1071 resultados encontrados para . (0.014 segundos)

74349 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Pedagogo / Pedagogia

As ideias de Anísio Teixeira influenciaram todos os setores da educação no Brasil e no sistema educacional da América Latina. Entre as suas contribuições, pode-se citar a criação do Centro Educacional Carneiro Ribeiro, em Salvador (que ainda existe até os dias atuais). O Centro foi a primeira experiência brasileira de promoção de educação:

  • a)
    infantil baseada em jogos.
  • b)
    cultural e profissional para jovens.
  • c)
    para as classes populares.
  • d)
    inclusiva para adultos.
  • e)
    especial para crianças.

74350 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Pedagogo / Pedagogia

O neuropsicólogo Alexander Luria, especializado em psicologia do desenvolvimento e colaborador de Vygotsky, chama a atenção para o papel de mediador da linguagem no processo de aprendizagem escolar. O autor lembra que uma das maiores fontes de equívocos dessa ordem é a diferença de sentido atribuída às palavras e aos conceitos por professores e alunos. E enfatiza a necessidade de se estabelecer uma estreita relação entre:

  • a)
    a linguagem popular e a linguagem padrão.
  • b)
    o ensino formal e o ensino informal.
  • c)
    o saber que o aluno possui e o saber escolar.
  • d)
    a atividade lúdica e a atividade convencional.
  • e)
    o pensamento espontâneo e o pensamento induzido.

74351 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Pedagogo / Pedagogia

“O conceito de „Educação em Rede‟ envolve um desenho curricular flexível, sintetizado na expressão vigotskiana ensinar/aprender e na postura freiriana de sermos eternos aprendizes. A primeira, porque se refere ao processo no qual nos incluímos como aprendizes num contexto global de relações dialógicas.” (Margarita Gomez). A segunda, porque:

  • a)
    reconhecemos que a aprendizagem formal e obrigatória se esgota ao final dos anos escolares de estudos.
  • b)
    não há aprendizagem sem planificação e dependerá sempre do grupo de alunos com o qual se está lidando.
  • c)
    existem objetivos a serem alcançados e que estão sujeitos a circunstâncias que não se pode prever nem controlar.
  • d)
    temos certeza de que não sabemos tudo, nem ignoramos tudo, mas que podemos saber mais em comunhão.
  • e)
    acreditamos que aprender pela vida inteira é uma situação que surge em decorrência do contexto econômico e social.

74352 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Pedagogo / Pedagogia

Segundo Gandin, o planejamento participativo, como instrumento e metodologia, isto é, como processo técnico, abre espaços para a dimensão política. As questões da qualidade, da missão e, obviamente, da participação são especialmente valorizadas. Mais do que isso, assumem um caráter de proposta de futuro para a instituição que se planeja, onde deve estar contido um ideal do campo de ação da instituição. Ainda segundo o autor, o planejamento participativo parte do pressuposto e do entendimento sobre o nosso mundo, em que é fundamental a ideia de que a nossa realidade é:

  • a)
    determinada pelo sistema econômico e que não há espaço para transformações profundas e democráticas.
  • b)
    injusta e de que essa injustiça se deve à falta de participação em todos os níveis e aspectos da atividade humana.
  • c)
    participativa, na medida do possível social e político, e de acordo com a legislação constitucional vigente.
  • d)
    altamente competitiva, em que os cidadãos de maior dificuldade e empenho serão recompensados pelos seus méritos.
  • e)
    construída sob alicerces político partidários e segue as determinações abusivas das instituições fazendárias.

74357 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Pedagogo / Pedagogia

Para Vygotsky, as crianças pequenas dão nome a seus desenhos somente após completá-los; elas têm necessidade de vê-los, antes de decidir o que eles são. À medida que as crianças se tornam mais velhas, elas adquirem a capacidade de decidir previamente o que vão desenhar. Esse deslocamento temporal do processo de nomeação significa uma mudança na função da fala. Inicialmente, a fala segue a ação, sendo provocada e dominada pela atividade. Posteriormente, entretanto, quando a fala se desloca para o início da atividade, surge uma nova relação entre palavra e ação. Nesse instante a fala dirige, determina e domina o curso da ação; surge, então:

  • a)
    a linguagem de forma amadurecida, com possibilidade de descrever e narrar sobre um assunto.
  • b)
    a função planejadora da fala, além da função já existente da linguagem, de refletir o mundoexterior.
  • c)
    a possibilidade de aquisição da língua materna e a compreensão da sua estrutura, da sua sintaxe.
  • d)
    o desenvolvimento da oralidade em suas diversas modalidades, de diálogo, de impostação, etc.
  • e)
    o movimento dialógico em que a criança, já socializada, se relaciona e cria as próprias brincadeiras.

74372 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Professor - Língua Brasileira de Sinais - Libras / Pedagogia

A alternativa em que a característica de notação da estrutura linguística NÃO é inerente ao sistema de escrita de sinais e proposto no Brasil ao final da década de noventa:

  • a)
    linear.
  • b)
    são utilizados “ponto final” e “dois pontos” com o mesmo valor do português escrito.
  • c)
    escrito da esquerda para direita.
  • d)
    de base alfabética.
  • e)
    as palavras são separadas por espaço em branco.

74373 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Professor - Língua Brasileira de Sinais - Libras / Pedagogia

“Mão direita em L, palma para a esquerda, ponta do polegar tocando o queixo. Balançar o indicador para a esquerda duas vezes”. A opção que apresenta a categoria do sinal cuja execução encontra-se descrita neste enunciado é:

  • a)
    comida.
  • b)
    documento.
  • c)
    língua.
  • d)
    mobiliário.
  • e)
    bebida.

74374 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Professor - Língua Brasileira de Sinais - Libras / Pedagogia

A mesma configuração de mãos usada para executar a letra “B” forma a base para a execução do sinal correspondente à palavra:

  • a)
    paciência.
  • b)
    grátis.
  • c)
    casa.
  • d)
    acreditar.
  • e)
    minuto.

74375 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Professor - Língua Brasileira de Sinais - Libras / Pedagogia

Sobre a sinalização de narrativas em Língua de Sinais, é INCORRETO afirmar que:

  • a)
    os referentes podem ser introduzidos no discurso por meio de dêixis e retomados posteriormente por forma anafórica.
  • b)
    na construção de uma narrativa, a retomada anafórica pode ser feita através de sinais manuais acompanhados da direção do olhar e movimentos do corpo.
  • c)
    assim como nas línguas orais, o uso da referência dêitico-anafórica nas línguas de sinais não causa problemas de ambiguidade nas produções linguísticas.
  • d)
    além da direção do olhar e dos movimentos do corpo, uma retomada anafórica pode ser ainda composta apenas pelo uso do olhar e a introdução de um segundo referente na narrativa.
  • e)
    a língua de sinais exige para o seu uso estratégias de memorização visual, ordenação espacial dos elementos, entre outros mecanismos. Uma narrativa que não respeite o lugar previamente fixado no espaço para a retomada anafórica de algum elemento ou personagem pode incorrer em incoerência discursiva.

74376 COSEAC (2016) - Prefeitura de Niterói - RJ - Professor II - Artes / Artes

Observando-se as próprias experiências sensitivas do mundo, pode-se ensinar aos alunos que:

  • a)
    amarelo e vermelho são cores quentes.
  • b)
    amarelo e vermelho são cores frias.
  • c)
    azul e amarelo são cores frias.
  • d)
    verde e azul são cores quentes.
  • e)
    branco e preto são cores frias.