35 resultados encontrados para . (0.008 segundos)

214133 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

O movimento revolucionário francês de 1789 conheceu várias fases; uma dessas foi o período conhecido como Convenção nacional (1792-1795), que se caracterizou, exceto:

  • a)
    Pela adoção de um novo calendário, com o objetivo, inclusive, de “revolucionar o tempo” e de incutir um processo de descristianização da sociedade civil francesa;
  • b)
    Pela instituição da “Lei do Máximo”, que estabeleceu o “dirigismo econômico”, contrariando os interesses da burguesia liberal, uma vez que definiu um preço máximo para as mercadorias;
  • c)
    Pelo fim da obrigatoriedade de indenização aos antigos senhores por parte dos camponeses conforme havia sido definido no contexto da Assembleia Nacional Constituinte;
  • d)
    Pela elaboração da Constituição Civil do Clero, o que, na prática terminou subordinando a Igreja ao Estado;
  • e)
    Por a criação de um novo exército, no qual as promoções ao oficialato foram definidas a partir dos critérios da meritocracia.

214134 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

Leia o fragmento abaixo: O Cadáver do Conselheiro Antes, no amanhecer daquele dia, comissão adrede escolhida descobrira o cadáver de Antônio Conselheiro. Jazia num dos casebres anexo a latada, e foi encontrado graças a indicação de um prisioneiro. Removida a breve camada de terra, apareceu no triste sudário de um lençol imundo, em que mãos piedosas haviam desparzidos algumas flores murchas, e repousando sobre uma esteira velha, de taboa, o corpo do famigerado e bárbaro agitador. Estava hediondo. Euclides da Cunha. Os Sertões. Rio de Janeiro,ediouro, 1998. Canudos mostrou para Euclides da Cunha um mundo desconhecido, onde a crueldade teve sua marca maior. Assinale a questão que melhor ilustra os principais fatores que levaram o surgimento de povoamentos como CANUDOS.

  • a)
    O coronelismo, o abandono que vivia o povo sertanejo e a luta pela terra.
  • b)
    Movimento de oposição a igreja católica, que era aliada dos monarquistas.
  • c)
    O crescimento da economia nordestina em relação às demais regiões.
  • d)
    A incompatibilidade de vida entre o sertanejo e a República.
  • e)
    A luta pela reforma agrária, o messianismo e a defesa do retorno da monarquia.

214135 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

A construção de Brasília e a transferência da capital federal ficaram registradas como o grande impacto do governo de Juscelino Kubitschek. Os quatro anos de governo foram marcados por ações embasadas no PLANO DE METAS, em que as seguintes realizações marcaram o governo citado.

  • a)
    Construção de hidrelétricas (Furnas e Três Mari(A) e instituição do voto feminino com a assinatura do decreto 21.076
  • b)
    Instituição do salário mínimo e redução da dívida externa brasileira.
  • c)
    Ampliação da produção de petróleo, de 2 para 5,4 milhões de barris e construção das hidrelétricas ( Furnas e Três Marias).
  • d)
    Implantação da indústria automotiva brasileira e estatização das refinarias privadas.
  • e)
    Criação da SUDENE e da Petrobrás (responsável pela extração de petróleo no Brasil).

214137 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

O Governo Vargas foi marcado por interrupções e retorno, governou sucessivamente por 15 anos (1930 - 1945), foi deposto e retornou em 1950. Apesar da descontinuidade, Vargas implementou um padrão ideológico, que podemos explicitar, no campo educacional, pela melhor alternativa abaixo.

  • a)
    O processo educacional no governo Vargas apresentava nítidas concepções fascistas, priorizando a formação das crianças e jovens, dificultando o surgimento de universidades e perseguindo intelectuais universitários.
  • b)
    Apresentou uma visão centralizadora, visava formar uma ampla elite, embora de conteúdo autoritário, não promoveu um rigoroso patrulhamento ideológico na educação.
  • c)
    O modelo educacional no governo Vargas ficou caracterizado pelo respeito a autonomia universitária e pela livre circulação de ideias.
  • d)
    Apresentou um discurso liberal, defendendo a democratização do ensino, a educação sendo encarada como um problema técnico e não um problema de ordem social.
  • e)
    Entendia que a educação deveria trabalhar numa perspectiva de preparar o capital humano, condicionando para o mundo do trabalho.

214141 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

Iniciada a partir da segunda metade do século XIX, a efetiva partilha da África atingiu seu ponto máximo na Conferência de Berlim (1884-1885), da qual participaram quatorze países europeus, Estados Unidos e Rússia. Já a conquista da Ásia se deu no decorrer do século XIX e início do século XX, onde as nações europeias, Estados Unidos e também o Japão, tomaram territórios, entraram em disputas coloniais e impuseram seu domínio direto ou indireto a essa parte do mundo. Sobre a ação imperialista nesses dois continentes, escolha a alternativa incorreta:

  • a)
    A ação do primeiro ministro inglês, Benjamin Disraeli contribuiu para a supremacia inglesa no Norte africano, que obteve o Canal de Suez;
  • b)
    Ambicionando ampliar sua influência no sul do continente africano, a Inglaterra apoiou às pressões dos exploradores de ouro visando quebrar a autonomia dos grupos que resistiam à presença inglesa na região;
  • c)
    Em meados do século XIX, acelerou-se a penetração francesa no Sudeste Asiático, até então restrita à Cochinchina, região sul da Indochina;
  • d)
    As rebeliões de Taiping(1851-1864) e a dos Boxers (1900-1901) foi resultado direto da ação imperialista japonesa sobre a China;
  • e)
    Objetivando tomar a região da Manchúria, em 1894, o Japão declarou guerra à China, sofrendo oposição da França, também interessada nesse território.
icon
Questão anulada pela banca organizadora do concurso.

214142 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

A incorporação da América Latina ao sistema capitalista mundial se dá após os movimentos de independência e ocorre dentro de um contexto histórico e estrutural. A partir da segunda metade do século XIX, ocorre a entrada maciça de capitais estrangeiros na região, notadamente ingleses e posteriormente norteamericanos; colocando a América latina sob a hegemonia do capital internacional. A ideia de independência nessa parte do continente torna-se então, relativa e a região entra diretamente na rota dos interesses imperialistas que caracterizou esse século. Analise as proposições sobre esse fato e assinale a que for falsa:

  • a)
    A penetração dos Estados Unidos na região, através da Doutrina Monroe, não conseguiu garantir uma unidade regional.
  • b)
    A Inglaterra participou das lutas de independência dos países desta parte do continente americano e na consolidação dos Estados nacionais. Nesse processo os britânicos tiveram um papel de destaque devido aos empréstimos efetuados á essas nações mediante altas taxas de juros.
  • c)
    A interferência norte-americana na América Latina através da Doutrina Monroe impunha limites aos interesses europeus no continente, sem, no entanto legitimar atitudes intervencionistas dos Estados Unidos nessa região.
  • d)
    Os Estados Unidos participaram ativamente do processo de emancipação politica de Cuba, visando resguardar seus interesses na Ilha, o que lhe foi garantido através da Constituição cubana de 1901.
  • e)
    Os investimento ingleses na América Latina, durante o século XIX, ampliaram-se rapidamente e se concretizaram em termos de ferrovias, ações de empresas de utilidade pública e de órgãos governamentais; dessa forma, estimularam o desenvolvimento de sua própria indústria de bens de capital e fomentaram as possibilidades exportadoras da agricultura, pecuária e mineração latino-americana.

226740 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

No processo crescente que levou à abolição dos escravos (1888), o Brasil passou a instituir uma legislação que iria culminar com a abolição. Em 1850 foi sancionada a Lei Euzébio de Queiróz (proibição do tráfico de escravos). Em contrapartida o império instituiu a Lei das Terras, que significou:

  • a)
    Objetivando regularizar os quilombos que existiam no Brasil, foi criada a Lei das Terras, dessa forma, os quilombolas poderiam permanecer nas terras ocupadas.
  • b)
    O império objetivava com a criação da LEI DAS TERRAS facilitar a aquisição de terras pelos negros libertos e dificultar para os imigrantes.
  • c)
    A Lei das Terras tinha o objetivo de restringir terras para os novos libertos e facilitar para os imigrantes.
  • d)
    Pensando em proteger os negros libertos, a Lei das Terras seria um arcabouço jurídico que protegeria todos os brasileiros.
  • e)
    Visando a aumentar os valores das terras, a lei foi criada dificultando, assim, a compra por parte dos libertos, favorecendo a permanência dos libertos como trabalhadores nas fazendas já existentes.

226741 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

A estagnação econômica a partir de meados da década de 1970, aliada à corrida armamentista, colocaram em evidência as deficiências e distorções estruturais da sociedade soviética e a necessidade de reformas urgentes. No entanto, foi em 1985, com a entrada de Mikhail Gorbatchev, que a União Soviética passou por bruscas alterações políticas, econômicas e sociais. Ciente dos problemas pelos quais o país passava, Gorbatchev propôs diversas mudanças na União Soviética, que terminaram levando ao colapso do bloco socialista. Acerca da falência desse modelo de Estado implantado a partir da Revolução Russa de 1917, indique a alternativa correta:

  • a)
    Dentro da URSS as nacionalidades começaram a manifestar-se, objetivando a autonomia a até mesmo a separação, sendo imediatamente acatadas por parte de Moscou;
  • b)
    O movimento de 1968, na Tchecoslováquia, conhecido como “Primavera de Praga”, contou com a solidariedade e o apoio do ocidente;
  • c)
    Algumas revoltas operárias ocorridas na Alemanha Oriental fizeram com que a União Soviética impedisse lideranças do bloco socialista a levar adiante medidas liberalizantes;
  • d)
    A aceitação do modelo soviético de forma irrestrita por parte dos partidos comunistas da Itália, França e Espanha, contribuiu para o fortalecimento do bloco socialista e o adiamento do colapso da União Soviética;
  • e)
    No interior do Partido Comunista da URSS, embora não houvesse divergências consideráveis sobre os rumos que os acontecimentos tomavam, não foi possível encontrar saídas para a crise socioeconômica que atingia o modelo socialista naquele contexto.

226742 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

O Governo João Goulart (1961/1964) foi marcado pela interrupção e conseguinte instalação da ditadura militar no país. O governo Goulart, na prática, ficou caracterizado em função das suas ações políticas, como um governo:

  • a)
    Autoritário, com uma linha ideológica próxima ao socialismo chinês.
  • b)
    Democrático, sendo apoiado durante todo seu curto período pelos partidos de esquerda, inclusive o partido comunista.
  • c)
    Conturbado, em que foi implantado o parlamentarismo, fato este, que não foi suficiente para amenizar as crises políticas do período.
  • d)
    Democrático, sendo apoiado incondicionalmente pelas forças armadas.
  • e)
    Autor das reformas de base, sendo estas apoiadas por setores da chamada classe média, dos trabalhadores e do empresariado mais progressista. Obteve, assim, êxito na proposta de modernizar o país.

226743 CEFET-AL (2013) - IF-AL - Professor - História / História

“Cenário da mais contraditória, talvez das insurreições populares da história social. Nesse longo espaço de matas que findava, ao oriente, de encontro aos salgados marinhos, ladeado de rios, ao sul, de águas claras ou barrentas, e, ao norte, de águas escuras, e ao poente se estendia em hemiciclo de velhos sertões secos, já superadas as antigas matas mucambeiras dos Palmares, irrompeu a Guerra dos Cabanos, a Cabanagem alagoano-pernambucana.“ Fonte: Dirceu Lindoso, A UTOPIA ARMADA, edUFAL, 1982. Analisando o movimento histórico Guerra dos Cabanos, podemos afirmar :

  • a)
    Os jornais locais da época, por apresentarem um discurso voltado para os ideais liberais, assumiram uma posição em defesa dos cabanos, mesmo que moderada, utilizando-se, para isso, de expressões como: sangrento poracê, hordas selvagens e papa-méis.
  • b)
    A maior contradição em que Dirceu Lindoso se apoia consiste no fato de que, a Guerra dos Cabanos foi um movimento que nasce dentro dos insurretos populares e atravessa para setores intelectuais, tendo como maior objetivo a luta pela conquista da terra.
  • c)
    A maior contradição dos cabanos consistia de um movimento que tinha suporte em latifundiários que defendiam a restauração absolutista e, no mesmo leque de reivindicações, estava a luta pelo fim da escravidão.
  • d)
    Cenário contraditório que, para Lindoso, moveu-se inicialmente por um sentimento restaurador, para em seguida, em outro sentido, o antiescravismo e antilatifundiário.
  • e)
    A cabanagem alagoano-pernambucana foi um movimento genuinamente do que hoje chamamos Alagoas, pois percorreu a região sul de Pernambuco e todo o território alagoano.