107 resultados encontrados para . (0.010 segundos)

50945 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Como consequência das limitações de nossa percepção visual, a representação de informações geográficas quantitativas em mapas temáticos exige a definição de classes numéricas, para que os usuários do mapa possam ver os diferentes tamanhos ou as diferentes cores dos símbolos que representam o tema do mapa. Com os dados da tabela abaixo, assinale a alternativa que define corretamente 3 classes numéricas pelos métodos dos quantis e dos intervalos constantes. Os dados são do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos municípios listados na tabela a seguir.

Levando em consideração os dados apresentados, assinale a alternativa correta

  • a)

  • b)

  • c)

  • d)

  • e)

50946 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Considere o seguinte extrato de uma Planta Topográfica:

Qual é a escala nominal da planta e a distância plana entre os pontos cotados 650 m e 670 m representados nessa planta, utilizando a escala gráfica apresentada?

  • a)
    1:500 e 565 m.
  • b)
    1:1.000 e 550 m.
  • c)
    1:2.000 e 555 m.
  • d)
    1:5.000 e 560 m.
  • e)
    1:10.000 e 560 m.

50947 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Em obras de engenharia que compreendem grandes distâncias, como as linhas de transporte (dutos de óleo e gás, linhas de energia, estradas), o levantamento de poligonais abertas é bastante comum. Nesses casos, é importante levar em consideração a convergência meridiana no cálculo e transporte dos azimutes, uma vez que a superfície terrestre não mais poderá ser considerada como sendo plana, e sim curva. Sabe-se que sobre o Meridiano Central (MC) do fuso a Convergência Meridiana é nula, aumentando com o afastamento dele. O cálculo da Convergência Meridiana, realizado de forma aproximada, mas ainda atendendo os preceitos de precisão dos levantamentos topográficos, deve levar em consideração:

  • a)
    as diferenças de longitude e de latitude entre o ponto considerado e o MC.
  • b)
    as longitudes dos extremos do fuso.
  • c)
    as coordenadas geográficas do ponto considerado e o azimute verdadeiro nesse ponto.
  • d)
    as coordenadas geográficas do ponto considerado e as longitudes dos extremos do fuso.
  • e)
    as diferenças de longitude entre o ponto considerado e o MC e a latitude desse ponto.

50948 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

De acordo com a Norma Brasileira NBR 13133, levantamento topográfico é definido como o “conjunto de métodos e processos que, através de medições de ângulos horizontais e verticais, de distâncias horizontais, verticais e inclinadas, com instrumental adequado à exatidão pretendida, primordialmente, implanta e materializa pontos de apoio no terreno, determinando suas coordenadas topográficas. A esses pontos se relacionam os pontos de detalhes visando à sua exata representação planimétrica numa escala predeterminada e à sua representação altimétrica por intermédio de curvas de nível, com equidistância também predeterminada e/ou pontos cotados”. No que diz respeito ao que preconiza essa Norma quanto às características do sistema de projeção adotado em levantamentos topográficos, é correto afirmar:

  • a)
    As projetantes são oblíquas à superfície de projeção, significando estar o centro de projeção localizado no centro de massa da Terra.
  • b)
    A localização planimétrica dos pontos, medidos no terreno e projetados no plano de projeção, se dá por intermédio de um sistema de coordenadas cartesianas, cuja origem coincide com a do levantamento topográfico.
  • c)
    O plano de projeção é ilimitado quanto à sua dimensão máxima a partir da origem, de maneira que o erro relativo, decorrente da desconsideração da curvatura terrestre, não ultrapasse 1,5 metros nessa dimensão e 0,006 m nas imediações da extremidade dessa dimensão.
  • d)
    As deformações máximas inerentes à desconsideração da curvatura terrestre e à refração atmosférica, e que são função da altitude e da distância (horizontal e vertical) medidas, devem ser inferiores à variação de 50 mm em 1 km.
  • e)
    A superfície de projeção pode ser qualquer superfície matemática conhecida, que seja normal à vertical do lugar no ponto da superfície terrestre considerado como origem do levantamento.

50949 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Para que a interpretação visual de uma imagem seja eficiente, é desejável que ela apresente um alto contraste entre os seus níveis de cinza. Uma das maneiras de se verificar o contraste entre os níveis de cinza de uma imagem digital é pela verificação de seu histograma. O histograma é construído com a representação gráfica da frequência relativa de cada nível de cinza que compõe uma imagem digital. Nesse sentido, considere as imagens que aparecem nas figuras A, B e C abaixo:

Sobre os histogramas apresentados nas figuras A, B e C, assinale a alternativa correta.

  • a)
    (A) imagem escura com alto contraste – (B) imagem clara com alto contraste – (C) imagem com alto contraste.
  • b)
    (A) imagem escura com alto contraste – (B) imagem clara com baixo contraste – (C) imagem com contraste médio.
  • c)
    (A) imagem clara com baixo contraste – (B) imagem escura com baixo contraste – (C) imagem com alto contraste.
  • d)
    (A) imagem escura com baixo contraste – (B) imagem clara com baixo contraste – (C) imagem com alto contraste.
  • e)
    (A) imagem escura com baixo contraste – (B) imagem clara com baixo contraste – (C) imagem média com baixo contraste.

50950 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Considere as indicações de Norte Geográfico, Norte Magnético e Norte da Quadrícula representados na figura abaixo, bem como de seus desvios angulares (declinação magnética e convergência meridiana).

A disposição dos três nortes e os valores dos desvios apresentados na figura correspondem à carta topográfica 1:50.000 de Campinas (IBGE, 1991).

Assinale a alternativa com os valores corretos, respectivamente, do azimute plano e do azimute magnético correspondentes ao azimute geográfico dado.

  • a)

    178°19'56" e 198°12'04".

  • b)

    178°19'56" e 216°25'04".

  • c)

    196°32'56" e 215°35'30".

  • d)

    215°35'30" e 178°19'56".

  • e)

    216°25'04" e 196°32'56".

50951 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Uma das operações necessárias no uso das cartas topográficas é a obtenção das coordenadas UTM de pontos que se encontram no interior de uma quadrícula UTM. Assim, as coordenadas devem ser determinadas por interpolação. Da mesma maneira, a determinação da altitude de um ponto em uma carta topográfica pode ser determinada por interpolação se esse ponto se encontra entre duas curvas de nível. Considere o seguinte recorte da carta topográfica apresentada na figura abaixo:

Para se determinar as coordenadas UTM do ponto A, é informado que a quadrícula UTM na qual se encontra o ponto A é delimitada pelas coordenadas UTM (8256 km, 179 km) e (8255 km, 180 km). Para se determinar a altitude do ponto B, é informado que a distância plana entre os pontos 1 e 2 é de 8 mm na escala da carta, sendo a distância entre o ponto 1 e o ponto B de 5 mm, e entre o ponto B e o ponto 2 de 3 mm. O intervalo vertical entre as curvas de nível é de 10 m, e o ponto 1 é mais alto que o ponto 2. A escala da carta é 1:25.000. Levando em consideração os dados apresentados, assinale a alternativa correta.

  • a)
    Coordenadas UTM do ponto A: (8255,375 m; 179,750 m) – Diferença de altitude entre os pontos 1 e B: 6,25 m.
  • b)
    Coordenadas UTM do ponto A: (8255,750 m; 179,375 m) – Diferença de altitude entre os pontos 1 e B: 7,00 m.
  • c)
    Coordenadas UTM do ponto A: (8255375 km; 179750 km) – Diferença de altitude entre os pontos 1 e B: 6,00 m.
  • d)
    Coordenadas UTM do ponto A: (8255750 m; 179375 m) – Diferença de altitude entre os pontos 1 e B: 5,25 m.
  • e)
    Coordenadas UTM do ponto A: (8255375 m; 179750 m) – Diferença de altitude entre os pontos 1 e B: 6,25 m.

50952 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Para entender a abrangência das análises espaciais possíveis com o uso de Sistemas de Informações Geográficas, os autores da literatura especializada nessa área do conhecimento citam o que denominam de “exigências básicas" para tais sistemas quando se realizam consultas aos seus bancos de dados geográficos. Entre essas exigências encontra-se “conhecer o valor de z, de um determinado fenômeno geográfico, nos pontos x1, x2, ... xn, com base no conhecimento dos valores de z nos pontos y1, y2, ... yn, do mesmo fenômeno geográfico".

Qual característica é essencial para que essa consulta espacial seja possível?

  • a)
    Deve ser possível representar rotas sobre as superfícies espaciais.
  • b)
    O fenômeno geográfico deve estar relacionado com modelos hidrológicos.
  • c)
    Deve ser possível representar computacionalmente o fenômeno espacial como uma superfície.
  • d)
    O fenômeno espacial tem de ser a superfície do relevo.
  • e)
    A representação computacional do fenômeno deve ser gerada a partir da representação do fenômeno por isolinhas.

56123 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Em levantamentos topográficos, as medidas de distâncias verticais e/ou diferenças de nível são geralmente afetadas pelos efeitos da curvatura terrestre e da refração atmosférica. A refração é dependente das condições atmosféricas (temperatura e pressão atmosférica) e da localização geográfica. Considerando o raio médio da Terra como sendo 6370 km e o erro de refração como sendo 1/7 do erro de curvatura, assinale a alternativa que apresenta o valor total correspondente a esses erros, para uma diferença de nível de 200 m.

  • a)
    1,9 mm.
  • b)
    2,3 mm.
  • c)
    2,7 mm.
  • d)
    3,1 mm.
  • e)
    3,5 mm.

56124 NC-UFPR (2017) - ITAIPU BINACIONAL - Engenheiro Cartógrafo / Engenharia Cartográfica

Conhecidas as coordenadas UTM (E, N) e a altitude ortométrica H de um vértice geodésico referenciado, respectivamente, ao SIRGAS2000 e a Imbituba, determine as coordenadas UTM (E, N) e a altitude ortométrica H desse vértice, respectivamente, para o SAD-69 e Imbituba, sabendo-se que os parâmetros oficiais de transformação entre os referidos referenciais (de SIRGAS2000 para SAD-69) são os especificados a seguir (IBGE, 2005):

Vértice de Triangulação 132 = (671.588,127 m; 7.179.764,274 m; 937,240 m).

Assinale a alternativa correta.

  • a)
    E = 671.520,777 m - N = 7.179.768,154 m - H = 899,020 m.
  • b)
    E = 671.520,777 m - N = 7.179.768,154 m - H = 937,240 m.
  • c)
    E = 671.588,127 m - N = 7.179.764,274 m - H = 937,240 m.
  • d)
    E = 671.655,477 m - N = 7.179.760,394 m - H = 937,240 m.
  • e)
    E = 671.655,477 m - N = 7.179.760,394 m - H = 975,460 m.