30 resultados encontrados para . (0.009 segundos)

110614 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

De acordo com Campos (2011), diversas tendências de educação física escolar propõem metodologias de projetos como parte do planejamento a ser praticado no cotidiano da escola. Tais metodologias implicam em ações cotidianas e de empreendimento para serem efi cazes. Entretanto, além dessas ações, segundo o autor citado, torna-se necessário:

  • a)
    construir o planejamento a partir das decisões dos alunos e da comunidade local
  • b)
    atuar subordinadamente com as leis educacionais e com as necessidades das secretarias de educação
  • c)
    planejar todas as aulas de acordo com o currículo que se aprende nas universidades e com as necessidades do professor
  • d)
    defi nir os projetos de acordo com parcerias empresariais e com as regras da direção da escola
  • e)
    estar em consonância com o projeto pedagógico da escola e com as necessidades da comunidade escolar

110615 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Assis de Oliveira (2001) afi rma que o esporte traz consigo possibilidades de vivências contraditórias em que os pares dialéticos solidariedade/rivalidade, coletividade/individualidade, confiança/ suspeita, entre outros, concorrem frequentemente nas aulas de Educação Física. De acordo com o autor, para que sua proposta de reinvenção e transformação do esporte se efetive concretamente a partir do chão da escola é preciso que o professor de Educação Física empreenda ações conscientes orientadas e movidas para:

  • a)
    a superação da sociedade capitalista
  • b)
    a reforma da sociedade capitalista
  • c)
    o combate à ameaça socialista
  • d)
    o desenvolvimento da indústria do entretenimento e do esporte
  • e)
    o aprimoramento do olimpismo

110616 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Castellani Filho (1998) defende uma concepção de Educação Física que integra a cultura do homem e da mulher brasileiros como uma totalidade formada pela interação de distintas práticas sociais, tais como a dança, o jogo, a ginástica e o esporte que se materializam e ganham força por meio das práticas corporais. Compete à área dar tratamento pedagógico a seus temas, reconhecendo-os como dotados de signifi cado e sentido, porquanto construídos historicamente. Corresponde à concepção defendida pelo autor a cultura:

  • a)
    física
  • b)
    de movimento
  • c)
    dialógica
  • d)
    corporal
  • e)
    motora

110617 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Darido (2003) destaca que os autores de uma determinada abordagem da Educação Física defendem a ideia de que o movimento é o seu principal meio e fi m. Sua função não é desenvolver capacidades que auxiliem a alfabetização e o pensamento lógicomatemático. Além disso, sua proposta não é buscar na Educação Física solução para os problemas sociais do país. Em suma, uma aula deve privilegiar a aprendizagem do movimento. A autora se refere à abordagem:

  • a)
    construtivista-interacionista
  • b)
    crítico-superadora
  • c)
    crítico-emancipatória
  • d)
    sistêmica
  • e)
    desenvolvimentista

110618 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Segundo Daólio (2004), as questões socioculturais começam a ganhar corpo no debate acadêmico da Educação Física a partir da década de 1980, questionando o predomínio biológico. Para o autor, a discussão da área a partir da consideração da cultura ganha relevância com Elenor Kunz, Valter Bracht e Mauro Betti. Embora percorram caminhos diferentes, os autores chegam a alguns denominadores comuns. Entre tais denominadores, é possível destacar:

  • a)
    a necessidade de desequilíbrio entre a identidade pessoal e a identidade social e a não consideração da subjetividade
  • b)
    o fato de a Educação Física não contemplar, ao mesmo tempo, um saber fazer e um saber sobre esse fazer
  • c)
    a crítica à racionalidade científi ca e a importância da dimensão simbólica no comportamento humano
  • d)
    a crítica à racionalidade científi ca e a falta de importância da dimensão simbólica no comportamento humano
  • e)
    o fato de Educação Física contemplar um saber fazer e não contemplar um saber sobre esse fazer

110655 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Os conteúdos trabalhados nas aulas de Educação Física são essenciais para o desenvolvimento e a socialização dos estudantes.

Quanto maior sua abrangência, outras capacidades poderão ser trabalhadas, para além das cognitivas. De acordo com Darido e Souza Jr. (2007), quando o professor solicita que seus alunos realizem determinados exercícios em duplas e debate sobre a importância do respeito ao limite de seu próprio corpo e ao do colega, ele está trabalhando os conteúdos na dimensão:

  • a)
    conceitual
  • b)
    procedimental
  • c)
    atitudinal
  • d)
    aberta
  • e)
    dialógica

115797 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Um grupo de professores do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Unidade na Diversidade, na cidade de São João da Barra, RJ, liderados por Rafael, professor de Educação Física, trabalhou durante todo o primeiro trimestre com seus alunos um projeto sobre atividade física e obesidade. O projeto impunha aos alunos uma rotina semanal de exercícios físicos, a construção de gráfi cos de função, o estabelecimento de relações entre dieta alimentar, gasto calórico e sistema energético, a organização de roteiros de entrevistas, a leitura e a produção de textos. De acordo com as Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais, este projeto se enquadra em duas sugestões metodológicas denominadas:

  • a)
    contextualização e inclusão
  • b)
    inclusão e arbitrariedade
  • c)
    arbitrariedade e globalização
  • d)
    globalização e interdisciplinaridade
  • e)
    interdisciplinaridade e contextualização

115798 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Alvin e Taborda de Oliveira (in Taborda de Oliveira, 2006) analisam que compreender a Educação Física a partir de uma concepção pautada na corporalidade remete a mudanças signifi cativas no plano curricular, tendo em vista a necessidade dos professores mediante os desafi os contemporâneos da sociedade presentes na prática docente. Muitos são os problemas que adentram os muros da escola e, geralmente, estão articulados à estrutura social, interferindo cotidianamente nas manifestações corporais de todos os sujeitos que fazem parte da comunidade escolar. Entre os elementos que interferem nas manifestações corporais e no plano curricular, é possível destacar:

  • a)
    os processos de inclusão manifestos na negação do acesso aos bens culturais
  • b)
    a erotização precoce explorada pela mídia, a violência e o consumo de drogas
  • c)
    os processos de inclusão social vigentes em nosso país
  • d)
    a democratização do acesso aos meios de comunicação e suas interfaces
  • e)
    o respeito às relações humanas e a negação de estereótipos corporais

115799 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Na pesquisa sobre avaliação na dinâmica das aulas de Educação Física escolar, Souza (in Pereira & Souza, 2011) conceituou uma matriz analítica das tendências de avaliação do ensino-aprendizagem.

Tal estudo defi niu como propósito do processo avaliativo o julgamento qualitativo realizado por professores e alunos em busca da transformação social. Tal propósito da avaliação, no campo do ensino-aprendizagem está contido na tendência:

  • a)
    clássica
  • b)
    humanista-reformista
  • c)
    didático-pedagógica
  • d)
    crítico-social
  • e)
    utilitarista

115800 CEPERJ (2015) - SEEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Fonseca (2009) sustenta que há uma relação de dependência entre as aquisições motoras da criança e as pessoas que a envolvem, um desdobramento de duas pessoas, uma forma de sociabilização sincrética a que denomina:

  • a)
    afi namento tônico
  • b)
    estado impulsivo
  • c)
    estado tônico-emocional
  • d)
    reações autoeróticas
  • e)
    diálogo corporal