20 resultados encontrados para . (0.014 segundos)

207264 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

O esporte, enquanto manifestação histórico-cultural moderna, só pode ser pensado e analisado como um elemento constitutivo da sociedade capitalista. Essa afirmação corrobora a ideia de ruptura entre o esporte e as práticas corporais das sociedades précapitalistas. Segundo Bracht (in Assis de Oliveira, 2001), diferente de hoje, nas sociedades tradicionais as práticas corporais estavam necessariamente associadas a instituições de caráter:

  • a)
    religioso e escolar
  • b)
    comercial e militar
  • c)
    religioso e militar
  • d)
    escolar e comercial
  • e)
    militar e escolar

207293 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Pedagogia

O professor Nando trabalhou Jogos Populares com os alunos do 7º ano. Ao fi nal de seis semanas, quando concluiu o que havia planejado, elaborou um instrumento capaz de avaliar o final desse processo de aquisição de conteúdo por parte dos alunos. De acordo com os PCNs, essa fase da avaliação contínua denomina-se:

  • a)
    formativa
  • b)
    somativa
  • c)
    inicial
  • d)
    concomitante
  • e)
    diagnóstica

217324 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

É na fase escolar que jovens vivenciam um conjunto signifi cativo de mudanças, principalmente na questão corporal, em que as influências culturais e sociais em relação à padronização do corpo produzem prejuízos na formação desses jovens. Nesse aspecto, a educação física pode tanto aprofundar tais crises quanto pode auxiliar em sua superação. Nesse sentido, Chaves (in Pereira e Souza, 2011) analisa a importância da educação física como promotora da superação a partir de ações como:

  • a)
    desenvolvimento de atividades que promovam corpos esbeltos na busca de adequação dos jovens à sociedade
  • b)
    defi nição de regras de convivência que proíbam atitudes preconceituosas de cunho corporal e de debates sobre o tema
  • c)
    promoção de habilidades motoras e o sentido olímpico na busca de corpos atléticos saudáveis.
  • d)
    problematização e discussão desse contexto, promovendo o corpo e as práticas corporais como conteúdos da disciplina
  • e)
    desenvolvimento e valorização da competitividade pelo esporte, na busca de desviar a atenção dos jovens para o problema das drogas e das formas de preconceitos

227414 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Gallahue e Ozmun (2003) afi rmam que um auto conceito negativo ou defi ciente pode resultar em problemas de comportamento, dificuldade de aprendizagem e delinquência. Segundo os autores, a percepção que o estudante tem de si afeta o nível de desempenho acadêmico. E os educadores precisam saber utilizar as atividades motoras para encorajar a formação de auto conceitos positivos e estáveis. Ainda de acordo com os autores citados, é muito importante que as experiências motoras dos educandos sejam orientadas para o êxito, pois assim auxiliariam na melhora do auto conceito. E para que isso aconteça, Gallahue e Ozmun sugerem que os educadores usem métodos de abordagens:

  • a)
    de solução de problemas e orientada para a competição
  • b)
    centralizadas na criança e orientada para a competição
  • c)
    por comando e instrução individualizada
  • d)
    de solução de problemas e instrução individualizada
  • e)
    por comando e centralizadas na criança

227416 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Ao apresentar algumas situações de ensino com vistas à transformação didático-pedagógica do esporte, Kunz (2001) define certas estratégias didáticas do professor e sugere os seguintes exemplos de aulas, relativos ao ensino do salto e da corrida veloz coletiva, respectivamente:



1- Somar os saltos de uma equipe para viabilizar a quebra do recorde mundial do salto em distância.

2- Desenvolver o revezamento de corrida de resistência.



Tais exemplos referem-se à estratégia de “transcendência de limites”:

  • a)
    pela criação / inventividade
  • b)
    pela experimentação
  • c)
    pela aprendizagem
  • d)
    pelo rendimento
  • e)
    pelo arranjo material

227417 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

De acordo com os PCNs do Ensino Médio, faz parte do rol de habilidades e competências a serem desenvolvidas nesse segmento da educação básica:

“Compreender as diferentes manifestações da cultura corporal, reconhecendo e valorizando as diferenças de desempenho, linguagem e expressão.”

O professor contribui especialmente para o desenvolvimento desse conjunto de ações quando propõe:

  • a)
    jogos regionais e pré-desportivos
  • b)
    danças, jogos musicais e rítmicos
  • c)
    estudos sobre anatomia, biologia e fi siologia
  • d)
    atividades ginásticas com diferentes fi nalidades
  • e)
    atividades de defesa e ataque

227418 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Como prova ofi cial de salto no atletismo, o salto em altura, ao longo dos anos, desenvolveu técnicas e estilos que contribuíram significativamente para a superação de marcas antes inpensáveis para o ser humano. Darido e Souza Jr. (2007), indicam que a técnica do salto em altura divide-se nas seguintes fases:

  • a)
    corrida de aproximação; chamada; suspensão; recepção
  • b)
    chamada; pêndulo; transposição do sarrafo; queda
  • c)
    corrida de aproximação; chamada; transposição do sarrafo; recepção
  • d)
    chamada; transposição do sarrafo; recepção; queda
  • e)
    corrida de aproximação; pêndulo, extensão; queda

263639 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Enquanto função psicomotora, o tônus interfere signifi cativamente não só nos aspectos afetivos, como também no diálogo corporal que o indivíduo estabelece com o mundo. Contudo, Fonseca (2009) admite que o estudo da função tônica se situa no estudo do sistema nervoso central, tratando-se de um dos mais vastos e complexos da neurofi siologia. Isso refere-se a um dos conceitos mais caros para o ensino da Educação Física, pois segundo esse autor a função tônica:

  • a)
    é a habilidade do músculo para desempenhar repetidamente um trabalho contra uma resistência
  • b)
    impossibilita a relação dialética corporal da atividade de relação interior/exterior
  • c)
    é a habilidade em desempenhar numerosas repetições de certa atividade fatigante
  • d)
    representa a aquisição de certa estrutura temporal adequada à contemporaneidade
  • e)
    toma parte em todos os comportamentos de postura e movimento

263640 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

Em suas reflexões sobre o ensino da Educação Física, Hildebrant-Stramann (2003) afi rma a necessidade de mudanças radicais em nosso pensamento a fi m de que essas mudanças sejam efetivadas na ação educativa dos esportes na escola. Para o autor, são três as exigências:

  • a)
    aulas centradas no professor; aprendizagem restrita às experiências; intenção racionalista
  • b)
    aprendizagem orientada ao desenvolvimento do movimento técnico; conteúdos normatizados e sistematizados; instruções direcionadas do movimento
  • c)
    método com base científi ca; aulas orientadas em metas pré defi nidas; planejamento e organização rigorosa das ações
  • d)
    aulas planejadas em conjunto por professores e alunos; aprendizagem aberta às experiências; conteúdos relacionados à vida cotidiana
  • e)
    conteúdos vinculados à concorrência e sobrepujança; método de ensino flexível; intencionalidade pedagógica

263643 CEPERJ (2013) - SEDUC-RJ - Professor - Educação Física / Educação Física

De acordo com Soler (2006), quando o conteúdo esporte é vivenciado na escola, geralmente se desenvolvem aspectos de treinamento com objetivos ao alto rendimento e de características excludentes para os alunos menos habilidosos. Nesse sentido, o autor aponta alternativas para a prática esportiva baseada no princípio socioeducativo, com características próprias, e que abarca os seguintes princípios necessários:

  • a)
    da cooperação, do absenteísmo e da ludicidade
  • b)
    da competitividade ética, do companheirismo e do olimpismo
  • c)
    do fair play, da cooperação e da competitividade lúdica
  • d)
    da coletividade, do olimpismo e do treinamento tático
  • e)
    da participação, da co educação e da cooperação