cujas consequências tenham grande alcance, por meio de reuniões para gerar alternativas.
  • b)
    ajuda na superação dos efeitos negativos das diferenças de poder e de status entre os integrantes do grupo e possibilidade de utilização tanto para explorar problemas, como para gerar alternativas ou avaliá-las.
  • c)
    adoção de metodologia de coleta sistemática de opiniões emitidas por especialistas, a serem utilizadas no desenvolvimento de previsões, e projeções para atender grupos sem encontros presenciais.
  • d)
    permissão para que duas ou mais partes (grupos ou pessoas) cheguem a um acordo, apesar de terem opiniões distintas em relação a um problema, o que traz consequências negativas para a organização como um todo.
  • e)
    promoção da persistência em uma ação ineficaz, mesmo quando os indícios demonstram que o projeto está fadado ao fracasso, evidenciando maior comprometimento dos empregados.