30 resultados encontrados para . (0.009 segundos)

110686 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

Em “As Etapas do Pensamento Sociológico” (2002), Raymond Aron afi rma que cada autor por ele tratado como “primeira geração da sociologia” possui uma concepção da sociedade moderna e de seus desafi os e tendências. Nesse sentido, Aron afi rma que, para Tocqueville, a sociedade moderna seria caracterizada pela:

  • a)
    desigualdade
  • b)
    democracia
  • c)
    competição
  • d)
    solidariedade
  • e)
    centralização

110687 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

Segundo Durkheim (s/d.), “Éuma ilusã o acreditar que podemos educar nossos fi lhos como queremos”. Para o autor, o que determina o tipo de educação em cada sociedade:

  • a)
    é o desejo das famílias
  • b)
    são os costumes e as ideias
  • c)
    é a formação do educador
  • d)
    são os parâmetros curriculares
  • e)
    são a ciência e o progresso

110688 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

Para Marx e Engels “A história de todas as sociedades até nossos dias é a história da luta de classes”. A clássica afi rmação, presente no Manifesto do Partido Comunista de Marx e Engels, apresenta a defi nição dos autores para como ocorrem, em sociedade, os processos de mudança e transformação. Em tal perspectiva, denominada materialismo histórico, a relação entre opressores e oprimidos é marcada:

  • a)
    pelo acordo
  • b)
    pela solidariedade
  • c)
    pela concorrência
  • d)
    pela cooperação
  • e)
    pelo antagonismo

110689 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

Para Durkheim, “Não há povo em que não exista certo número de ideias, sentimentos e práticas que a educação deve inculcar a todas as crianças, indistintamente, seja qual for a categoria social a que pertençam”. Émile Durkheim é considerado um pensador preocupado com a questão da ordem social. Em seus estudos sobre Educação, destaca que a importância desta, em relação à vida social, é de ter uma função:

  • a)
    transformadora
  • b)
    desnecessária
  • c)
    reguladora
  • d)
    burocrática
  • e)
    disruptiva

110690 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

Em “O mal-estar na pós-modernidade”, Bauman (1998) apresenta os ‘tipos’ que personifi cam o período contemporâneo: o turista e o vagabundo, em oposição aos ‘tipos’ modernos; os arrivistas e os párias que, como nômades, são caracterizados por estar sempre em movimento, mas buscando um lugar para permanecer. Nesse sentido, o que caracterizaria a pós-modernidade para o autor é:

  • a)
    a possibilidade de viajar
  • b)
    o poder da Igreja Católica
  • c)
    a identidade rígida
  • d)
    o tempo e espaço fl uidos
  • e)
    o consumismo cultural

110691 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

Segundo Bobbio (2000), autores como Rousseu, Maquiavel e Bodin não classifi cam a ditadura como uma forma de governo corrompida; ela poderia ser justifi cada em momentos de excepcionalidade.

Contudo, Bobbio afi rma que o que distinguiria a ditadura de formas negativas de governo como a tirania e o despotismo seria sua natureza:

  • a)
    legítima
  • b)
    permanente
  • c)
    constitucional
  • d)
    democrática
  • e)
    temporária

115820 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

Em termos da metodologia das ciências sociais, a proposição de Durkheim para o estudo dos fenômenos sociais é analisá-los como:

  • a)
    sentimentos
  • b)
    confl itos
  • c)
    argumentos
  • d)
    coisas
  • e)
    ideias

115821 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

“Acreditando, como Max Weber, que o homem é um animal amarrado a teias de signifi cados que ele mesmo teceu, assumo a cultura como sendo essas teias e sua análise; portanto, não como uma ciência experimental em busca de leis, mas como uma ciência interpretativa, à procura do signifi cado” (Geertz,1989). A partir desse fragmento, pode-se classifi car tanto a antropologia de Geertz como a sociologia de Weber como:

  • a)
    positivista
  • b)
    estruturalista
  • c)
    compreensiva
  • d)
    materialista
  • e)
    funcionalista

115822 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

Santos (1996), ao analisar a década de 1980 e 1990, chama a atenção para o embricamento temporal entre o processo de Globalização, a decorrente internacionalização da economia, e as diferentes experimentações sociais de formulação de alternativas ao modelo de desenvolvimento econômico e social do capitalismo.

No que tange à democracia e à cidadania, o autor destaca o aparecimento de fenômenos sociais que representariam uma das consequências desse embricamento, tanto nos países centrais quanto nos periféricos. O autor faz referência ao surgimento de:

  • a)
    quadrilhas internacionais de tráfi co de drogas
  • b)
    partidos de extrema direita e fundamentalistas
  • c)
    cooperativas de pequenos produtores agrários
  • d)
    novos movimentos sociais e movimento populares
  • e)
    formas alternativas de produção de bens e serviços

115823 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Sociologia / Sociologia

De acordo com Néstor Garcia Canclini (1999), 95% da programação televisiva no México é de produções norte-americanas. Para o autor, para além das análises que identifi cam nesse dado um exemplo da força da indústria cultural de massas, pode-se também usar o consumo para refl etir sobre processos socioculturais mais amplos, como o surgimento de comunidades transnacionais ou desterritorializadas de consumidores, onde se compartilham outras modalidades de sentido social que não a nacionalidade, por exemplo. Neste sentido, Canclini chama atenção para o fenômeno de transformação:

  • a)
    dos estatutos e leis nacionais de comércio dos bens culturais
  • b)
    das formas tradicionais de pertencimento ou identidade
  • c)
    das estruturas institucionais de concessão de cidadania nacional
  • d)
    das confi gurações arcaicas de controle de fronteiras
  • e)
    dos modelos hegemônicos de bens culturais eruditos