30 resultados encontrados para . (0.007 segundos)

52797 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Legislação Estadual

“A ação pedagógica da escola, ancorada na perspectiva de percurso formativo como unidade, consiste em condição concreta de repensar tempos, espaços e formas de aprendizagem na relação com desenvolvimento humano, como alternativa que busca superar os atuais limites impostos pelos componentes curriculares no ambiente escolar".

Fonte: Proposta Curricular de Santa Catarina: formação integral na educação básica. Florianópolis: SED, 2014.

Nesse sentido, analise as afirmações a seguir, marque V para as Verdadeiras e F para as Falsas, e assinale a alternativa com a sequência correta.

( ) Cabe pensar o currículo escolar como um contexto em permanente (re)elaboração, em constante disputa e reordenamento.

( ) É preciso reconhecer a fonte das questões de análise na realidade vivenciada pela comunidade como aquela que oferece os problemas, os objetos de análise e síntese à luz dos conhecimentos sistematizados.

( ) Importa compreender como se produz e se reproduz o conhecimento na escola (áreas, disciplinas, temáticas etc.) e como crianças, jovens, adultos e idosos apropriam-se ou não desses conhecimentos.

( ) Demanda fazer escolhas quanto à forma mais apropriada de organização escolar (série, ciclo, módulos, dentre outros modos), considerando os sujeitos dentro de seus espaços de vida, sejam eles urbanos, rurais, das periferias urbanas, quilombos, aldeias indígenas, dentre outros.

  • a)
    V - V - F - F
  • b)
    V - V - V - V
  • c)
    F - F - V - V
  • d)
    F - V - F - V

52798 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

“A escola de qualidade social adota como centralidade o estudante e a aprendizagem, o que pressupõe atendimento aos seguintes requisitos (...)".Os requisitos que completam o enunciado são, exceto:

Fonte: Resolução 4 de 2010, Art. 9º.

  • a)
    foco no projeto político pedagógico, no gosto pela aprendizagem e na avaliação das aprendizagens como instrumento de contínua progressão dos estudantes
  • b)
    preparação dos profissionais da educação, gestores, professores, especialistas, técnicos, monitores e outros.
  • c)
    inter-relação entre organização do currículo, do trabalho pedagógico e da jornada de trabalho do professor, tendo como objetivo a aprendizagem do estudante.
  • d)
    compatibilidade entre a proposta curricular e a infraestrutura, entendida como espaço informativo independente da disponibilidade de tempos para sua utilização e acessibilidade.

52839 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

O documento do CONSED - Como articular a função social da escola com as especificidades e as demandas da comunidade? - diz que aprendizagem significativa é aquela que, exceto:

  • a)
    permite ao aluno responder os instrumentos de verificação exatamente da forma que está nos materiais didáticos utilizados como instrumentos mediadores;
  • b)
    possibilita ao aluno relacionar com sentido o conteúdo a ser aprendido com o que ele já domina, seja uma ideia, um conceito, uma imagem;
  • c)
    não deixa solto o novo conteúdo, mas amarrado a uma estrutura de conhecimentos, todos ligados entre si;
  • d)
    mobiliza toda a estrutura cognitiva do aluno, evitando uma aprendizagem apenas de memória, facilmente esquecida.

52840 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

O Orientador Educacional é um profissional que participa de todos os momentos coletivos da escola, na definição de seus rumos, na elaboração e na avaliação de sua proposta pedagógica, nas reuniões do Conselho de Classe, oferecendo subsídios para uma melhor avaliação do processo educacional.

Assim, marque com V as afirmações verdadeiras e com F as falsas e assinale a alternativa com a sequência correta.

( ) Aliado aos demais profissionais, trabalha diretamente com o aluno e se preocupa com a sua formação pessoal. A ele cabe desenvolver propostas que elevem o nível cultural do aluno e tudo fazer para que o ambiente escolar seja o melhor possível.

( ) Assim como os demais integrantes da equipe pedagógica escolar, questiona criticamente o currículo existente na escola, o currículo oculto, o aparelho político em todos os níveis, a forma e o conteúdo dos textos escolares e as condições de trabalho que caracterizam escolas específicas.

( ) Aliado aos demais profissionais da escola e a outros pedagogos pode contribuir muito para a organização e a dinamização do processo educativo.

( ) Integra todos os segmentos que compõem a comunidade escolar: direção, equipe técnica, professores, alunos, funcionários e famílias, visando à construção de um espaço educativo ético e solidário.

  • a)
    V - V - V - V
  • b)
    V - F - V - F
  • c)
    F - V - F - V
  • d)
    F - F - V - F

52841 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

“A igualdade de condições para o acesso nem sempre é algo que esteja na esfera de abrangência da escola." Entretanto, devemos lembrar que a escola pode canalizar as demandas e lutas sociais da comunidade em que está inserida. Nesse sentido é correto afirmar, exceto:

Fonte: Documento do CONSED - Como articular a função social da escola com as especificidades e as demandas da comunidade? P.37

  • a)
    A escola deve atender seu limite de vagas, pois assim cumpre seu papel social. As famílias que ficaram sem atendimento devem procurar seus direitos em outras esferas, não sendo responsabilidade da equipe gestora seus destinos.
  • b)
    Quando se manifesta o problema da falta de vagas, sobretudo no ensino fundamental, o poder público é responsável por ele, tanto no âmbito da rede municipal como da estadual. Nesse sentido, a vaga deve ser assegurada a todas as crianças e adolescentes.
  • c)
    A luta para que todas as crianças tenham acesso à escola é legítima e deve ser assumida não apenas pelos dirigentes escolares e do sistema de ensino, como também pelos políticos.
  • d)
    A equipe gestora de uma escola tem responsabilidade sobre isso. Deve articular-se com a Secretaria de Educação para ver o que pode ser feito a esse respeito.

52842 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

O Orientador Educacional pode ser um profissional da educação encarregado de desvelar as forças e contradições presentes no cotidiano escolar que podem interferir na aprendizagem. "A prática dos orientadores deve estar vinculada às questões pedagógicas e ao compromisso ético de contribuir na construção de uma escola democrática, reflexiva e cidadã". (BALESTRO, 2005. p. 21).

Nesse sentido é correto afirmar, exceto

  • a)
    Focalizar o atendimento ao aluno, aos seus "problemas", à sua família, aos seus "desajustes" escolares e em especial encaminhar para outros setores como saúde, assistência e justiça, sem perspectivar ações pedagógicas, pois estes problemas são de outra ordem.
  • b)
    Comprometer-se em explicitar que indisciplina, agressividade, desinteresse e dificuldades de aprendizagem não podem e não devem ser tratadas isoladamente e, sim, a partir de um estudo das relações "professor-aluno, aluno-conteúdo, aluno-aluno, aluno-estatuto escolar, aluno-comunidade, professor-comunidade.
  • c)
    Trabalhar com o aluno no desenvolvimento do seu processo de cidadania, perspectivando a subjetividade e a inter-subjetividade obtidas através do diálogo nas relações estabelecidas.
  • d)
    Mobilizar todos os educadores para que auxiliem cada aluno a se construir, a identificar o processo de escolha por que eles passam, os fatores socioeconômicos, políticos, ideológicos e éticos tornando-se, assim, um elemento consciente e atuante dentro da organização social e contribuindo para sua transformação.

57468 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

O posicionamento da escola diante das relações étnico-raciais, de gênero, ambiental e sexual estabelecidas no seu interior compreende a construção identitária positiva em relação ao seu pertencimento étnico-racial, dentre outros.

Considerando o exposto, são ações possíveis, exceto:

  • a)
    Valorizar a pluralidade estética, respeito às diversas culturas, à corporeidade, às formas de ver, sentir e estar no mundo, questionando as escolhas pautadas em padrões e/ou marcos civilizatórios dominantes.
  • b)
    Promover o respeito e o reconhecimento das diferenças sexuais e identidades de gênero, entendendo os Direitos Humanos em toda a sua diversidade.
  • c)
    Exercitar a diversidade como princípio informativo e conceber as datas comemorativas como um fato social de valorização da cultura hegemônica a ser reproduzido na escola.
  • d)
    Garantir a reafirmação das diferenças individuais e coletivas a partir do senso de pertencimento identitário e no combate ao racismo, machismo, homofobia, xenofobia e a todas as formas de discriminação, violências e intolerâncias.

57469 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

Na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional vigente, o artigo 27 diz que: “Os conteúdos curriculares da educação básica observarão, ainda, as seguintes diretrizes (...)."

As diretrizes que completam o enunciado acima são, exceto:

  • a)
    consideração das condições de escolaridade dos alunos em cada estabelecimento;
  • b)
    difusão de valores fundamentais ao interesse individual, aos direitos dos cidadãos, de respeito ao bem comum e à ordem hegemônica;
  • c)
    orientação para o trabalho;
  • d)
    promoção do desporto educacional e apoio às práticas desportivas não-formais.

57476 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

Perspectivando a ética na orientação educacional, Giacaglia e Penteado (2002, p. 10) explicitam que há que se considerar razões de natureza psicológica, o "efeito Rosenthal" ou "profecia auto-realizável", segundo a qual, quando um professor desenvolve expectativas de que um aluno ou grupo de alunos irá ter insucesso escolar. Nesse sentido é correto afirmar, exceto:

  • a)
    Quando os professores solicitam informações sobre os alunos o orientador precisa tomar muito cuidado, fornecendo apenas informações que sejam relevantes para o acolhimento e o processo de ensino aprendizagem.
  • b)
    É importante disseminar as informações delicadas sobre os estudantes e suas famílias, pois isso resulta sempre em engajamento, acolhimento, proteção e melhora no processo ensino e aprendizagem na escola.
  • c)
    Saber que informações delicadas sobre a estrutura familiar e sobre situações de vulnerabilidade devem ser comunicadas somente se forem essenciais ao engajamento dos demais profissionais para assegurar a proteção integral e a aprendizagem e nunca para servir de estigma que interfira na qualidade do aprender e conviver na escola.
  • d)
    O bom senso, o sigilo e o cuidado na emissão de juízos de valor podem favorecer o trabalho do orientador e dos demais profissionais da escola. A confiança na pessoa do orientador é fundamental para o êxito de seu trabalho.

57478 ACAFE (2017) - SED-SC - Orientador Educacional / Pedagogia

O documento do CONSED - Como articular a função social da escola com as especificidades e as demandas da comunidade? - explicita a relação cultura escolar e cultura externa.

Nesse sentido é correto afirmar, exceto:

  • a)
    Há um movimento de influência da cultura local, nacional e mesmo mundial sobre a escola e há também o inverso, uma influência da escola na cultura externa a ela.
  • b)
    As relações entre escola e cultura se dão de muitas e diversas maneiras, dependendo de forças momentâneas.
  • c)
    A escola influencia seus estudantes pelo conhecimento, ampliando seu repertório cultural, mas nada pode fazer com relação à cultura externa.
  • d)
    A ação de uma escola pode, sim, mobilizar a comunidade circundante e modificar a realidade aí existente.