Notice (8): Undefined variable: description_for_layout [APP/View/Layouts/default.ctp, line 16] - 5 questões grátis para resolução." /> Notice (8): Undefined variable: description_for_layout [APP/View/Layouts/default.ctp, line 34] - 5 questões gratuitas para resolução." />
5 resultados encontrados para . (0.013 segundos)

05324 CESGRANRIO (2006) - Transpetro - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

A respeito de redes de computadores, são feitas as afirmativas abaixo.

I - De forma similar à topologia de barramento, a topologia token ring apresenta pelo menos duas extremidades.
II - A arquitetura TCP/IP apresenta cinco camadas, sendo que a camada Interface de Rede é responsável pela transmissão (roteamento) dos dados em redes diferentes.
III - O NFS pode ser utilizado para que estações que não possuam dispositivos de armazenamento (diskless), ou que possuam dispositivos com pouca capacidade, armazenem informações em equipamentos que possuam espaço disponível.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s):
  • a)
    I, apenas.
  • b)
    II, apenas.
  • c)
    III, apenas.
  • d)
    II e III, apenas.
  • e)
    I, II e III.

05325 CESGRANRIO (2006) - Transpetro - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

Em uma rede local Ethernet 10Base-T, um hub pode ser substituído, com provável melhoria na taxa de transmissão efetiva de cada estação, por um:
  • a)
    switch.
  • b)
    modem síncrono.
  • c)
    modem assíncrono.
  • d)
    concentrador passivo.
  • e)
    adaptador multisserial.

05326 CESGRANRIO (2006) - Transpetro - Analista de Sistemas / Redes de Computadores

Em redes que utilizam o modelo RM-OSI, os repetidores e as pontes atuam, respectivamente, nas camadas:
  • a)
    Físico e Enlace.
  • b)
    Físico e Sessão.
  • c)
    Rede e Enlace.
  • d)
    Rede e Transporte.
  • e)
    Transporte e Sessão.

23589 CESGRANRIO (2006) - Transpetro - Analista de Sistemas / Sistemas Operacionais

Um sistema operacional é uma camada de software que atua entre o hardware e os diversos aplicativos existentes em um sistema computacional, executando diversas atividades, de modo a garantir a disponibilidade de recursos entre todos os programas em execução. O gerenciador de memória é uma atividade do sistema operacional, responsável por:
  • a)
    distribuir a capacidade de processamento de forma justa entre as aplicações, evitando que uma aplicação monopolize o processador.
  • b)
    implementar a interação com cada dispositivo, através de drivers, criando modelos abstratos que permitam agrupar vários dispositivos distintos sob a mesma interface de acesso.
  • c)
    definir usuários e grupos de usuário, bem como identificar usuários que se conectam ao sistema, através de procedimentos de autenticação.
  • d)
    criar as abstrações de arquivos e diretórios, definindo interface de acesso e regras para o seu uso.
  • e)
    disponibilizar, para cada aplicação, um espaço de memória próprio, independente e isolado dos demais, inclusive do núcleo do sistema operacional.

23597 CESGRANRIO (2006) - Transpetro - Analista de Sistemas / Sistemas Operacionais

O sistema operacional, através do gerenciador de memória, deve tentar manter na memória principal o maior número de processos residentes, permitindo maximizar o compartilhamento do processador e demais recursos computacionais. Mesmo na ausência de espaço livre, o sistema deve permitir que novos processos sejam aceitos e executados. A técnica de swapping foi introduzida para contornar o problema de insuficiência de memória principal, e consiste de:
  • a)
    dividir o programa em módulos, de forma que seja possível a execução independente de cada módulo, utilizando uma mesma área de memória.
  • b)
    dividir a memória principal em pedaços de tamanho fixo, chamados partições, onde o tamanho das partições é estabelecido na fase de inicialização do sistema.
  • c)
    dividir a memória em pedaços de tamanho variável, de modo que cada programa utilize apenas o espaço necessário para sua execução.
  • d)
    escolher um processo residente, a ser transferido da memória principal para a memória secundária (swap out), sendo que, posteriormente, o processo é carregado de volta da memória secundária para a memória principal (swap in).
  • e)
    desenvolver as aplicações de modo a não ultrapassar o espaço de endereçamento de memória disponível.