155 resultados encontrados para . (0.009 segundos)

51998 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

A síndrome coronariana aguda (SCA) abrange um amplo espectro de condições clínicas que incluem a isquemia silenciosa, a angina aos esforços, a angina instável (AI) e o infarto agudo do miocárdio (IAM), com ou sem supradesnivelamento do segmento ST. O evento central desta síndrome é a ruptura da placa aterosclerótica e trombose, com ou sem obstrução crítica prévia. Sobre a função cardíaca, marque alternativa CORRETA em que constam os marcadores específicos da lesão do miocárdio:

  • a)
    Creatinoquinase, Mioglobina e Ácido Úrico.
  • b)
    Creatinoquinase, Uréia e Ácido Úrico.
  • c)
    Creatinoquinase, Mioglobina e Troponina.
  • d)
    TGO, TGP e Bilirrubina.
  • e)
    Troponina, TGO e TGP.

52003 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

Parte do microscópio óptico que tem como função: focar nitidamente a imagem que se está a visualizar, ou seja, permite uma focalização mais limitada e mais fina.

  • a)
    Charriot
  • b)
    Parafuso Micrométrico
  • c)
    Parafuso Macrométrico
  • d)
    Condensador
  • e)
    Lente Objetiva

52004 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

Alteração morfológica dos eritrócitos que possuem a forma de lágrima (“tear-drop cells”) e são produzidas no baço na mielofibrose e presentes nas anemias megaloblásticas:

  • a)
    Drepanócitos
  • b)
    Esferócitos
  • c)
    Estomatócitos
  • d)
    Equinócitos
  • e)
    Dacriócitos

52005 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

No laboratório de análises clínicas, o técnico mediu 500 mL de salina. Qual a vidraria correta utilizada para a medição?

  • a)
    pipeta volumétrica de 200 mL.
  • b)
    becker de 500 mL.
  • c)
    balão volumétrico de 500 mL
  • d)
    erlenmeyer de 500 mL
  • e)
    proveta de 200 mL.

56596 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

O método tintorial predominante utilizado em bacteriologia é o método de Gram. A bacterioscopia, após coloração pelo método de Gram com diagnóstico presuntivo, de triagem, ou até mesmo confirmatório em alguns casos, constitui peça importante e fundamental na erradicação e no controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). Essa técnica é simples, rápida e tem capacidade de resolução, permitindo o correto diagnóstico em cerca de 80% dos pacientes em caráter de pronto atendimento em nível local. Sobre a coloração de Gram marque a alternativa CORRETA:

  • a)
    Bactérias gram-positivas e gram-negativas absorvem de maneira idêntica o cristal violeta e o lugol.
  • b)
    Bactérias gram-positivas e gram-negativas apresentam o mesmo comportamento ao serem tratadas com o álccol.
  • c)
    O esfregaço ao receber o lugol cora as bactérias gram-negativas na cor avermelhada do corante.
  • d)
    O esfregaço ao receber a fucsina cora as bactérias gram-postivas na cor avermelhada do corante.
  • e)
    Também podem ser utilizados a iodina no lugar da fucsina e a safranina no lugar do lugol.

56597 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

A hemostasia é o fenômeno fisiológico, responsável pelo equilíbrio dinâmico que procura manter o sangue fluido no interior dos vasos, bem como impedir a sua saída para os tecidos vizinhos. Um desequilíbrio da hemostasia pode acarretar num processo trombótico ou hemorrágico. O coagulograma, exame de triagem para verificação da hemostasia, compreende vários testes que são muitas vezes realizados de maneira equivocada e não avaliam adequadamente a hemostasia. Marque a alternativa em que constam os testes para avaliar a hemostasia.

  • a)
    Tempo de protrombina, tempo de tromboplastina parcial e contagem de plaquetas.
  • b)
    Contagem de reticulócitos, tempo de tromboplastina parcial e contagem de plaquetas.
  • c)
    Contagem diferencial de leucócitos, contagem de reticulócitos e contagem de plaquetas.
  • d)
    Tempo de protrombina, contagem diferencial de leucócitos e contagem de plaquetas.
  • e)
    Tempo de protrombina e contagem de reticulócitos e contagem de plaquetas.

56615 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

Vários fatores interferentes são relatados na literatura, como o tempo de contato prolongado do soro ou plasma com as células, existência de hemólise em grau variado, hemoconcentrações causadas por evaporação, temperatura incorreta de armazenamento da amostra, transporte incorreto, uso incorreto de aditivos (anticoagulantes), etc. O reconhecimento e a gerência dessas variáveis permite o estabelecimento de um controle efetivo na redução do erro e, portanto, uma melhor aplicabilidade dos resultados dos exames do paciente. A separação do soro ou plasma das células sanguíneas deve ser realizada o mais rápido possível. Um tempo máximo de duas horas para essa separação deve ser seguido, a fim de evitar interferências nas dosagens dos analitos, EXCETO:

  • a)
    potássio
  • b)
    hormônio adrenocorticotrófico (ACTH)
  • c)
    cortisol
  • d)
    ácido láctico
  • e)
    albumina

56616 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

A recomendação da sequência dos tubos é baseada na (CLSI H3-A6, Procedures for the Collection of Diagnostic Blood Specimens by Venipunctures; ApprovedStandart, 6thed.) e deve ser respeitada, para que não ocorra contaminação por aditivos nos tubos subsequentes (contaminação cruzada dos aditivos), quando há necessidade da coleta para diversos analitos de um mesmo paciente. Com base nessa recomendação, qual deve ser o quarto tubo utilizado na ordem de coleta?

  • a)
    Tubo de heparina.
  • b)
    Tubo de citrato de sódio.
  • c)
    Tubo de fluoreto/EDTA
  • d)
    Tubo com ativador de coágulo, com ou sem gel para obtenção de soro.
  • e)
    Tubo de EDTA.

60861 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

Sobre os tubos com ou sem anticoagulantes utilizados na coleta de sangue, marque a alternativa INCORRETA:

  • a)

    Tubo e/ou tubo seringa contendo gel para dosagem em soro: Utilizado para dosagem em sorologia, imunológica, bioquímica, hormônio. A parede do tubo é revestida com partícula de sílica, que acelera o processo de coagulação e contendo no fundo do tubo o gel. Este material possui propriedade tireotrópica que é densidade intermediária entre o sangue coagulado e o soro. Durante a centrifugação, a barreira de gel move-se para cima posicionando-se entre o soro e o coágulo, onde forma uma barreira estável, separando o soro dos outros componentes celulares. O soro pode ser utilizado diretamente do tubo de coleta, eliminando a necessidade de transferência para outro recipiente.

  • b)

    Tubo e/ou tubo seringa de citrato de sódio: Utilizado para dosagem dos testes de coagulação. Contêm em seu interior solução tamponada de citrato trissódico (Na3C6H5O7.2H2O). As concentrações de solução de citrato trissódico devem estar dentro do intervalo de 0,1 a 0,136 mol/L, com uma tolerância permitida de ±10%. As concentrações utilizadas atualmente são de 3,2 ou 3,8%, na proporção de nove partes de sangue para uma parte de solução de citrato. As diferentes concentrações de citrato podem ter efeitos significativos nas análises do tempo de protrombina (TP) e tempo de tromboplastina parcial ativada (TTPa).

  • c)

    Tubo e/ou tubo seringa de EDTA (etilenodiaminotetracético): Utilizado na dosagem de exames de hematologia, CD4+ /CD8+, carga viral, genotipagem, e de citologia. As paredes internas dos tubos são revestidas com EDTA K2 ou EDTA K3. O EDTA anticoagulante eficiente que não afeta a contagem celular e altera minimamente o tamanho da célula. Ele impede a coagulação ao quelar aos íons de cálcio, um importante cofator no processo de coagulação. O EDTA K2 é o anticoagulante recomendado pelo International Council for Standards in Hematology (ICSH) e Clinical and Laboratory Standardization Institute (CLSI.) para hematologia por ser o melhor anticoagulante para preservar a morfologia celular.

  • d)

    Tubo e/ou tubo seringa heparina sódio e lítio: Utilizado na dosagem de exames hematológicos. A parede interna do tubo é revestida de heparina sódio e lítio. Esses anticoagulantes ativam as enzimas antiplaquetárias, impede a coagulação do sangue, ao inibir a trombina e o fator Xa, bloqueando assim, a coagulação em cascata dos elementos do sangue. Os tubos de heparina também estão disponíveis com gel, as concentrações dos anticoagulantes acima devem estar dentro de um intervalo de 12 a 30 UI por mL de sangue.

  • e)

    Tubo e/ou tubo seringa Fluoreto de sódio/ EDTA: Utilizado na dosagem de glicose e lactato. Contém em seu interior um anticoagulante EDTA que preserva a morfologia celular e fluoreto de sódio que é inibidor glicolítico, estabilizando a glicose. As concentrações de EDTA devem estar dentro do intervalo de 1,2 a 2,0 mg de EDTA, e de 2,0 a 4,0 mg de fluoreto de sódio por mL de sangue.

60862 NUCEPE (2017) - FMS - Técnico em Patologia Clínica / Patologia

Grande parte dos desvios observados na coleta de urina de 24 horas é causada por problemas relacionados à, EXCETO:

  • a)
    Perda de volume de urina,
  • b)
    Marcação incorreta do tempo de coleta
  • c)
    Preservação inadequada da amostra, como exposição à luz intensa ou à temperatura elevada
  • d)
    Adição incorreta, insuficiente ou mesmo excessiva de conservantes.
  • e)
    Não ser a primeira urina do dia.